• Vinícius Fortunato

Nove milhões órfãos de pai!

Oi pai, aqui é um dos seus filhos, um dos não tão próximos, mas um daqueles 9 milhões que ficaram órfãos de você. Talvez por não ser um dos mais próximos como eu disse, eu não consiga expressar com tanta precisão o que você representava para todos nós, mas eu vou tentar...

Arte: Filipe Ikis

Bom, vamos lá...


Primeiramente, obrigado! Eu sou mais um daqueles torcedores sem voz, vagando por redes sociais, sem um sobrenome italiano, ou cota no clube social, mas sedento por de alguma forma fazer parte do Cruzeiro.


E foi mais ou menos assim que o Pablito me achou, de acordo com uma conversa na DM do Twitter, nosso primeiro contato foi no dia 29/12/2015. Foi quando ele fundou o GDT (Galera do Twitter), de lá pra cá eu acredito que o GDT tenha tido uns 30 grupos, de tantos filhos e filhas que ele foi acumulando.


E te falar, depois daquele 29 de dezembro eu virei um dos seus filhos e conheci muitos irmãos, grandes amigos e amigas que eu via no Mineirão ou espalhado pelos estádios Brasil a fora.


Cada dia que passava eu admirava mais o “PAI”. Eu nunca vi um cara tão engajado em suas ideologias, sempre tinha uma camisa para doar pra quem não tinha dinheiro, sempre solícito quando alguém o chamava. Fico imaginando como alguém conseguia administrar uma DM de 70 mil seguidores, cara, isso é loucura! Mas o homem dava conta e nunca deixou sequer um de seus filhos no vácuo.


De 2015 pra cá tivemos bons momentos, acho que na nossa curta amizade, 17 e 18 foi o momento que mais vi esse cara feliz, ainda lembro do dia que por meio dele realizei mais um dos meus sonhos, conheci a Toca 2. Pablito foi um dos responsáveis por um projeto sensacional, o “mídia day”, que transformava torcedores comuns como nós em jornalistas por um dia e sim, lá estava eu, primeira fila da sala de imprensa do Cruzeiro, fazendo uma pergunta para o Romero, foi um dia insano. E ao sair do CT, estavam reunidos Tinga e Klaus, sentados na escada, olhando o campo de treinamento e o “PAI” disse assim:

“Senhores, vamos trazer essa Copa do Brasil pra gente” e o Tinga respondeu “Estamos trabalhando para isso”.


E assim foi, o desejo de Pablo Roberto foi atendido, pentacampeões.


E a felicidade não parou por aí, o hexa veio no ano seguinte. A gente parecia viver em um verdadeiro conto de fadas, lembro de um Cruzeiro x Flamengo no Maraca, descendo a rampa cantando o hino, depois de ter copado o estádio mais famoso do Brasil. É meu caro, que época boa.


Porém, nem tudo são flores, 2019 veio e com ele o pesadelo começou. Mas foi aí que eu mais te admirei, quando eu vi que você realmente era um pai para todos nós. Pablito se fez de escudo e decidiu tomar todas porradas possíveis pra que a gente não sofresse tanto. Daí veio lives, vaquinhas e tantas outras ações que você fez pra levantar esse clube novamente.


Ah! E não posso deixar de mencionar, hoje sou sócio do clube, em 2 anos posso até ser conselheiro e se um dia isso se concretizar quem é que assinou meu contrato de associado? Acho que não preciso nem falar, né?


Lembro de uma das nossas últimas conversas, eu falei pra você “Pai, você tem que virar conselheiro cara, precisamos renovar aquilo” e você refutando, falando que aquilo não era para você, que você veio da arquibancada e sempre será dela e eu concordo. Aquele superior amarelo deveria se chamar “Cantinho do Pai”, porque aquilo lá é seu, amigo.


Um dia eu vou ter que explicar para meus filhos o que é ser torcedor do Cruzeiro, eu vou levá-los ao muro da sede do Barro Preto, vou mostrar sua foto que estará ao lado de Dona Salomé e vou contar sua história. Eu vou explicar pra eles que a gente pode ser Cruzeiro pelo Cruzeiro, sem querer fama, sem querer fazer politicagem e o mais importante que para mim sempre foi sua maior virtude, para ser Cruzeiro a gente tem que entender que TODOS SÃO IMPORTANTES, não importa se a pessoa é de BH ou do interior, se tem dinheiro ou não se é torcedor de rede social ou de organizada. Então, se eles entenderem 50% do que VOCÊ É, eles já serão grandes cruzeirenses.


Com você eu aprendi que eu tenho voz, que eu sou importante, que eu sou o Cruzeiro e que por ser Cruzeiro, eu sou GIGANTE.


Descansa “PAI”, eu prometo que assim com dizia na sua tag, seu legado será eterno. Eu prometo que vou lembrar a todo momento que TODOS SÃO IMPORTANTES e com todos juntos vamos reconstruir o nosso amado Cruzeiro e ai de cima você vai se orgulhar de todos nós.


Obrigado por tudo, Pai! Hoje eu perdi um amigo e o Cruzeiro perdeu um de seus maiores Cruzeirenses. Olhe por nós ai de cima junto a Dona Salomé, Batata, Seu Felício e tantos outros.


Para finalizar, peço licença ao mestre Nolasco, mas eu achei que ele foi muito feliz ao dizer a seguinte frase:

“Vai lá Pai, vai ser cinco estrelas (...)”



Por: Vinicius Fortunato - @fortunatoxD

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco