• Vinícius Fortunato

Cruzeiro 2x1 Goiás: Quando o Cruzeiro ganha, BH fica "daora”

Salve Nação Azul, como diria aquele ditado famoso, “quando o Cruzeiro ganha, BH fica daora”.


Pois bem, ontem foi dia de mais uma vitória no Brasileiro, porém foi dia de mais uma atuação abaixo da média e contra um adversário que possivelmente não irá figurar na parte de cima da tabela.


O time do Mano sempre tem esta queda de rendimento nesse fim do primeiro semestre, foi assim em 2017 quando perdemos o Mineiro, saímos da Sula e quase fomos eliminados da Copa do Brasil pelo São Paulo. Foi assim também ano passado, com uma derrota para o Alt. Mineiro no jogo de ida da final. Então, não me preocupa muito com essa queda de rendimento, o que me preocupa é que mesmo com elenco para disputar o Brasileiro, o Cruzeiro parece, às vezes, não ligar.


Enfim, vamos falar do jogo. O Cruzeiro entrou em campo com muitas mudanças em relação a sua última partida, Orejuela no lugar de Edilson, Egídio entrou na vaga de Dodô, Lucas Silva fez a do Romero, Pedro Rocha no lugar de Marquinhos Gabriel e por fim Rodriguinho iniciou a partida no lugar de TN10. As mudanças também resultaram em algumas alterações no plano tático do time. Os onze que iniciaram a partida formavam um 4-1-4-1, Mano trouxe Robinho para o meio para jogar ao lado de Rodriguinho, Henrique era o jogador aberto na direita cobrindo as subidas de Orejuela, Lucas Silva era o responsável por fazer a saída de bola, que por sinal tem sido muito criticada quando jogam Henrique e Romero juntos.


A formação e as mudanças parecem não ter surtido efeito, o Goiás marcava muito bem as ofensivas do Cruzeiro e acabava povoando sua área defensiva, deixava a intermediária livre para a raposa trabalhar, porém se trancava depois disso. O resultado foi uma posse de bola maior do time celeste, porém sem muito perigo. Para quebrar essa forte linha de marcação faltaram principalmente duas ações, a jogada do 1x1 e as tabelas rápidas. A primeira era quase que nula devido a fraca partida feita por Pedro Rocha, o atacante pouco fez no jogo, já as tabelas pouco eram aproveitadas, a primeira surgiu só aos 20 minutos de jogo, quando Fred e Robinho fizeram uma ótima trama, o camisa 9 ficou em uma boa posição para finalizar mas acabou chutando para fora. O primeiro tempo em resumo era isso, posse de bola sem objetividade, isso acabou se mantendo até o juiz soar o apito final da primeira etapa.


O segundo tempo já começou movimentado, logo aos três minutos Egídio cobrou falta curta achando Pedro Rocha livre na esquerda, o atacante teve tempo de parar levantar a cabeça e achar Dedé dentro da área, o zagueiro aproveitou a oportunidade e testou firme, marcando seu primeiro gol na temporada, Cruzeiro 1x0.

Dedé comemora o gol marcado, o primeiro dele na temporada. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro


Mano Menezes parece ter alertado seu time quanto ao espaço que o Goiás cedia na intermediária, isso fez com que o Cruzeiro arriscasse mais de fora da área. Logo após o gol tivemos duas boas chances, Lucas Silva e Egídio quase marcaram belos gols em seus arremates.


Eu já estava imaginando que o jogo iria encaminhar para aquele 1x0 maroto do Mano Ball, quando aos 11 minutos da etapa complementar o Goiás chegou ao gol de empate com Michael. Bola de ataque pela esquerda, o time celeste pecou na recomposição, Pedro Rocha não acompanhou o ataque, deixando Henrique sozinho na esquerda, Egídio estava por dentro, bola na área, chute quase da marca do pênalti, Fabio faz uma grande defesa, mas no rebote a bola sobra para Michael que finaliza e faz o gol de empate.


O resultado não mudou em nada o clima do jogo, o time esmeraldino continuava se fechando atrás e deixava o Cruzeiro com a bola. O time celeste por sua vez continuava sem a jogada individual e sem as tabelas, de perigo mesmo só os chutes de média distância, Robinho aos 16, Lucas Silva aos 23 e Thiago Neves aos 30, todos com perigo, mas não alteraram o placar.


O relógio já marcava 35 minutos, a bola chegou ao lado esquerdo, Egídio fez uma boa jogada se livrando da marcação e com tempo e espaço a canhotinha do tremilique é fatal, bola alçada na área e Rodriguinho concluiu de cabeça, Cruzeiro 2x1. Dodô é um excelente jogador, mas é nítido o quanto o Cruzeiro ganha ofensivamente com Egídio, é ao lado do Robinho quem mais dá passes para gols no elenco.

Com boa jogada de Egídio, Rodriguinho marca o segundo gol do Cruzeiro. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Depois disso o jogo ficou mais devagar do que já estava, Cruzeiro controlou o jogo e levou os três pontos alá Mano Ball.


O próximo compromisso celeste é na quarta-feira contra o Emelec, o jogo marca o final da fase de grupos da Libertadores, vamos em busca do primeiro lugar geral. Pelo Brasileirão, parada dura pela frente, vamos a Porto Alegre enfrentar o Inter no próximo domingo.


VAMOOOOOOOOOOO CRUZEIROOOOOOOOOOOOOOO!!!



FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO 2 X 1 GOIÁS Motivo: 3ª rodada do Campeonato Brasileiro Data: domingo, 4 de maio de 2019 Horário: 16h Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG) Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ) Assistentes: Bruno Silbert Faria Sisquin e Luiz Claudio Regazoni (Ambos do RJ) VAR: Paulo Roberto Alves Júnior (PR) Gols: Dedé e Rodriguinho (Cruzeiro) e Michael (Goiás) Cartão amarelo: Giovanni Augusto (Goiás) e Rodriguinho e Fábio (Cruzeiro) Cartão Vermelho: Giovanni Augusto (Goiás) Público Presente: 19.735 Público Pagante: 15.259 Renda: R$ 214.018,50


CRUZEIRO: Fábio; Orejuela (Jadson), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Thiago Neves), Rodriguinho e Pedro Rocha (David); Fred Técnico: Mano Menezes GOIÁS: Tadeu; Daniel Guedes, David Duarte, Yago e Jefferson; Geovane, Léo Sena e Giovanni Augusto (Renatinho); Michael, Leandro Barcia (Marlone) e Kayke (Junior Brandão) Técnico: Claudinei Oliveira


Por: Vinicius Fortunato - @fortunatoxD


Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco