• Giane Alves

Cruzeiro 3x0 Alt.Mineiro: Depois da tempestade, a bonança

Saaaaaaaalve, Nação Azul!


Que noite minhas amigas e meus amigos!


O Cabuloso mais amado do universo provou novamente que é o ÚNICO gigante de Minas, e não tem crise e fake news que mude isso.


Jogando um futebol de encher os olhos, o Cruzeiro jantou o rival na Toca 3, por 3 a 0. Com isso a Raposa largou na frente em busca da classificação para a fase semifinal da Copa do Brasil, com direito a uma partida de gala do atacante Pedro Rocha. Obrigada intertemporada!


Bora reviver alguns momentos dessa noite épica?


O técnico Mano Menezes surpreendeu já na escalação. Apostando em um ataque mais leve e veloz, o treinador optou por deixar o Fred no banco, mandando a campo o Pedro Rocha. Que bola dentro do “Mânumeneis”!


No comecinho do jogo o rival tentou subir suas linhas para forçar o erro do Cruzeiro na saída de bola. Chegou a ensaiar algumas jogadas, arriscou uma finalização de média distância, mas nada que levasse muito perigo ao gol do Fábio.


Não demorou muito para a Raposa tomar as rédeas da partida e provar que galo não canta no terreiro azul. Já aos 12 minutos de jogo o Cabuloso abriu o placar, num G-O-L-A-Ç-O de Pedro Rocha. O atacante recebeu a bola do Henrique, deu um lindo drible no volante adversário e emendou uma pedrada de perna esquerda no canto alto do gol da equipe de Vespasiano. Explosão azul celeste na arquibancada!


E não é que o Peter Rock queria provar que a escolha do Mano foi acertada? Aos 25 minutos o atacante celeste aproveitou um erro de passe do zagueiro rival, partiu em disparada rumo ao gol, driblou o goleiro e rolou uma bola com açúcar para o Thiago Neves. O meia só teve o trabalho de escorar para as redes, correr pro abraço e engraxar a chuteira do goleador/garçom. Segundo belo lance de Pedro Rocha, segundo gol do Cruzeiro.

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

O rival sentiu o soco no queixo e o Cabulosíssimo quase ampliou o placar ainda na primeira etapa. O apanhador de borboletas alvinegro errou a saída de bola e mandou no pé do Thiago Neves. O meia se precipitou e tentou finalizar para o gol, mas mandou longe das traves. Robinho, que corria livre na ponta direita, lamentou não ter recebido o passe.


Apito do juiz, fim do primeiro tempo.


Satisfeito com o rendimento da equipe, Mano Menezes manteve a mesma formação para os 45 minutos finais. E não é que depois do show de Pedro Rocha na primeira etapa, o universo ainda guardava a melhor parte? Aos 9 minutos Marquinhos Gabriel disputou o lance com o volante rival e a bola parou nos pés de Robinho. O meia finalizou, o lance foi interceptado pelo zagueiro e a pelota voltou para o próprio Robinho, que não desperdiçou a segunda oportunidade. Menção honrosa para a participação do goleiro santo, que num lance de reflexo de fazer inveja a uma tartaruga com sono, deu um salto no vento e, de costas, viu a rede balançar pela terceira vez no Gigante da Pampulha.


A festa nas arquibancadas era ensurdecedora. Com gritos de olé e pedidos de “mais um” a China Azul conduziu a partida até o apito final do árbitro. Vitória para curar a alma da torcida celeste, que não teve paz nas últimas semanas com as denúncias de corrupção no clube.


A classificação já está garantida? Ainda não! Semana que vem teremos um novo duelo, dessa vez no estádio do América. O Cruzeiro inegavelmente deu um passo muito importante rumo a próxima fase da Copa do Brasil, mas ainda faltam 90 minutos para carimbar o passaporte. Vamos manter a determinação e a humildade, deixando a arrogância para os rivais, que ontem já se engasgaram com ela.


Respeitem nossa história, nossa camisa e nossa torcida. O Cruzeiro é GIGANTE e vai continuar incomodando muita gente, doa a quem doer. Aqui ninguém torce contra o vento, a gente veste a camisa e enfrenta a tempestade.


Ei, rival, vem tranquilo, vem tranquilo!


( •_•)

( ง )ง

/︶\


SÚMULA DA PARTIDA: CRUZEIRO 3X0 ATLÉTICO


Motivo: jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil

Estádio: Mineirão

Data: quinta-feira, 11 de julho de 2019


Gols: Pedro Rocha, aos 12min, Thiago Neves, aos 25min do 1ºT; Robinho, aos 9min do 2ºT (CRU)

Público: 46.113 torcedores

Renda: R$ 2.190.896,00


Árbitro: Raphael Claus (FIFA/SP)

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA/SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (FIFA/SP)

Árbitro de vídeo: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Assistentes do VAR: Vinícius Furlan (SP) e Herman Brumel Vani (SP)


CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral; Robinho (Fred, aos 27min do 2ºT), Thiago Neves (David, aos 46min do 2ºT) e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha (Jadson, aos 31min do 2ºT)

Técnico: Mano Menezes


ATLÉTICO: Victor; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Zé Welison (Jair, aos 30min do 2ºT) e Elias; Chará, Luan (Otero, no intervalo) e Cazares (Geuvânio, aos 20min do 2ºT); Alerrandro

Técnico: Rodrigo Santana


Por: Giane Alves - @gianeaalves

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco