• Vinícius Fortunato

Cruzeiro 2x1 Uberlândia: Foi sofrido, mas o Cruzeiro reencontrou a vitória

Saudações celestes a todos!


Foi sofrido, mas o Cruzeiro reencontrou a vitória na tarde da reestreia do atacante Marcelo Moreno.


O Cruzeiro foi a campo com algumas mudanças. Duas foram de jogadores. Arthur entrou no lugar de Cacá, o treinador Adilson Batista usou como justificativa aumentar a estatura da zaga celeste. A outra mudança foi à reestreia do Flecheiro Azul. Tivemos também uma alteração tática, onde finalmente apareceram os três volantes que marcaram tanto a primeira passagem do atual treinador do Cruzeiro.


O inicio do jogo deu uma pequena iludida em quem assistia a partida. O Cruzeiro começou em cima do Uberlândia, intenso, trocando bons passes e impondo trabalho ao adversário.


Tanta pressão surtiu efeito, aos 10 minutos da etapa inicial surgiu o primeiro gol da partida e em uma linda jogada, diga-se de passagem. Éverton Felipe inverteu uma bola da esquerda para direita, Maurício escorou de cabeça e o estreante Marcelo Moreno se antecipou ao zagueiro, fez a jogada da linha de fundo e cruzou rasteiro na marca do pênalti, o volante Pedro Bicalho apareceu bem e abriu a contagem no gigante da Pampulha, Cruzeiro 1x0.

Comemoração dos jogadores celestes, no primeiro gol da partida marcado por Pedro Bicalho. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro


O Cruzeiro seguiu dono do jogo e oito minutos depois fez o segundo gol com o criticado lateral João Lucas, porém o bandeirinha assinalou corretamente um impedimento.


Depois do gol impedido o Cruzeiro diminuiu o ritmo, porém, sem sofrer muito no sistema defensivo. Os três volantes até então faziam boa partida suprindo bem seu plano tático e a zaga se postava bem.


O Uberlândia oferecia perigo apenas em finalizações de fora da área e foi assim sua jogada de maior perigo no primeiro tempo, o lateral Fábio Alves arriscou na entrada da área para boa defesa de Fábio e com isso o placar não mudou mais na primeira etapa. O Uberlândia chegou a ter 7 chutes ao gol contra 2 do Cruzeiro, porém mesmo sem ser tão efetivo no ataque a equipe celeste saiu como melhor em campo.


A etapa complementar começou assim como a primeira, Cruzeiro envolvendo o adversário com o trio Moreno, E.Felipe e Maurício. Logo no segundo minuto de jogo, Moreno fez uma boa tabela com E.Felipe e foi a linha de fundo, o camisa 9 levantou a cabeça e procurou Mauricio, o camisa 11 faria o gol sem goleiro, porém o zagueiro Rogério cortou a bola em cima da hora, evitando que a Raposa ampliasse o placar.


Depois disso o jogo mudou. Cruzeiro parou de criar e pior que isso, parou de ser o dono do jogo, dando espaço ao Uberlândia que começou a incomodar e muito a meta defensiva celeste.


Os chutes de fora da área continuavam sendo a melhor alternativa do verdão e aos 11 minutos Diogo Peixoto exigiu mais uma grande defesa do goleiro Fábio.


Logo na sequência o time do triangulo mineiro empatou o jogo. Cobrança de escanteio achou o camisa 9 Jhulliam sozinho, que sem dificuldades testou a bola para o fundo do gol cruzeirense, 1x1.


Depois do gol de empate o treinador Adilson Batista tentou modificar o time e colocou três peças mais ofensivas, Caio Rosa aos 14, Welinton aos 31 e Vinicius Popó aos 36. E o resumo do segundo tempo fica por conta das substituições apenas, pois o Cruzeiro não conseguia mais se impor ao adversário e pouco era efetivo. A torcida começou a pegar no pé de alguns jogadores e em especial o lateral João Lucas, que ouvia uma sonora vaia quando tocava na bola.


Já nos minutos finais o Cruzeiro quase fez o segundo gol em uma finalização do atacante Welinton que só não fez o gol pois a bola desviou no defensor adversário. No escanteio em seguida, Felipe Machado fez uma boa cobrança e encontrou Arthur que subiu muito e testou para o fundo do gol, Cruzeiro 2x1


O gol saiu aos 43 minutos da etapa complementar, logo se acredita que acabou, né? Porém sofrimento pouco é bobagem, ainda dava tempo de consagrar mais ainda essa lenda que é Fábio Deivson Lopes Maciel.


Em uma jogada pelo lado esquerdo de ataque, o árbitro da partida assinalou pênalti de Valdir em Wandinho. O camisa 10, Diogo Peixoto, foi para a bola, bateu muito mal no canto direito do arqueiro celeste e Fábio, que pega até pênalti bem batido, que dirá mal batido.

O momento da defesa. O 29º pênalti defendido por Fábio na carreira. Foto: Pedro Vale

Depois da penalidade perdida nada mais se alterou no placar e o Cruzeiro, mesmo que sofrido, saiu vencedor.


O Time Celeste volta a campo na quarta-feira, às 21:30, contra o Boa Esporte. A partida é válida pela segunda fase da Copa do Brasil e o jogo de hoje serve muito de alerta, pois será um adversário mais qualificado e em uma partida mais importante, vale a classificação para a terceira fase e ainda um montante de 1 milhão e meio de reais, dinheiro que na atual situação do Cruzeiro vale até mais que a vaga na próxima fase.


VAMOOOOOOOOOOOOOOOO, CRUZEIROOOOOOOOOOOOOO!


FICHA TÉCNICA CRUZEIRO 2x1 UBERLÂNDIA


Motivo: 7ª rodada do Campeonato Mineiro

Data/Hora: 1º de março de 2020, às 16h (de Brasília)

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Marco Aurélio Fazekas Ferreira

Assistentes: Marcus Vinicius Gomes, Felipe Alan Costa de Oliveira

GOLS: Pedro Bicalho, 10'1ºT (1-0), Jhulliam, 12'2ºT (1-1), Arthur, 43'2ºT

Cartões amarelos: Filipe Machado (CRU), Rogério (UBE)

Cartão vermelho: Não teve.


CRUZEIRO: Fábio, Valdir, Arthur, Léo, João Lucas, Filipe Machado, Pedro Bicalho (Vinícius Popó), Jadsom (Caio Rosa), Maurício, Everton Felipe (Welinton), Marcelo Moreno. Técnico: Adilson Batista.


UBERLÂNDIA: Rafael; Joazi, Plínio, Rogério, Fábio Alves; andro Salino, Jô; Luizinho (Lucas), Diogo e Dija Baiano (Wandinho); Jhulliam (Tiago Amaral). Técnico: Luizinho Lopes. Por: Vinicius Fortunato - @fortunatoxD

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco