• DebateZeiros

Cruzeiro 1x0 Chapecoense: Burocracia e Preguiça!

O Cruzeiro recebeu a Chapecoense na noite desta quarta-feira no Mineirão e largou em vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. Com objetivos distintos, ambos treinadores pouparam titulares. Mano Menezes mandou a campo Rafael; John Lennon, Dedé, Caicedo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva, Thiago Neves e Alisson; Arrascaeta e Raniel. Já Vagner Mancini optou por Elias; Apodi, Victor Ramos, Fabrício Bruno e Diego Renan; Andrei Girotto, Nathan e Neném; Niltinho, Túlio de Melo e Osman. Pelas escalações, percebe-se que a partida de hoje ficou em segundo plano, mesmo se tratado de uma competição muito mais importante que os estaduais.

O time celeste iniciou o jogo indo para cima do adversário e logo aos dois minutos, Alisson, em jogada pela esquerda, tocou entre três marcadores para Raniel. Na entrada da área, o Camisa 36 dominou a bola, girou e bateu no cantinho do goleiro Elias. Um belo gol que fez explodir a torcida celeste. O gol passou a impressão de que teríamos uma partida fácil, ainda mais que o time de Mano Menezes continuou a imprimir o ritmo sobre os catarinenses nos minutos seguintes. Ilusão! O Cruzeiro diminuiu o seu ritmo e a Chapecoense começou a sair mais para o jogo, deixando de esperar o time celeste em seu campo de defesa e logo equilibrou o jogo. O primeiro tempo terminou com mais posse de bola do time catarinense e poucas chances de gol.

Gol de Raniel. Belo chute e Bola lá no Cantinho

Vendo a possibilidade de empatar o jogo, o time de Vagner Mancini voltou para o segundo tempo buscando mais o empate, mas esbarrava na falta de entrosamento e de qualidade. Apodi escapava pela direita, mas, felizmente, não acertou um único cruzamento na partida. Já o Cruzeiro, "com a cabeça no clássico" continuou a esbarrar na “preguiça” e no "desinteresse". Mano Menezes sacou Thiago Neves, de atuação fraquíssima para a entrada de Rafinha aos 16 e, aos 25, Raniel por Rafael Sóbis. Aos 30, Lucas Silva com muita morosidade saiu para a entrada de Hudson. Mancini promoveu a entrada de três titulares, Arthur, Wellington Paulista e Rossi. Apesar das mexidas, O Cruzeiro não conseguiu se impor e sofreu pressão dos catarinenses. No último lance, a Chapecoense quase empatou em um escanteio, acabando com a paciência do torcedor celeste.

Em um jogo “difícil de ser assistido”, os pontos positivos foram Raniel, que mostrou oportunismo e surge como boa opção para um ataque que vem encontrando dificuldades de concluir e fazer gols. Dedé, mesmo ficando quase 2 anos parado, mantém o excelente nível técnico e se mostra seguro nas bolas aéreas e Fabrício Bruno, que jogando pelo adversário, atuou muito bem. Caso mantenha, poderá ser uma boa opção para compor elenco em 2018. Já o restante do time, infelizmente, mereceu as vaias ao final da partida. Mano Menezes precisa parar de culpar fatores externos e, com urgência, encontrar uma forma de que o ataque volte a produzir, pois além de ser o 5º jogo consecutivo em que o ataque não funciona, ontem perdemos uma chance grande de já encaminhar a classificação. O jogo de volta será em 1º de Junho na Arena Condá.

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco