• Vinícius Fortunato

Cruzeiro 3x0 América

Neste sábado o Cruzeiro viveu mais um dia de sua lua de mel com a torcida. Vitória, uma boa atuação, recorde de público, foram alguns dos destaques da noite celeste.


Para confirmar sua ida a mais uma final de Campeonato Mineiro, o Cruzeiro podia até perder por um gol de diferença que ainda sim sairia do Mineirão classificado, mas quem gosta de sofrimento é o time de Vespasiano, porém logo aos sete minutos de jogo um susto. Escanteio para o América no lado direito defensivo, bola desviada no primeiro pau e o meia Felipe Azedo completa para o gol. A alegria americana durou pouco, já que o gol foi anulado logo em seguida. O VAR entrou em ação e gol foi invalidado com a justificativa de que o jogador do Coelho teria usado a mão para fazer o gol, além da anulação ainda teve um cartão amarelo assinalado para o autor da infração.


O jogo reiniciou e o pesadelo dos americanos só aumentou, em uma bola cruzada na área do time alviverde o volante Lucas Silva ficou com a bola e fez um cruzamento que mais parecia um passe, Léo se antecipou à zaga e de cabeça abriu o marcador na Toca III, Cruzeiro 1x0.

Léo marca seu 20º gol e comemora 350 jogos com a camisa celeste. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro


O Time Celeste era letal, não dava espaço para o América jogar, e apenas quatro minutos depois Edilson pressionou a saída de bola e toma a redonda de Toscano, o lateral azul leva a bola a linha de fundo e como manda o manual levanta a cabeça e acha Fred para ampliar o placar. Destaque para a movimentação do camisa 9, aqueles gols típicos de um bom centroavante, Fred faz o famoso “facão”, se antecipa a marcação e finaliza com uma cabeçada mortal, sem chances para o goleiro. Foi o décimo primeiro gol do atacante na temporada. É o artilheiro do Campeonato Mineiro e do Cruzeiro, parece que teremos uma temporada com muitos gols para o Frederico.


Cruzeiro resolveu o jogo com apenas 20 minutos, depois disso o Mano Ball entrou em ação e como diria Albertinho Rodrigues, os jogadores celestes começaram a fazer aquele famoso “passo de urubu malandro”. Jogo controlado, mas não podemos fechar os olhos para alguns erros. Ontem eu não gostei da atuação defensiva dos dois volantes, Lucas Silva e Romero (para muitos a dupla de volantes ideal) deram muito espaço na entrada da área e o América parece ter entendido isso. Foram vários arremates da entrada da área, obrigando o goleiro Fábio a trabalhar, em um desses lances tem um em especial que vale o registro. Matheusinho aplicou um chapéu bonito em Lucas Silva, mas finalizou pra cima, o meia e o volante Zé Ricardo são dois ativos interessantes que devem ser observados pelo Cruzeiro futuramente.


O Segundo tempo começou como o primeiro acabou, Cruzeiro nitidamente controlando o jogo e o América tentando oferecer perigo com os arremates de fora da área, mas a diferença técnica pesou para o Mequinha.


De destaque apenas as alterações promovidas por Mano Menezes. Raniel de volta aos gramados depois de tratamento de uma lesão entrou no lugar de Fred e perdeu um gol incrível nos minutos finais da partida, ainda carece de um pouco de ritmo de jogo. Jadson entrou no lugar de Rodriguinho, o volante não comprometeu e manteve o jogo controlado, por fim Cabral no lugar de Lucas Silva. Este é o tipo de jogo em que eu colocaria o Cabral sempre, é o jogo que ele gosta, pouca intensidade, precisando cadenciar, o argentino tem a cara de situações de jogo dessa maneira.

Para não desapontar a torcida que lotou a Toca III e bateu o recorde de público do Mineirão no ano (51.525 torcedores), o Cruzeiro presenteou a torcida com mais um gol. Aos 42 minutos da etapa final, Rafinha iniciou um contra-ataque, achou Robinho na ponta direita, o meia recebeu a bola e fez um passe rasteiro, devolvendo a bola para Rafinha, o meia finalizou meio prensado coma zaga, a bola teve um pequeno desvio que acabou por matar o goleiro do América, sacramentando assim o placar final, Cruzeiro 3x0 América.


Cruzeiro chega a mais uma final de Mineiro e agora aguarda seu adversário. É importante conquistar este título, já que a Raposa não é bicampeã mineira desde 2008 e 2009, ainda com o treinador Adilson Batista (quem não lembra daquele duplo 5x0... rs). E pensando inclusive lá na frente, quem sabe um bi não impulsiona um Tri que nenhum time de Minas ganha desde o próprio Cruzeiro em 96, 97 e 98.


Cruzeiro volta aos gramados nesta quarta-feira, jogo válido pela Copa Libertadores contra o Huracan, às 19h15, no Gigante da Pampulha.


VAMOOOOOOOOOO CRUZEIROOOOOOOOO!



Por: Vinicius Fortunato - @fortunatoxD



Imagens:

* 2 - Fred, artilheiro do Campeonato Mineiro e do Cruzeiro, comemora seu 13º gol na temporada. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

* 3 - Rodriguinho em ação na partida contra o América. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro



Por Vinicius Fortunato.

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco