O primeiro mês da gestão de Sérgio Santos Rodrigues

Mundo Azul,

 

Rumo à Reconstrução – Em primeiro lugar quero iniciar esta coluna elogiando a disposição e a inteligência do Sérgio Santos Rodrigues na composição do seu time de trabalho. Junto com ele assumem Lidson Potsch Magalhães (1º vice-presidente) e Biagio Teodoro Peluso (2º vice) na composição da diretoria que nos comandará até o final do ano. O retorno de profissionais de competência comprovada como Divino Alves Lima reconduzido à Diretoria Financeira, será muito importante nesta fase inicial exatamente por ser do meio, ter grande “network” o que vai nos facilitar ter acesso a recursos financeiros, no cenário atual com condição ainda mais agravada pela PANDEMIA. Esta hora requer credibilidade.

 Presidente Sergio Santos Rodrigues. Foto: Igor Sales | Cruzeiro

 

A volta de Marco Antônio Lage para atuar como CEO do Instituto Palestra Itália, que cuidará das celebrações do centenário e inicialmente não irá se desincompatibilizar do seu cargo de Diretor de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da CEMIG, também é fundamental neste processo de reconstrução do clube. Na área de Projetos Incentivados quem voltou foi Deis Chaves. Entretanto, uma das pessoas mais queridas que jamais deveria ter saído do Cruzeiro e voltou foi a Rita de Cássia, que vai atuar junto a Marco Antônio Lage na construção do Memorial e Museu do Cruzeiro.

 

A promoção interna do sensacional e competente cruzeirense Alisson Guimarães (Comunicação) e a manutenção de Renê Salviano que desde junho do ano passado havia optado em abrir mão de sua posição de conselheiro do clube para seguir como Diretor Comercial e de Marketing foram duas ótimas escolhas do presidente. Já no mundo do futebol ocorreu a promoção de Pedro Moreira (agora na Gerência de Futebol) que vai se juntar a Ricardo Drubscky agora como Diretor de Futebol Geral  e Deivid que volta ao clube como Diretor Técnico de futebol (fará o elo entre a diretoria e os jogadores além de participar, junto ao nosso ídolo eterno Dirceu Lopes Mendes, da gestão do futebol das categorias de base do clube à revelar jogadores da base, num trabalho integrado). Como Supervisor de Futebol permanece Benecy Queiróz que muitos não perdoam pela entrevista dada em tom jocoso ao grande jornalista Orlando Augusto no seu famoso programa Jogada de Classe, quando celebrava 45 anos de serviços prestados ao clube.

 

A seguir vou destacar alguns desafios que terá o nosso presidente neste segundo semestre de 2020:

 

♦ AÇÕES NA FIFA - O presidente assumiu o clube num momento ainda mais difícil porque o Conselho Gestor, que acertou em várias ações que adotou durante os cinco meses que ficou à frente do processo até as eleições de 21 de maio, sendo merecedor de elogios por isto, errou demais no instante final e de forma absurda não pagou os tais R$ 5 milhões para evitar a perda de 6 pontos do caso Denílson – Al Wahda (FIFA).


E se o novo presidente bobeasse logo de cara teve o caso William – Zorya (R$ 11 milhões), felizmente resolvido com competência. Para este resto de 2020 ainda deverão ser apreciados os casos do zagueiro Rafael Sóbis – Tigres (R$ 11 milhões para o dia 20/07) e de Pedro Rocha – empréstimo junto ao Spartak Moscou (R$ 2 milhões), recursos que inicialmente deverão seriam supridos com a venda de uma de nossas promessas (Jádson, Cacá, Maurício, Thiago, Marco Antônio, Caio Rosa, entre outros). Ainda tem o caso de Kunty Caicedo – Independente Del Valle (R$ 5 milhões) que pode entrar até o fim do ano.

 

♦ NEGOCIAÇÃO COM A MINAS ARENA – Felizmente já houve um acerto no tocante aos valores. A dívida segundo os cálculos da administradora do Mineirão era de R$ 46 milhões. Houve um acerto para que o Cruzeiro pagasse apenas R$ 19,3 milhões. Há um depósito judicial bloqueado de R$ 10 milhões. Os outros R$ 9,3 milhões seriam pagos a partir de maio de 2022 em 10 parcelas de R$ 930 mil. O contrato de fidelidade proposto pela Minas Arena ao Conselho Gestor do Cruzeiro previa ainda o uso dos tais “Naming Rights”, que permitiria ao Cruzeiro a isenção do pagamento do aluguel além da divisão dos lucros com a Minas Arena. As únicas divergências se referem à duração do tal contrato de fidelidade e com a cláusula de pagamento das despesas do estádio (originalmente o Cruzeiro pagava 70% e a Minas Arena insiste em 100% das despesas) e rateio das arrecadações com estacionamento, bares e da esplanada. Em função disto, o presidente se reuniu com o presidente da Minas Arena (Samuel Lloyd) e nos próximos dias será assinado um novo pacto que permita ao Cruzeiro continuar atuando no Mineirão pelos próximos anos, afinal ali é mesmo a Toca da Raposa III.

 Mineirão. Foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press

 

♦ MANTER OS SALÁRIOS EM DIA – Pode parecer fácil porque hoje o teto é de R$ 200 mil e os garotos mais novos ajudam a puxar a folha para baixo. Até aqui, o Cruzeiro vem honrando os compromissos e até onde se sabe construiu um grupo que tem bom relacionamento entre os atletas. Este esforço feito com a ajuda do Conselho Gestor nas negociações e no corte feito foi muito importante, mas, tanto jogadores como funcionários com os salários em dia renderão mais do que podem.

 

♦ A MONTAGEM DO ELENCO QUE ENDERSON MOREIRA VAI CONDUZIR NA SÉRIE B E QUE AINDA CARECE DE AJUSTES:

 

- Goleiros (4): Fábio, Lucas França, Victor Eudes e Vinícius. O Cruzeiro está muito tranquilo nesta função.

 

- Lateral direita (2): Raul Cáceres e Jean. – Com a chegada de Cáceres o Cruzeiro equilibrou a função. Jean, Jadsom e até mesmo o garoto Guilherme Liberatto da base podem atuar na função.

 

- Zaga (6): Cacá, Léo, Marllon, Arthur, Ramon e Dedé (recuperando de contusão) – Ao contrário de muitos cruzeirenses eu torço para que Dedé se recupere e volte ao time. Ele é fator de diferenciação especialmente no jogo aéreo. Se o Cruzeiro tiver que se desfazer também do Cacá, na base tem os garotos Jonathan e Paulo, muito potencial.

 

- Lateral-esquerda (3): Patrick Brey, João Lucas e Marcelo Hermes – Com Enderson Moreira no Ceará, o João Lucas raramente jogava. Aqui não começou bem a temporada. Marcelo Hermes oscilou muito no Goiás e Patrick Brey no Coritiba atuou tanto na LE como no meio-campo, numa outra formação tática. Para mim começa como titular.

 

Volantes (6): Jadsom, Adriano, Henrique, Ariel Cabral, Pedro Bicalho, Filipe Machado. – Gostaria muito de ver os meninos atuando ao lado de um atleta mais experiente. Filipe Machado mostrou muita qualidade nas bolas paradas e espírito de liderança, mas, andou dando umas vaciladas que deixaram a torcida nervosa. Jean chegou com a temporada em andamento e é outra opção para esta função, ao lado de Patrick Brey. Desconfio que racionalização poderá ser feita nesta posição.

 

Apesar de gostar demais do futebol de Lucas Romero entendo que o momento financeiro do Cruzeiro seria impeditivo à sua volta neste momento. E considero que o presidente fez uma proposta que o Cruzeiro teria condições de arcar com a mesma.

 

Meias (5): Régis, Everton Felipe, Marco Antônio, Maurício e Riquelmo – Nesta função o Marco Antônio é o único destro e tem características diferentes dos demais. Maurício pode atuar pelos lados do campo ou por dentro e é ambidestro. Já Régis e Éverton Felipe são armadores canhotos, bons preparadores, mas, vindo de temporadas fracas. Éverton Felipe até aqui não mostrou a real capacidade dele, o que é preocupante. O garoto Riquelmo é outro meia de ligação de pé direito e de apenas 18 anos, se juntou ao grupo a pedido do Enderson Moreira. Gosta do drible em progressão e já deu muito trabalho nos treinos. Mas, confio muito na composição e conformação tática que Enderson Moreira vai dar ao grupo, que permitirá explorar o potencial destes atletas.

 

- Atacantes (5): Ângulo, Wellington, Judivan, Guilherme Mendes, Stênio – Nesta função, o elenco tem 3 jovens jogadores e mais o Judivan, que espero tenha se recuperado mais. O garoto Ângulo tem muita movimentação e posicionamento inteligente pelos flancos. Guilherme Mendes veio como oportunidade do investidor, joga mais pelos lados, mas, fecha no lado contrário e sabe fazer gols. Wellington tem velocidade espantosa e certamente será a opção de velocidade muito usado por Enderson com o time tendo vantagem no placar. Se bem orientado, vai dar ótimo resultado. O garoto Stênio de apenas 17 anos treinará com o time principal. Tem uma personalidade incrível. Parte para cima da defesa e passa mesmo. Muito potencial e visão de jogo.

 

- Centroavantes (4): Marcelo Moreno, Vinícius Popó, Thiago, Roberson – O titular é Marcelo Moreno, de forma indiscutível. Os garotos Popó e Thiago são atletas de muito recurso e grande potencial, esta será a temporada de estreia. Vão oscilar, mas, aposto muito em ambos. Roberson não aprovou até aqui.

 

- O time base no 4-2-2-2 para começar teria: Fábio, Cáceres, Cacá, Léo e Patrick Brey; Henrique (Ariel Cabral) e Jádson (Jean); Maurício e Régis; Ângulo e Marcelo Moreno.

 

- OPINIÃO: O elenco tem 35 jogadores e numericamente teria que ter 32 em condições de uso, incluindo o Dedé e considerando 4 goleiros, segundo o Enderson disse. Assim, teoricamente seriam precisas 3 dispensas / vendas para equilibrar o elenco. Como o Fenerbahçe da Turquia está interessado em Jadsom, pode ser que ele se una a Roberson e a Marcelo Hermes ou João Lucas, que literalmente disputam uma vaga no grupo compondo a lateral-esquerda. Estes seriam meus palpites antes da bola rolar.

 

Considero que o elenco do Cruzeiro bem treinado por Enderson Moreira vai ganhar entrosamento e vai disputar a competição com boas possibilidades de retorno à série A. Observar que neste elenco temos 16 jogadores formados nas nossas divisões de base. O duro é a desconfiança da nossa torcida, impaciente e que vai precisar de muita compreensão, porque não dá para sair queimando os garotos da base, ante um passe errado ou uma opção por jogada equivocada. Não temos bala na agulha para montar um elenco muito melhor que este, em função das dificuldades de caixa.

 

As homenagens desta coluna hoje vão cruzeirenses selecionados de Conceição do Mato Dentro - MG: Otacilinho Costa Neto & Rúbia, Antônio Lúcio Carvalho Ferreira & Heloísa, Gleyson Lages, Cristiano Simões, Léo de Souza Matos & Lívia, Rita Silveira, Silma Guerra, Lôra Costa, Cláudia Magalhães Guerra, Adãozinho Costa & Flávia.

 

E de Vitória - ES: Eder Lana, Márcio Yguer, Gil Campos, Emilene Silva Santos, Cláudio Guimarães, João de Castro Coura, Marlon Marcel Fonseca, André Luiz da Silva Fonseca, Antônio Mahé, Ramon de Souza Pedra e Warrison Guilherme Vaz de Melo. 

 

“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido”

 

Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco