• Walace Alves

2017, se foi. E daí?

Com as derrotas do Flamengo na sul-americana e do Grêmio no mundial chegou ao fim mais uma temporada do futebol brasileiro. Hora de todos nós, dirigentes, técnicos, jornalistas e torcedores, fazermos um balanço de como foi o ano. Possíveis acertos, erros, oportunidades que se apresentaram em 2017. Mas, ao invés disto, o que estamos vendo nos jornais, programas esportivos e até nas redes sociais é uma infrutífera, banal e infantil discussão sobre se Renato jogou mais do que CR7 ou se devemos acabar com o mundial de clubes! Mais uma vez a lição nos foi dada e vamos nos fingir de mortos! Lamentável! Tentando sair desta armadilha vou fazer aqui um breve resumo de como vi esta temporada.

ESTADUAIS

Apesar do charme e do saudosismo que alguns ainda veem nestes torneios, mais uma o que vimos foram alguns dirigentes e até jogadores usando destas competições, sem nível técnico nenhum, pra vender ilusões pro torcedor!

COPA DO BRASIL E BRASILEIRO

Aqui temos o retrato do atual estágio do futebol brasileiro! Ambas as competições foram vencidas por times ruins, que se abdicam de jogar, não sabem propor o jogo e que não acrescentaram nada de novo ao nosso moribundo futebol! A despeito do sentimento, excelente, do torcedor de comemorar títulos (e isto é bom mesmo!), analisando friamente foi isto que tivemos no ano.

SUL-AMERICANA E LIBERTADORES

Aqui, na minha modesta opinião, tivemos 2 cenários diferentes. Por um lado, o Flamengo, que chegou à final graças a sua torcida e ao fraco nível técnico do torneio, mas mesmo assim, aos trancos e barrancos; e o Grêmio, que foi a pequena faísca de esperança em relação a um futebol um pouco diferente da mesmice que vemos, de norte a sul, das terras tupiniquins. Muito mais em função da maneira como joga o time e o Luan, e muito menos pelo seu regular goleiro, como querem nos fazer acreditar a imprensa, na sua busca incansável por curtidas e ibope!

MUNDIAL

Na minha opinião, este torneio e principalmente, a final mostram claramente que estamos criando, a cada ano que passa, um abismo entre o que se joga aqui e o futebol praticado na Europa! O Real, mesmo jogando a 60% da sua capacidade, não permitiu ao Grêmio dar um chute ao gol, sequer!

SELEÇÃO

Tite mudou o cenário que tínhamos na seleção? Sim. Mas não se justifica este ufanismo todo que à mídia faz em cima do time canarinho. Não se pode questionar o comandante, não se pode dizer sobre possíveis fragilidades do time, não se pode dizer que talvez é só talvez, o time não seja esta coca-cola toda!

BALANÇO FINAL

Como vimos acima, o cenário não tem nada de glamour, nada de esperança e muito menos de engraçado como sugerem os memes das redes sociais!

Se nada for feito, corremos o risco de termos aqui algo que não chamaremos mais de futebol de tão diferente de como estaremos em relação à Europa.

POSSÍVEIS CAUSAS

Dirigentes - nossos cartolas podem ser tudo e são, só não são dirigentes. Pra resumir esta é a verdade! Não sabem, nem aprendem nada. Não tem estratégia, não tem coerência nas contratações de técnicos e jogadores e não respeitam as tradições dos próprios clubes que estão à frente!

Técnicos - nossos professores podem ser tudo e são, só não são professores e muito menos técnicos! Não conseguem pensar o futebol de modo diferente, não conseguem fazer seus times proporem o jogo. Não sabem de tática e estão acabando com os talentos do nosso futebol e estão fazendo isto cada vez mais cedo, daqui a pouco vão estragar até os fraldinha dos clubes! E agora tem a chatice do técnico estudioso, quanta balela! Enquanto isto, só pra refletir, um esportista do hockey, foi campeão da sul-americana, durma-se com um barulho destes!

Jogadores - esta falácia de que não temos mais grandes jogadores ilude muita gente. Agora pensem um pouquinho: Neymar, Coutinho, Jesus, Goulart, Luan, Marcelo, Fernandinho, Paulinho, Daniel Alves, Geromel, Thiago Neves, Willian, Richarlison e Casemiro, entre outros são grandes jogadores. Não temos problemas com grandes jogadores, nunca tivemos. Nossos jogadores não têm problemas com táticas, se tivessem não jogariam nas grandes ligas europeias. O que acontece aqui é que nossos “professores” não sabem da matéria!

Imprensa - nossa imprensa se divide a grosso modo, nos tradicionais jornalistas, que tem como principal característica, a paixão e os novos, que entendem de tática, mas que não sabem associa-la ao jogo! Daí querem e acreditam que a tática explica os resultados! Mas no meio disto tudo temos excelentes profissionais, que conseguem sair do lugar comum dos modinhas atuais e do caricato papel de torcedor de microfone!

Torcedor - somos os menos responsáveis por isto, mas não somos inocentes! Não nos interessamos pelo jogo e caímos nas histórias fajutas criadas pelos técnicos e dirigentes. Queremos mudanças, mas cobramos resultados a curtíssimo prazo, com isto forçamos os técnicos a usar as mesmas armas de sempre, inibindo a mudança!

CONCLUSÃO: Pra mudar e evitar que o futebol brasileiro acabe, todos nós precisamos dar nossa parcela de contribuição e não ficar apenas repetindo chavões, acho que podemos aprender muito em organização com as ligas americanas de basquete e futebol e com a Premier League! Vamos nos desafiar? Você está disposto a fazer sua parte?

Saudações Celestes e Ótimo 2018 pra todos nós!

Por: Walace Alves - @Blog_Tendencias

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco