• Ezequiel Silva

Sada Cruzeiro: mais que um time, uma máquina soberana!

É match point! Rodriguinho recebe e passa, Cachopa levanta e Isac crava mais uma bola. O Sada Cruzeiro fecha outro jogo, 3 a 0. Desta vez, no Norte do Paraná, diante do Copel Telecom Maringá. Outra vez a equipe estrelada está em uma semifinal de Superliga. A décima primeira vez seguida. Agora, os Guerreiros das Quadras vão em busca da sétima conquista, o que seria a sexta taça consecutiva desse torneio.

Foto: Agência i7


Ler esse tipo de relato virou rotina para os fãs de voleibol no Brasil. E uma rotina especialmente boa para a Nação Cruzeirense. A máquina montada pelo treinador argentino Marcelo Mendez coleciona grandes resultados e é elogiada pelos quatro cantos do país. A hegemonia na principal competição nacional de clubes é indiscutível e motivo de muito orgulho para todo Cruzeirense.


Tudo começou lá em 2006, quando a gigante Sada Transportes resolveu investir em um projeto de voleibol na cidade de Betim-MG. A coisa deu certo, e pouco mais de uma década depois o Sada enfileira títulos e recordes. A fusão com o Cruzeiro em 2009 foi o passo definitivo para alavancar o projeto da família Medioli. Junto com a marca do gigante, vieram a estrutura oferecida pelo clube celeste no Barro Preto e a sua enorme torcida. A ida para o ginásio Riachão, em Contagem-MG, mudou de vez a relação do time com os torcedores.


A sinergia foi imediata, o ginásio virou caldeirão, e ali vimos um desfile de grandes ídolos do vôlei nacional, incontáveis vitórias e inúmeros lances inacreditáveis. Ali também surgiram lendas... o eterno Douglas, o mago William, o extraordinário Wallace, o imprevisível Leal.


Ir a um jogo do Sada Cruzeiro, especialmente no Riacho, é sinônimo de espetáculo e entrega dos jogadores. Ali, os maiores adversários se sentem acuados com o bafo da torcida no seu ouvido a cada lance de saque. O barulho é ensurdecedor e o calor insuportável. Ali, Filipe mostra o seu mais absoluto lado de liderança, comandando viradas quase impossíveis. O líbero Serginho mostra a cara do time, se jogando nas bolas mais difíceis, liderando a equipe nos momentos complicados e levando o espírito do torcedor para dentro da quadra. Com a genialidade e a liderança de Marcelo Mendez, que se mantém no cargo de treinador há 10 anos, a coisa fica completa. É um show!

O Sada Cruzeiro é parte integrante do mundo Cruzeirense. Tomou a hegemonia do voleibol estadual, outrora dominado pelo Minas Tênis Clube durante décadas, e conquistou a hegemonia nacional de forma contundente.


Os números são impressionantes. Não deixam dúvidas de que se trata do maior time da história do voleibol brasileiro. Muitas vezes, não sendo assim reconhecido por boa parte da imprensa nacional. Mas aqueles que são isentos e que torcem verdadeiramente pelo esporte sabem reconhecer a supremacia SadaCruzeirense. Só para ficar nos títulos mais importantes, o Sada é Tricampeão Mundial, Hexacampeão Sulamericano e da Superliga, Tetracampeão da Copa Brasil e Eneacampeão Mineiro.


A temporada 2018/2019 não tem sido das mais fáceis. A equipe passou por algumas mudanças importantes, e tem feito verdadeiras maratonas de jogos. Na parte final da Superliga o time estará 100% concentrado no torneio. É aí que vemos o melhor do Sada. É quando a equipe cresce e mostra a que veio.

A torcida vai junto e apoia incondicionalmente. Já dizia Jordan: os playoffs separam os homens dos meninos. E assim funciona o Sada Cruzeiro. Uma máquina que amassa seus mais duros rivais, impondo seu jogo de forma contundente, sempre com respeito, não importando se o jogo é no Riacho ou em qualquer outro ginásio brasileiro. Esperamos que seja assim mais uma vez. Vida longa ao Campeão de Tudo!

Por: Ezequiel Silva - @AraraquarAzul

Imagens

* Torcida Cruzeirense - Twitter/Reprodução Sada Cruzeiro

* Serginho e elenco - Agência i7

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco