• Wagner Jerônimo

A MARCA CRUZEIRO MERECE RESPEITO

Cruzeiro Esporte Clube é a maior glória esportiva do Estado de Minas Gerais. Nenhum clube em Minas ganhou tantos títulos, participou de tantas competições importantes e confrontou de igual pra igual, as receitas milionárias de times do famoso Eixo- Rio São Paulo, com times competitivos, como o clube celeste. São várias as conquistas, vários os feitos históricos, e vários momentos especiais, para uma instituição tão vitoriosa, e que ainda não completou um centenário de existência.

Marca "La Bestia", utilizada em campanhas nos canais de comunicação da Raposa e em produtos oficiais. Foto: Cruzeiro/Divulgação


São vários momentos históricos vividas pelo clube, desde a década de 1960, em especial em 1966, onde venceu a vitoriosa e mística equipe do Santos de Pelé se sagrando o primeiro clube mineiro campeão brasileiro. Na década de 1970, em especial em 1976, quando se tornou o primeiro clube de minas a ganhar a Libertadores, provando que o Cruzeiro não seria um clube apenas de feitos regionais. Passou por momentos duros de escassez de títulos nos anos 1980, mas que voltou com força total na gloriosa e brilhante década de 1990.


A década de 1990, aos anos 2000, e se passando pelos anos de 2010, notabilizou o Cruzeiro Esporte Clube como grande conquistador de títulos em Minas Gerais. Foi o primeiro clube mineiro a vencer a Copa do Brasil, venceu a Libertadores da América pela segunda vez, ganhou mais três vezes o Campeonato Brasileiro, venceu ao todo cinco copas do Brasil, tudo isso, sendo uma instituição esportiva fora do eixo econômico brasileiro e fora da visibilidade nacional, dos meios de comunicação do país.


Atualmente, como o torcedor cruzeirense sabe, o time vem forte em busca das conquistas das copas, tanto a do Brasil, quanto a Libertadores. O Campeonato Brasileiro, bem ao estilo do treinador, muito provavelmente, o Cruzeiro levará a competição com menos intensidade e interesse, como acontece nas outras competições de mata a mata. E justamente nessas competições de mata a mata, o clube deposita todas as suas esperanças, de reafirmação no âmbito nacional e internacional, da sua tendência natural se ser um clube mineiro copeiro e conquistador de títulos.


Sendo o clube tão vitorioso, ganhador de títulos e atualmente passando por um momento muito bom, mesmo apesar das suas dificuldades e limitações econômicas, valor de patrocínio não condizente a grandeza do clube, cotas de TV inferior aos clubes do eixo frente aos times do Rio e São Paulo, é admirável ver como o Cruzeiro consegue ser competitivo, e lutar por títulos de expressão, mesmo sem ter a mídia que merecia, o retorno financeiro que merecia, por tudo que já conquistou, mesmo estando em uma unidade federativa do Estado, importante para o Brasil, mas incrivelmente, não importante para o mercado financeiro.


Em 2018, alguns parceiros vêm reconhecendo o valor da marca Cruzeiro, e vem investindo no clube. Não quero me atentar pra valores, mas, a associação de novas empresas ao clube, dará ao que se espera, um certo retorno financeiro, e ajudará nas finanças do futebol do time mineiro. E claro, isso acontece, pelo momento atual da equipe, que no contexto geral, apresenta um bom futebol, que o credencia a ganhar títulos importantes ainda nesse ano.



*ABC da Construção: Patrocinador que estampa sua marca no lado esquerdo do calção do clube, acima das cinco estrelas. Parceria Fotos: Divulgação/Cruzeiro










A marca Cruzeiro merece reconhecimento e respeito. Como sabemos, as finanças do clube apesar de todo o contexto apresentado acima, é bastante inferior aos clubes midiáticos, dos grandes centros econômicos. E pra se ter um elenco competitivo por todo ano, custa dinheiro. Custa caro! Elenco do Cruzeiro é caro, e só se manterá, se estiver conquistando títulos e participando de competições importantes, principalmente a Libertadores da América.


E assim trabalha a nova diretoria celeste, nessa dualidade na tentativa de busca de parceiros para reforçar o caixa, e contando com o empenho da comissão técnica e jogadores, para manter o clube, como destaque e competitivo nas competições em que disputa, mesmo sem a mesma visibilidade, e recursos que merece, mesmo tendo a sua valorosa história de conquistas, e pelo grande momento dentro das quatro linhas que o clube vive.

Caixa Econômica Federal, patrocinador Master do Cruzeiro. Foto: Vinnicius Silva


As dificuldades dos times fora do eixo sempre serão essas, essa ambiguidade de ter que conquistar títulos, mesmo sem recursos financeiros condizentes, nessa discrepância e injustiças que é o futebol brasileiro. Mas como o Cruzeiro é um clube especial, e com natural ascendência aos demais clubes, com as suas páginas heroicas imortais, a tarefa do clube, e da nova diretoria é atrair patrocínios para manutenção um elenco forte, como gosta o torcedor cruzeirense. Tarefa árdua, mas se fosse fácil, seria a Libertadores da América de 2013... Brincadeiras a parte, por hoje é isso!


Grande abraço, grande fim de semana a todos, e até sexta que vem!


Por: Wagner Jerônimo - @Wagner_BSKT

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco