• João Chiabi Duarte

Cruzeiro 2x1 Alt.Mineiro: Levando a vantagem do empate para a final no Horto

As reminiscências do clássico da 1ª partida das finais de 2019 – O jogo começou em ritmo acelerado no Mineirão, com o Cruzeiro explorando bem o lado esquerdo com Egídio e Marquinhos Gabriel saindo em vantagem, mas, errando os cruzamentos.


Porém, o Atlético não ficou passivo só se defendendo. Tentou sair para o jogo, usando mais Luan nas costas do meio campo e até foi atleticana a primeira conclusão a gol com perigo.


Depois destes primeiros momentos com predomínio cruzeirense, o time alvinegro conseguiu equilibrar a partida, havendo clara e manifesta vontade do adversário de gastar o tempo.


O goleiro atleticano abusava a cada devolução de bola, além disto, todas as chances que os emplumados tinham de ganhar tempo, isto era feito.


Quando todos pensavam que o tempo inicial iria terminar sem abertura de placar saiu o gol do Cruzeiro, com Fred deixando Marquinhos Gabriel em condições de concluir e o nosso camisa 20 chutando para gol e contando com o desvio da bola em Léo Silva, matando o goleiro Victor.


Já nos descontos do primeiro tempo num lance de falta, a bola levantada na área azul foi disputada por Dedé e Igor Rabelo e o comentarista da Globo Márcio Rezende de Freitas, inconformado, queria mudar o protocolo da VAR, insinuando que o árbitro teria que rever o lance e mesmo após o intervalo, poderia voltar atrás, rever o lance e marcar o pênalti.


Pior, insistiu na tese, até que por volta dos 12’ da etapa final saiu o gol de empate atleticano, num lance que a bola disputada por Dedé e Chará carambolou na chuteira do atleticano que entrou livre e cruzou na medida para o gol de Ricardo Oliveira. Neste momento, o comentarista de arbitragem admitiu que o protocolo do VAR não permitia tal hipótese e parou com o chororô.


Com o gol de empate, o Atlético voltou a praticar o mesmo anti-jogo. E mais, a cada falta marcada buscava ganhar tempo e catimbar a partida, com reclamações sucessivas.


Num lance envolvendo Marquinhos Gabriel e Adílson, o bandeira deu corner a favor do Cruzeiro, na ponta direita. Robinho bateu, Dedé desviou no primeiro pau e a bola se ofereceu para Léo, que fez o seu 21º gol com a camisa celeste (atualmente é o terceiro zagueiro que mais marcou gols com a camisa celeste atrás apenas de Cris com 25 e Geraldão com 30), chutando cruzado e vencendo a Victor.


Por incrível que possa parecer o Atlético não saiu com tudo para cima do Cruzeiro e tentou administrar o placar de derrota pelo escore mínimo.


Sem abdicar um segundo do ataque, o Cruzeiro já com Pedro Rocha no lugar de Rodriguinho, conseguiu um corner para o Cruzeiro no lado esquerdo. Egídio bateu no bico da pequena área no 1º pau. Fred ganhou de Léo Silva e cabeceou para o gol.


O juiz deu o gol, mas, o VAR o chamou e avisou que a bola teria batido na mão de Fred (involuntária) e desta forma, o árbitro ao rever o lance preferiu a anulação do gol, a meu ver de forma equivocada, porque Fred não teve a mínima intenção de botar a mão na bola.


A partir daí o jogo ficou muito nervoso e um festival de cartões amarelos foi aplicado pelo juiz para tentar conter os ânimos. Rafinha e Adílson acabaram expulsos.


E após quase 10’ de descontos o árbitro terminou o jogo, logo após Chará ter uma chance incrível para empatar de novo a partida.


No frigir dos ovos, o placar premiou a quem quis jogar mais o tempo inteiro. E com o placar de 2 x 1 o Cruzeiro poderá ser campeão INVICTO se conseguir pelo menos um empate no Horto.


Vamos agora destacar os lances mais relevantes da partida :


☻ 4’ - Luan arrisca um chute de fora da área, Fábio espalma e Dedé alivia o perigo.


☺7’ – Egídio recebe um bolão de Marquinhos Gabriel e recebe o empurrão de Guga. Falta que Robinho cobra de curva, mas, a bola passa por todo mundo e saiu do outro lado.


☺9’ – QUE CHANCE ! - Egídio combina com Henrique e recebe na frente, livre, cruza para Rodriguinho, que serve Robinho, que desliza no chão e chuta para defesa de Victor, no rebote Chará dá um bico na bola para a lateral afastando o perigo.


◘ Cazares sentiu a virilha e dá lugar a Vinícius.


☺ 20’ – QUASE ! – Vinícius recua mal a bola e Marquinhos Gabriel disputa na corrida com Léo Silva, mas, no último passo dá um vacilo e perde a bola para o zagueiro que saiu jogando.


☺ 23’ – Robinho acha Fred na área marcado por Igor Rabello. O centroavante ajeita para Rodriguinho, que chuta e a bola raspa a trave esquerda de Victor que cai atrasado.


☻ 42’ - Vinícius cobra a falta da esquerda para a direita, em curva, Luan se desprende da marcação de Romero e cabeceia. A bola trisca no travessão antes de sair. Mas o bandeira já teria anulado a jogada marcando impedimento do meia atleticano.


☺ 45’ - GOL DO CRUZEIRO – O time atleticano vacila na saída de bola, o Cruzeiro recupera no meio e lança Fred que dá um passe precioso para Marquinhos Gabriel, que avança e bate forte de canhota para o gol da entrada da área. A bola desvia em Léo Silva e vence o goleiro Victor, que igual batatinha, espalha a rama pelo chão. E saiu o camisa 20 festejando com a torcida cruzeirense o gol. Cruzeiro 1 x 0 Atlético. Vai buscar lá dentro Victor.

Marquinhos Gabriel comemorando o primeiro gol do Cruzeiro na partida. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro


Resumo da etapa inicial: O Cruzeiro levou sempre vantagem nos confrontos no lado esquerdo ofensivo com Egídio e Marquinhos Gabriel em cima de Guga. Do outro lado, Edílson se apresentava, mas, não conseguiu acertar nenhum cruzamento.


O time atleticano insistiu no jogo aéreo e Dedé foi soberano pelo alto, quando não foram nossos beques, apareceu Fábio com suas boas defesas. Mas, foi um jogo de ritmo mais lento e arrastado que eu esperava que o Cruzeiro fosse propor.


Fim do 1º tempo aos 49’ (muitas paralisações por faltas, 3 cartões e a substituição de Cazares).


◘ Luan sentiu a coxa e saiu dando lugar a Maicon Bolt.


☺ 48’ – GRANDE CHANCE - Cruzeiro vai ao ataque. Marquinhos Gabriel avança pela esquerda, dribla a Guga com facilidade, entra na área e cruza na diagonal, para trás, Fred pega de primeira, a bola explode na defesa.


☻ 53’ – FÁBIO salva o Cruzeiro – Num contra-ataque a bola fica limpa para Ricardo Oliveira, na área, pelo lado esquerdo da defesa celeste. Ele chuta forte e Fábio evita o gol do empate, com defesa do chute à queima-roupa. Na sobra, Vinícius arrisca o chute, a bola explode em Henrique e vai a lateral. O time atleticano tenta induzir toque de mão. Segue o jogo.


☻ 55’ - GOL DO ATLÉTICO-MG – Chará tabela com Fábio Santos e depois com Vinícius que mete a bola nas costas de Edílson para Chará. Dedé chega na cobertura desvia a bola, que pega na chuteira de Chará e sobra limpa na frente. Ele cruza na medida para Ricardo Oliveira, que de perna esquerda, manda para a rede, vencendo a Léo e Egídio que se jogam na bola. Tudo igual no Mineirão – Cruzeiro 1 x 1 Atlético-MG.


☺ 60’ - GOL DO CRUZEIRO – Num lance pelo lado direito Marquinhos Gabriel disputa com Adílson e Fábio Santos. A bola desvia no volante atleticano e sai em escanteio. A infração foi cobrada por Robinho, Dedé desviou de cabeça, e a bola fica para Léo no lado esquerdo, quase na entrada da pequena área. O zagueiro bate, quase caindo, cruzado e manda no canto esquerdo de Victor. E saiu numa alegria incontida celebrando o seu gol com a torcida cruzeirense. Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG. De novo em vantagem no confronto. Jogadores do Atlético reclamaram muito após o segundo gol cruzeirense, alegando que não houve escanteio. Demorou um pouquinho, mas o árbitro confirmou o gol (não poderia ser diferente, porque escanteio não faz parte do protocolo do VAR). Até Mano Menezes deu uma conversada acalmando os atleticanos, mostrando que a reclamação seria infrutífera.


◘ 67’ - Pedro Rocha x Rodriguinho que sentiu contusão após falta dura de Adílson.


◘ 72’ – Lucas Romero x Ariel Cabral. O camisa 29 fora advertido com o amarelo.


☻ 73’ – IMPEDIDO - Ricardo Oliveira é lançado por Bolt, ajeita o corpo e bate. Mas pega mal na bola, que vai por cima. Mas, o atacante estava claramente impedido.


☺ 76’ – QUASE - Robinho cobra escanteio da esquerda, Dedé desvia de cabeça, e a bola passa perto do gol de Victor.


◘ 77’ – Robinho x Rafinha. O camisa 19 sentiu cansaço. Atuou nas últimas 10 partidas.


☺ 79’ – VICTOR SALVA O TIME CACAREJANTE - Fred recebe de Rafinha no ataque, toca para Marquinhos Gabriel na meia lua da grande área. O meia bate bem de perna direita, mas Victor faz grande defesa no seu canto direito, espalmando a corner.


☺ 80’ – GOL MAL ANULADO - Na cobrança do escanteio, Egídio cruza para a área em curva. Fred disputa a bola no alto com Léo Silva e cabeceia para o gol e sai fazendo a festa. Porém, na revisão do lance com o auxilio do VAR o árbitro anula o gol, erradamente, ao dizer que a bola bateu na mão de Fred, não intencionalmente. Se o lance foi involuntário, não deveria ter anulado o gol.


◘ 86’ – Ricardo Oliveira x Geuvânio. O treinador atleticano aposta tudo na velocidade.


☻ 90’ – CHARÁ PERDEU chance clara - Atlético troca passes, Geuvânio faz boa jogada pelo lado direito do ataque, já na área, e cruza para o meio da área. Chará chuta disputando com Dedé e erra mandando para fora.


Após este lance o clássico foi marcado por sucessão de faltas e cartões amarelos. Tanto assim, que o jogo que iria até os 96’ só acabou aos 100’, após as expulsões de Rafinha e Adílson.


Resumo da etapa final: Jogo muito disputado, com chances de lado a lado. O Cruzeiro mereceu vencer a partida, pena não ter dilatado o placar e aumentado a vantagem. Claramente o time atleticano pareceu satisfeito em ter perdido de pouco, julgando que conseguirá reverter a vantagem jogando no Horto frente à sua torcida. Tanto isto é verdade que Victor tomou cartão amarelo por demorar a fazer a reposição de bola aos 88’. Não foi um jogo tecnicamente brilhante, mas, como todo clássico que se preza teve emoção até o instante final.


A SÚMULA DO JOGO: CRUZEIRO 2 x 1 ATLÉTICO-MG


♦ Motivo: jogo de ida – fase final – campeonato mineiro de 2019

♦ Data, Local, Horário: 14/04/2019, Mineirão, Belo Horizonte, 16:00 h

♦ Gols: Marquinhos Gabriel (aos 45’1ºT), Ricardo Oliveira (aos 10’2ºT), Leo (aos 15’2ºT)

♦ Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ) + Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Michel Correia (RJ) + VAR: Bruno Arleu de Araújo

♦ Cartões amarelos: Luan, Ricardo Oliveira, Maicon Bolt, Fábio Santos, Adilson, Leonardo Silva, Victor (Atlético); Fred, Henrique, Lucas Romero, Edilson, Marquinhos Gabriel, Rafinha (Cruzeiro)

♦ Cartões vermelhos: Rafinha (Cruzeiro); Adilson (Atlético)

♦ Público Presente: 51.032 +++ Público Pagante: 44.650

♦ Renda: R$ 1.952.766,00 (ticket médio = R$ 43,73)



☺ Cruzeiro: Fábio, Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Lucas Romero (Ariel Cabral) e Henrique; Robinho (Rafinha), Rodriguinho (Pedro Rocha) e Marquinhos Gabriel; Fred.

DT: Mano Menezes.



Imagem: Twitter Oficial do Cruzeiro





☻ Atlético-MG: Victor; Guga, Léo Silva, Igor Rabelo e Fábio Santos; Adilson e Elias; Luan (Maicon Bolt), Cazares (Vinícius) e Chará; Ricardo Oliveira (Geuvânio).

DT: Rodrigo Santana (estreante).




Imagem: Twitter Oficial do Alt.Mineiro
















☻ As homenagens da coluna de hoje vão para: Amanda Vargas (que brilhou ao levar a nossa vovó para conhecer o Fred e ganhar a camisa do seu ídolo), Lívia Lima, Maria Cruzeirense, Sídney Jr., João Henrique F. Castro, Vânder Araújo, Álvaro Jr., Shara Rodrigues, Lincoln Salles, Gil Campos e Jorge Angrisano Santana . E para comandar este timaço, convoco o Harry Assaf como treinador, pois as qualificações dele são de excelência (conhece muito de futebol).

Depois de um vídeo viralizar na internet durante a semana mostrando a torcedora D.Alzira de 102 anos ganhando uma camisa celeste e elogiando Fred, o atacante fez questão de dar um abraço pessoalmente.

☻ E de Conceição do Mato Dentro e Região: Ronaldinho Rajão, Leonardo Francisco Mattos, Cristiano “Titi” Lazzarini, Cristiano Simões, Otacílio Costa Neto, Renato Lima Guimarães, Antônio Lúcio Carneiro Motta, Antônio Lúcio Carvalho Ferreira, Flávio Martini Ribeiro (Loulê), Antônio Costa Ferreira Filho e Antônio Geraldo da Silva Neto. E para comandar este timaço convoco Joaquim Luiz de Araújo Costa, um grande cruzeirense, que nunca perdeu um clássico RapoCota na terra.


Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido


Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte



Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco