• João Chiabi Duarte

Batalha do Horto - Uma classificação sem sustos

Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro – Certamente não foi o jogo dos sonhos da torcida cruzeirense, mas, no momento atual, importava realmente a classificação. A postura do Cruzeiro de se fechar atrás e jogar no erro do adversário era esperada por todo mundo e seria ignorância pensar que Mano Menezes faria diferente. O Cruzeiro foi previsível em sua estratégia e poderia ter saído na frente do placar se Robinho não tivesse errado a conclusão da linda jogada de Marquinhos Gabriel. Antes do Atlético-MG nos perturbar, ainda foi numa cobrança de falta de Robinho, que Patric desviou de cabeça, obrigando a Victor fazer uma defesa de reflexo, que aconteceram as melhores chances do Cruzeiro na etapa inicial.


A resposta atleticana aconteceu com uma bola cavada por Jair que Elias virou e obrigou Fábio a fazer uma defesa sensacional.


Mas, se até os 25’ da etapa inicial, o Cruzeiro deixava o Atlético ter a posse de bola, recuando até seu campo, a partir de certo momento do jogo, passou a errar passes demais na nossa saída de bola e numa destas escapadas Patric cruzou, Fábio Santos fazendo carga ilegal em Orejuela colocou de novo na área e Cazares pegou em cheio na bola, fazendo o gol de abertura do placar.


O Cruzeiro sentiu o golpe e agora só se defendia. Fábio e Dedé evitaram o gol em 3 oportunidades, 2 vezes em chances do centroavante atleticano e outra numa cobrança de falta direta de Otero. Foi no sufoco que levamos a partida até o intervalo, com a vantagem contrária mínima.


Nos primeiros 15’ da etapa final, o panorama do final do primeiro tempo não se alterou, com algumas estocadas perigosas do Atlético-MG, sempre neutralizadas por Fábio e zaga. Se Orejuela atuava bem no lado direito, Egídio pela esquerda, além de errar muitos passes, já estava amarelado e sofria na marcação a Otero, Patric e Elias que caiam no seu setor.

Fred estava mais uma vez, mal, sem função em campo. Mano o tirou e colocou David no lugar. E o Cruzeiro logo em seguida fez um gol, que foi anulado de forma equivocada pelo VAR, pois, a meu ver Fábio Santos pulou sobre Marquinhos Gabriel que não fez nada. O gol de Pedro Rocha àquela altura aniquilaria totalmente as chances atleticanas.


As confusões durante a análise do VAR resultaram nas expulsões de David (que acabara de entrar) e Alerrandro, colocando 10 de cada lado e mais espaço no campo de jogo. Teoricamente seria pior para o Cruzeiro, prejuízo grande.

Mano sentindo que a capacidade de combate de Robinho se reduzira colocou Jádson no seu lugar na metade da etapa final. A pressão era grande, pois, dos 30’ do primeiro tempo até os 30’ do egundo tempo, o Cruzeiro não deu um chute a gol sequer, enquanto o time atleticano com a bola de Geuvânio na trave, havia feito 12 arremates, e uma hora de jogo.


Daí até o final do tempo regulamentar, mesmo com Ricardo Oliveira, Luan e Geuvânio tendo entrado nos postos de Jair, Elias e Otero, as chances criadas pelos atleticanos foram controladas pela nossa defesa, agora reforçada por Dodô que entrou no posto de Pedro Rocha, já na fase final da partida. O Cruzeiro controlava o jogo e a nossa torcida cantava no horto, o time emplumado no desespero, o trio de arbitragem deu 6’ de descontos.


Eram 48’ do 2º tempo quando Patric pegou um pombo sem asas da entrada da área e mandou na gaveta de Fábio, marcando o 2º gol. Mas, o tempo que restava era pouco e o Cruzeiro controlou bem a coisa até o apito final do árbitro paulista Flávio Rodrigues de Souza, que fez ótima arbitragem, porém, foi atrapalhado pelo VAR...


Felizmente, o gol de Patric soou como feriado que cai num dia de domingo, pois, não serviu para nada. E a torcida cruzeirense mais uma vez entoou o HIT: “não ganha nada, time sofredor, e é por isso que eu canto assim, TNC galô”.


Por esta razão, o Cruzeiro jamais correndo riscos de ser desclassificado, teve que aguentar 3 minutos no máximo, a hipótese de levar um terceiro gol que levaria a decisão para os pênaltis, justificando assim o título da coluna.

Jogadores comemoram a classificação com os torcedores presentes no Independência.Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro


☻ Os lances mais relevantes da partida:


☺4’ - Egídio cobra falta na área, bola fica "viva", Henrique divide a bola com a zaga atleticana e a bola vai pela linha de fundo. Robinho cobra escanteio na primeira trave, Henrique desvia, mas zaga tira antes da chegada de Fred.


☻ 13’ - Cazares faz belo lançamento para Chará, que receberia na entrada da pequena área, mas Orejuela chega antes para afastar e coloca a córner.


☻ 16’ - Chará recebe na esquerda, limpa três marcadores e finaliza com violência, mas a bola que ia na direção do gol, explode em Lucas Romero. Defesa alivia.


☺17’ – QUE CHANCE - Marquinhos Gabriel dá entre as pernas de Patric, deixa Jair para trás, limpa Igor Rabello e toca para Robinho, dentro da área, que finaliza de canhota e sem direção.


☺20’ – DEFESA DE REFLEXO DE VICTOR – Fred sofre falta de Jair na intermediária. Robinho bate em curva, Patric desvia e Victor espalma a corner.


☺21’ – Pedro Rocha recebe na linha de fundo, deixa Fábio Santos no chão e escora para Robinho, que finaliza de canhota para defesa fácil de Victor.


☻ 26’ – DEFEZAÇA DE FÁBIO - Jair fica de posse de bola na meia direita, dá uma cavada e deixa Elias em condição de arrematar a gol. Elias recebe a bola no alto, de costas, e gira de primeira, batendo cruzado, para excelente defesa de Fábio, salvando o gol.


☻ 30’ – sequência de escanteios para o Atlético, Jair ganha no alto, mas, cabeceia torto. Incrível é o Cruzeiro errando passes em demais. Posse de bola: Atlético 70% x 30% Cruzeiro.


☻ 34’ – GOL DO ATLÉTICO-MG - Atlético chega pela direita. Patric cruza na segunda trave, Fábio Santos após fazer carga em Orejuela, ganha a disputa no alto, ajeita para Cazares, que finaliza firme, no ângulo de Fábio. INDEFENSÁVEL...Atlético-MG 1 x 0 Cruzeiro.


☻ 37’ – FÁBIO ESPETACULAR - Atlético chega pela esquerda com Otero, que cruza na segunda trave. Alerrandro aproveita vacilo da zaga e finaliza a queima roupa para intervenção sensacional do goleiro cruzeirense.

☻ 43’ – DEDÉ o MITO - Patric avança pela direita e cruza rasteiro na segunda trave, mas Dedé, na hora H, afasta pela linha de fundo, tirando o pão da boca de Alerrandro.


♣ 45 + 4’ – FIM DO 1º TEMPO


☻ 50’ – Chará recebe na esquerda, entorta Orejuela e cruza de esquerda, mas a bola vai parar na arquibancada. Longe da meta.


☻ 51’ - Cazares faz boa jogada pela esquerda e toca no meio. Otero recebe e finaliza rasteiro, de canhota, e a bola passa muito perto do gol defendido por Fábio.


☻ 52’ – Blitz Atleticana - Otero cobra falta, Réver desvia e a bola fica com Chará, já na pequena área, mas ele domina mal e Fábio encaixa.


☻ 59’ – Luan avança pela direita e cruza rasteiro. A bola passa por todo mundo, mas Fábio Santos, na pequena área, não consegue finalizar em cheio. Dedé tira o perigo dali.


☺63’ – GOL MAL ANULADO PELO VAR - Cruzeiro sai em contra-ataque puxado por Marquinhos Gabriel. Jádson toca para Orejuela, que inverte para a esquerda. Geuvânio erra ao tentar tirar a bola, que sobra para Pedro Rocha derivado pela esquerda. Pedro Rocha finaliza de canhota, vence Victor que falha e vê a bola chacoalhar suas redes. Mas o árbitro anula o lance por falta de Marquinhos Gabriel em Fábio Santos, no início do lance. Erro colossal, porque Fábio Santos é quem se projeta sobre Marquinhos Gabriel.


☻ 70’ – NA TRAVE - Geuvânio recebe na esquerda, limpa Lucas Romero e finaliza com violência, mas a bola explode no travessão defendido por Fábio.


☻ 45 = 3’ – Ricardo Oliveira recebe na área, Romero afasta, bola sobra para Patric, na meia-lua da grande área. Ele pega de primeira, na veia e acerta a gaveta de Fábio. E sai numa desabalada carreira. Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro.


♣ 45 + 6’ – FIM DO 2º TEMPO E DO JOGO...


Resumo da Partida – Lances de Perigo : Atlético 13 x 4 Cruzeiro.



SÚMULA DA PARTIDA: Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro


☻ Motivo: 2ª partida das 4as de Finais da Copa do Brasil de 2019

☻ Data, Local, Hora: 17/07/2019 (4ª Feira), Independência, Belo Horizonte, 19:15 h

♦ Gols: Cazares, aos 34’ do 1ºT, e Patric, aos 45 + 3’ da etapa final (ATL)

♦ Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza (SP) + Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP) + Árbitro de vídeo (VAR): Thiago Duarte Peixoto (SP)

♦ Cartão Amarelo: Ricardo Oliveira, aos 38’, Cazares, aos 38’ e Luan, aos 50’ do 2ºT (ATL); Egídio, aos 47’ do 1ºT, Robinho, aos 17’, Pedro Rocha, aos 18’ e Fábio, aos 23’ do 2ºT (CRU)

♦ Cartão Vermelho: Alerrandro, aos 19’ do 2ºT (ATL); David, aos 19’ do 2ºT (CRU)

♦ Público Pagante: 22.145 torcedores

♦ Renda : R$ 1.352.396,00 (ticket médio = R$ 61,00 = US$ 16)


☻ Atlético-MG (4-1-4-1): Victor, Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Jair (Ricardo Oliveira); Otero (Geuvânio), Elias (Luan), Cazares e Chará; Alerrandro.

DT: Rodrigo Santana


☺ Cruzeiro (4-3-2-1): Fábio (1), Orejuela (28), Dedé (26), Léo (3) e Egídio (6); Lucas Romero (29), Henrique (8) e Robinho (19) depois Jádson (27); Marquinhos Gabriel (20) e Pedro Rocha (32) depois Dodô (18); Fred (9) depois David (11);

DT: Mano Menezes.


As homenagens especiais desta semana vão para: Renata Batista (minha editora predileta), Giane Alves, Laura Estrela, Leonardo Márcio, Francisco Júnior, Regis Jannu, Léo Bastos, Christiano Rocco, Pedro Porto, André Tavares e Lenna Lopes. E para comandar este timaço convoco o Ezequiel Silva, que a cada dia escreve melhor sobre o nosso Cruzeiro.


E de Conceição do Mato Dentro-MG e região: Homenagem especial aos grandes cruzeirenses da família Martini Ribeiro.


“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido



Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco