• Walace Alves

O FUTEBOL E SEUS SENTIMENTOS

EMOCIONAL


Foi lindo ver o espetáculo da torcida na classificação do Cruzeiro para as quartas de final da Libertadores e para a semifinal da Copa do Brasil, ambas no Mineirão, ou melhor dizendo, na Toca 3. Incentivando e cantando o tempo todo, sem o auxílio de equipamentos de som, trouxe vida e história própria a uma arena pasteurizada pela modernidade.

Cruzeiro x Flamengo, segundo jogo das oitavas de final da Copa Libertadores 2018, no Mineirão, em Belo Horizonte, 29/08/2018. Foto: Agênciai7


Muito legal a sintonia e homenagem dos jogadores aos torcedores após o jogo contra o Flamengo, repetindo o gesto da Islândia durante a Copa do Mundo na Rússia. Pra ficar ainda mais fantástico, sugiro que da próxima vez, o time esteja com a camisa 3 neste momento, vai ser show demais!


Impressionante, as defesas de cobranças de penalidades feitas pelo monstro, ídolo e sempre injustiçado Fábio. Melhor goleiro do Brasil. As portas de completar mais uma marca histórica (800 jogos) com a camisa celeste, continua mantendo o alto nível que caracterizou sua carreira: não ser um goleiro de melhores momentos e sim de anos e anos de regularidade acima da média!


Merecido demais a recuperação da saúde e do futebol do mito Dedé, disparado o melhor zagueiro do Brasil. Com tempo de bola invejável, um sentido de antecipação apurado e uma impulsão invejável, Dedé, é completo.


Incontestável a grandeza e importância do clube celeste no cenário nacional e sulamericano. Time vencedor e copeiro que mantém sua tradição de sempre avançar em competições importantes. A grandeza de um time se faz pela suas conquistas, heróicas e imortais, bicampeonatos, tetracampeonatos, pentacampeonatos e uma ambição por conquistas que reforça ainda mais sua importância por estar fora do eixo, Rio-SP.


Admirável a leveza e frieza do Arrascaeta, que sempre se faz, para os seus adversários, de um quase “desinteressado” na partida, para, na verdade, se tornar a cada dia mais um jogador decisivo. A tradição de grandes meias do clube está mantida!


Mas como tudo na vida tem o outro lado...


RACIONAL


O ponto crucial pra se falar do Cruzeiro e que tem que ser considerado, em toda e qualquer análise, que se faça sobre o time do Cruzeiro é que o mesmo está sendo comandado nos últimos 2 anos pelo mesmo treinador e e mesma comissão técnica, o que não é um fato muito comum em se tratando de Brasil e que deveria ser um diferencial para o clube.


O elenco celeste tem como uma forte característica jogadores talentosos e capazes de decidir jogos, mas o que vemos em campo é um subaproveitamento desta fortaleza. O time não sente necessidade de dominar as ações da partida, se contentando, muitas vezes com uma vantagem mínima e perigosa para definir o resultado final da peleja. Isto faz com que a posse de bola não seja uma preocupação e muito menos uma necessidade. Em muitos jogos, neste período, a imprensa destacou a dificuldade do time em propor o jogo, em tomar a iniciativa e ameaçar seus adversários.


Do ponto de vista tático, o time pouco apresenta de variação e quase sempre joga do mesmo jeito, contrariando por diversas vezes a história do clube, de ser um time que joga um futebol vistoso e envolvente, principalmente em casa e se tornando um especialista em contra-atacar seus oponentes. A grande variação tática a que seu treinador se submeteu, depois de muita teimosia, foi a de usar um centroavante e por uma destas ironias do futebol, o nome pensado para tal desafio se machucou e desfalca o time na quase totalidade da temporada: Fred. Nas partidas em que esteve em campo, mesmo não fazendo gols, mostrou a utilidade e importância de um jogador deste tipo pro crescimento do futebol de Arrascaeta e Thiago Neves, por exemplo. Seu atual substituto, Barcos, não vive uma boa fase pessoal e não tem mais vigor físico para se adaptar ao estilo reativo do time, sendo assim, Raniel é quem vem se destacando, pela confiança e juventude, o que o torna muito mais útil nos contragolpes.


Não se percebe jogadas ensaiadas, nem variações de ritmo durante as partidas nas quais seja possível surpreender os adversários. Por exemplo, jogando com a vantagem e no momento em que se espera que o time se feche, atacar por 10, 15 minutos ou o contrário.


Pra muitos, só o que importa é o resultado, a classificação. Pra mim, é claro que isto é importante. Não tem como dar espetáculo em todos os jogos e classificar ou ganhar um título não me deixa triste, muito pelo contrário. A questão é que o Cruzeiro eventualmente joga bem, a previsibilidade do time é gritante, o jogo por uma bola é o que marca esta equipe. É impressionante o amor ao estilo “viver perigosamente”, em diversos momentos, os adversários estiveram grogues e o time preferiu arrefecer e dar tempo de recuperação aos mesmos, se desinteressando da partida e aumentando o sofrimento dos seus torcedores.


O time tem que saber jogar assim, ser cascudo, saber controlar o jogo? Claro que sim, mas um time da grandeza e tradição do Cruzeiro, com jogadores de qualidade, tem que oferecer algo a mais, aliás tem que oferecer o básico: bom futebol!


Racional ou emocional? Ou Racional e emocional? O que você pensa?


Saudações Celestes!










Por: Walace Alves - @Blog_Tendencias



Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco