• Ezequiel Silva

Está chegando a hora!

Após quase noventa dias de preparação, bons jogos e inúmeras experiências na formação da equipe, o Cruzeiro se apresenta para o seu último teste antes de recomeçar a sua jornada na infernal Série B, em abril. O Maior de Minas enfrenta, no próximo sábado, o Atlético Mineiro pela final do campeonato estadual, e o técnico Paulo Pezzolano terá outra oportunidade para avaliar os seus comandados.


O Cruzeiro chega motivado para essa última avaliação do conjunto; até aqui, na temporada, disputou 15 partidas, venceu 11, empatou uma e sofreu 3 revezes. Edu é o artilheiro da equipe com 9 gols marcados; ele é seguido de perto pela joia Victor Roque, que já foi às redes em 6 ocasiões na atual temporada.


Além dos dois citados acima, vimos até aqui bons nomes atuando e evoluindo dentro do campo. No entanto, qualquer avaliação além disso, na minha opinião, ainda é precipitada. O Campeonato Mineiro em nada oferece a mesma dificuldade das competições nacionais, prestando-se puramente para ser usado como um certame de testes.


Depois da final estadual, o Cruzeiro terá mais uma semana para se preparar para o duelo de estreia diante do Bahia, na sexta-feira (8), em Salvador. E aí sim, é foco total no objetivo principal, com time e torcida unidos no mesmo propósito.


Independente do resultado de domingo diante do rival local, o pensamento coletivo cruzeirense precisa estar concentrado em apoiar o elenco, o técnico e a sua comissão em busca do acesso no final da temporada. Apesar das intempéries que sabemos que virão nesse duelo na Pampulha, o foco não pode ser perdido.


Por outro lado, mais precisamente no Barro Preto, os bons cruzeirenses tentarão manter ainda viva a esperança de uma Nação. Espera-se que sejam discutidos os pontos burocráticos, que costurem a melhor solução, mas que o pensamento de todos esteja unicamente voltado para manter o Cruzeiro de pé e pronto para o futuro.


Tanto na reunião explicativa do dia 31 de março quanto na votação definitiva do dia 4 de abril, não há outro resultado possível, neste momento, senão a permanência de Ronaldo Nazário no comando da SAF Cruzeiro. Qualquer decisão que vá em desencontro dessa possibilidade retrocederá em pelo menos dois anos tudo o que foi minimamente reparado depois do desastre ao qual o clube foi submetido.


É o período final de testes e ajustes dentro de campo, e de decisões importantes para o nosso futuro nos bastidores. É hora, mais do que nunca, de união.

Torcida e time unidos no mesmo propósito, esse é o espirito do Cruzeiro de Paulo Pezzolano. Foto: Staff Images


Vamos, Cruzeiro!


Um abraço aos amigos do DebateZeiros.



Por: Ezequiel Silva - @ezequielssilva89

Edição: Renata Batista - @Re_Battista