Alt. Mineiro 2x1 Cruzeiro: Dois tempos distintos de uma derrota não merecida

O que depreendi deste clássico: Atlético-MG 2x1 Cruzeiro – Antes da bola rolar no Mineirão para este jogo, a torcida cruzeirense recebeu mais uma notícia preocupante. O zagueiro Léo havia sido vetado em função do agravamento do seu processo de conjuntivite e não poderia atuar. Como já perdera os volantes Adriano (contusão muscular) e Felipe Machado por suspensão (3 cartões amarelos), a dúvida que pairava no ar é como Adilson Batista iria armar o Cruzeiro exatamente no seu meio-campo, setor fundamental para o desenvolvimento do jogo de futebol.


De antemão, se sabia que o Cruzeiro havia jogado no meio de semana e o adversário havia ficado apenas descansando para jogar o clássico.


Também se projetava a diferença de qualidade dos elencos formados de parte a parte. E muitos atleticanos apostavam numa sonora goleada em cima do Cruzeiro, sonhavam em nos devolver os 6x1 e a arrogância entre os torcedores atleticanos era a costumeira. Afinal de contas ganham todos os jogos do Cruzeiro antes da bola rolar.


Ponderadas as situações de momento, Adílson optou por colocar em campo os jogadores que estivessem com o melhor ritmo de jogo. Porém, com um ponto preocupante, o corredor central era todo formado pelos meninos da base.


O primeiro tempo de partida teve domínio atleticano, com maior tempo de posse de bola (64 x 36%), sendo o time alvinegro mais incisivo nas conclusões. Porém, a posse de bola ficou mais restrita de intermediária a intermediária, sem que o Atlético tivesse eficácia nas tabelas, deslocamentos e trocas de passe.

O camisa 11, Mauricio. Atlético-MG x Cruzeiro pelo Campeonato Mineiro 2020, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Foto: Gustavo Aleixo


No Cruzeiro, Pedro Bicalho não conseguia fazer nada de aproveitável, jogando muito para trás, Everton Felipe e Maurício não conseguiam levar a bola à frente, o Cruzeiro rifava muito as bolas, com Fábio e seus zagueiros. Entre os cruzeirenses no meio, apenas Jadsom desde o início mostrava lucidez.


Até então, por volta dos 35’ da etapa inicial, o Atlético só havia levado perigo em jogadas de bola parada com cobranças de Otero e numa bola que Savarino concluiu para excelente defesa de Fábio a corner.


E foi num lance de bola parada que o Atlético conseguiu saltar à frente do placar. Desta vez Otero não bateu o corner alto, mas, rasante e o desvio de Ygor Rabello de calcanhar desviou a bola para o ângulo direito de Fábio, que nada poderia fazer. Ao se rever o lance, nota-se que Ygor Rabelo passou à frente de todos os defensores do Cruzeiro para ter a vantagem e foi extremamente feliz no desvio, marcando um gol muito bonito, infelizmente.


E foi desta forma, que o Atlético-MG levou para os vestiários a vantagem pelo escore mínimo.


Na volta para o segundo tempo, Adilson batista tirou Pedro Bicalho e fez entrar Jhonata Robert no seu lugar, para prender o lateral Guga que no primeiro tempo havia subido várias vezes ao ataque e era uma válvula de escape interessante para o time adversário.


Mudou o posicionamento de Éverton Felipe como terceiro homem de meio e mudou o sistema de jogo trazendo Maurício mais para dentro. Edú centralizado e Jadsom mais à direita.


O time do Cruzeiro também adiantou um pouco a marcação e agora não mais deixava a defesa atleticana sair jogando livremente. E começou a incomodar o time alvinegro.


Agora, a posse de bola estava mudando de lado e o Cruzeiro passou a controlar o jogo.


Quando Adílson tirou Maurício de campo (hoje não estava acertando nada e estava muito nervoso, brigando demais com os jogadores atleticanos e poderia ser expulso a qualquer momento, o que seria trágico) e colocou Thiago em seu lugar, o time cruzeirense passou a apertar a marcação e agora quem passava a rifar as bolas eram os atleticanos.


Eram 23’ da etapa final quando Edílson deu um passe açucarado para Thiago meter a cabeça na bola e vencer a Victor, estabelecendo a igualdade no placar.

Jogadores comemoram o gol celeste marcado por Thiago. Foto: Gustavo Aleixo


Daí para a frente, Marcelo Moreno teve 2 ou 3 grandes chances, Victor pegou uma falta de Edílson no susto e quando o jogo se encaminhava para o final no último minuto de descontos, ocorreu um erro de marcação e a bola rolada da esquerda para a direita, encontrou Otero que da entrada da área, teve tempo de ajeitar o corpo e desferir chute certeiro, para vencer a Fábio e estabelecer o gol da vitória atleticana.


Um resultado não merecido, porque se o primeiro tempo teve predominância dos alvinegros, o tempo final o Cruzeiro foi muito melhor e o empate seria o resultado que espelharia o que foi o jogo.


Uma pena porque o Cruzeiro merecia pela luta, entrega e bom futebol, especialmente no segundo tempo, ter saído de campo com pelo menos um ponto.


Adílson hoje fez leitura correta do que foi a partida e fez boas substituições. Inclusive Edú só saiu porque estava cansado ao extremo, pois, havia corrido uma barbaridade na partida.


OPINIÃO: O Cruzeiro perdeu o jogo, saiu do G4 da classificação do Campeonato Mineiro, mas, hoje ganhou dois jogadores para o resto da temporada. Os dois meninos de 18 anos (Jadsom e Thiago) hoje receberam a unção especial dos clássicos e mostraram que tem futebol para permanecer não só no elenco, mas, também disputarem em ótima condição a titularidade em suas funções. Os dois foram os melhores do Cruzeiro na partida, mas, é preciso se destacar a garra impressionante de Marcelo Moreno, muitas vezes lutando contra 3 ou 4 adversários e levando vantagem. Que jogador sensacional é este Marcelo Moreno.

Hoje, o meu 11 do Cruzeiro HOJE seria o seguinte:

1 – Fábio

2 – Edilson

3 – Léo

4 – Cacá

5 – Felipe Machado

6 – Rafael Santos (Diogo Barbosa jogou muito bem hoje, volta ficou difícil)

7 – Jadsom (Jean)

8 – Robinho

9 – Marcelo Moreno

10- Maurício

11 – Thiago


♣ Reforços já confirmados: a volta de Ariel Cabral, a contratação dos zagueiros Marllon (ex-Corinthians) e Ramon (ex-Vitória). Ivan Ângulo (meia-atacante do Palmeiras) e Régis (meia ou ponta de lança do Bahia) estão com tratativas avançadas com o Cruzeiro.


Claro, a gente vai mudando aqui e ali, mas, o importante é que depois de nove jogos de qualidade abaixo do que a gente gostaria, mesmo reconhecendo as dificuldades enfrentadas por Adilson Batista e sua comissão técnica, o tipo de futebol e a qualidade demonstrada na etapa final do clássico nos enche de esperança para os próximos jogos que definirão o nosso destino na Copa do Brasil (contra o CRB de Alagoas) e nas três rodadas finais da fase de classificação do Mineiro, contra Coimbra e URT em casa e contra a Caldense em Poços de Caldas. Serão 5 jogos importantíssimos para o Cruzeiro consolidar um modelo de jogo com o mostrado hoje, para entrar na série B já com um time base definido.

OS LANCES MAIS RELEVANTES DA PARTIDA: ATLÉTICO-MG 2x1 CRUZEIRO


☺ 6’ – Maurício recebe a bola pela situação de meia-esquerda e dá uma meia lua em Gabriel e é parado com falta. Na cobrança ele rola para Edílson, que chuta torto para fora.

♣ 11’ – Cartão amarelo para Edilson por falta em Otero na intermediária atleticana, Não era para tanto, mas, o juiz estava rezando para um lance destes para pacificar o jogo.

☻ 20’ - Allan inverte ótima bola pra Guga, na direita. O lateral domina e faz bom cruzamento. Quem aparece na segunda trave, como elemento surpresa, é Guilherme Arana. Ele finaliza de primeira, mas pega na orelha da bola que vai pra fora sem perigo para Fábio.

♣ 24’ – Cartão amarelo para Arthur e Allan por confusão antes de cobrança de corner na área atleticana.

☻ 27’ – Pedro Bicalho faz falta em Jair na intermediária. Otero bate e a bola quica na linha da grande área, mas, Fábio faz a defesa.

☻ 31’ – DEFEZAÇA DE FÁBIO - Nathan faz boa jogada pela direita do ataque do Atlético e cruza para trás. Savarino domina e chuta cruzado, com força, buscando o canto. Fábio se estica todo e faz a defesa. Escanteio marcado.

☺ 33’ – QUE CHANCE !!! - A jogada é criada pela esquerda, João Lucas recebe de Everton Felipe e capricha no cruzamento, no meio da área Maurício cai e Marcelo Moreno sobe por trás da defesa e mete a cabeça na bola, Victor voa no canto esquerdo e espalma. Moreno ainda recupera a bola, mas, cruza errado e a defesa alivia.

☻ 36’ – GOL DO ATLÉTICO - Otero cobra o escanteio fechado, na primeira trave. Igor Rabello, com muita categoria, desvia de calcanhar e a bola entra no ângulo direito de Fábio que nada pode fazer, a bola ainda bateu no travessão antes de entrar. O placar agora mostrava Atlético 1 x 0 Cruzeiro.

♣ 40’ – Otero arranca pelo meio e é parado com falta por Edú. O juiz lhe dá o amarelo. Novamente não via nenhuma contundência e nem mesmo violência para justificar o cartão.

☻ 43’ - Guga recebe a bola pela direita do ataque do Atlético, levanta a cabeça e capricha no cruzamento. Otero, mesmo baixinho, sobe muito e cabeceia. A bola raspa a trave e vai fora.

☻ 45’ - Ricardo Oliveira recebe a bola no ataque do Atlético, gira e finaliza, de fora da área. Fábio defende, mas, solta a bola, Nathan quase chega, porém, ele se recupera e faz a defesa.

♣ 45 + 2’ – FIM DO PRIMEIRO TEMPO – ATLÉTICO 1x0 Cruzeiro

☻ 56’ – BOA DEFESA DE FÁBIO – Jadsom faz falta em Savarino na intermediária. Fábio coloca 3 na barreira. Otero bate e a bola descai no ângulo esquerdo de Fábio, que salta e espalma a bola, fazendo mais uma boa defesa.

♣ 57’ – Jair faz falta dura em Maurício e recebe o cartão amarelo.

♣ 58’ – Moreno faz falta em Allan e também recebe o amarelo.

☺ 66’ – GOL DO CRUZEIRO - Cruzeiro roda a bola, e ela chega para Edilson, pela direita. O lateral levanta a cabeça e faz o cruzamento no capricho. Thiago se antecipa ao zagueiro Igor Rabello e cabeceia muito bem, no cantinho. Victor se estica, mas não evita o gol. Tudo igual no Mineirão: ATLÉTICO 1x1 Cruzeiro. Agora a pequena fração de torcedores no setor amarelo faz a festa... Thiago outra vez entra e aparece bem. Aproveitou o cruzamento para a área e conseguiu o empate. Segundo dele como profissional pelo Cruzeiro. Muita festa do atacante e do banco cruzeirense. Adílson Batista celebrou como louco. Bacana demais. Na hora eu me lembrei da gargalhada do Carlos César Pinguim após cada gol cruzeirense.

☺ 74’ - Gabriel perde a bola pra Marcelo Moreno, que dispara com ela pela esquerda do ataque do Cruzeiro. O atacante chuta cruzado, e Allan consegue o corte. Novo escanteio pra Raposa. Jhonata Robert cobra tentando o olímpico e Moreno reclama dele com razão, mais capricho.

☺ 77’ – MORENO SEMPRE ELE - Jair e Guga não se entendem na defesa do Atlético, batem cabeça, e Marcelo Moreno rouba a bola deles mais uma vez. Caminha uns 10 passos e tenta o chute cruzado, mas, erra. Impressionante a entrega deste jogador. Que raça. Dá gosto.

☻ 80’ – Cazares e Tardelli trocam passes e Jadsom derruba Cazares. Otero chuta mais uma e Fábio faz a defesa no canto direito, sem muita dificuldade.

♣ 88’ – Cartão amarelo para Thiago por deixar o braço no rosto de Nathan.

♣ 89’ – Cartão amarelo para Otero por falta em Everton Felipe

☺ 90’ – QUASE VEIO A VIRADA - Edilson cobra falta para o Cruzeiro da intermediária do lado esquerdo do ataque celeste. A bola em curva passa por todo mundo, e descai na frente de Victor que fura com o pé esquerdo, mas, para sorte dele a bola desvia no antebraço e não entra. O coração veio na boca.

☻ 90 + 3’ – GOL DO ATLÉTICO-MG - Nos acréscimos do segundo tempo, Marquinhos é lançado pela esquerda, domina e toca pra trás. Otero domina e acerta uma pancada, um chute de extrema felicidade, no ângulo do gol de Fábio, que não consegue alcançar. ATLÉTICO 2x1 CRUZEIRO.

♣ 90 + 4’ – Cartão amarelo para Otero por tirar a camisa na comemoração. Vermelho em seguida.

♣ 90 + 5’ – O técnico do Atlético invade a área do Cruzeiro para comemorar o gol e discute com Robinho que estava no banco. Ambos são amarelados.

♣ 45 + 5’ - FIM DA PARTIDA – ATLÉTICO 2x1 CRUZEIRO


☻ CONCLUSÃO: Um jogo realmente de dois tempos distintos. No primeiro tempo o Cruzeiro foi mais conservador e era exatamente isto que a situação requeria. Saindo atrás no placar Adilson fez boas mexidas. A entrada de Jhonata Robert fez com quem Guga ficasse mais preso à marcação. Depois com a entrada de Thiago o Cruzeiro cresceu porque começou a ajudar a Marcelo Moreno na luta contra a defesa atleticana. Isto resultou em recuperações de bola importantes que quase nos levaram à virada no marcador.

Observem os lances relevantes do Atlético-MG. A maioria absoluta foi decorrente das bolas paradas com a intervenção precisa de Otero, que fez uma atuação muito destacada neste quesito, mas, se for olhar a questão técnica, o Atlético não fez jogo que justificasse a vitória sobre o Cruzeiro.


Adílson, hoje contou com uma atuação soberba de Jadsom no meio-campo, sem dúvida um jogador de muita qualidade e que hoje mostrou que veio para brilhar. Que personalidade, que ótimo futebol. Calmo, cabeça levantada, tranquilo, marca, arma, passa. Fez um jogo de transição admirável.


Outro que começa a mostrar ao que veio é Thiago. Se somar a participação nos três jogos que entrou em campo ainda não chegam a 90’, mas, ele já marcou dois gols. Demonstrou calma também, procurou jogar com Moreno e não deu paz aos defensores atleticanos. O Cruzeiro achou uma forma de jogar interessante.


Impossível não destacar a raça, a entrega e o bom futebol de Marcelo Moreno, mais uma vez. Dá gosto ter um jogador assim envergando a nossa camisa.

A raça de Marcelo Moreno. Foto: Gustavo Aleixo


Vi evolução absurda do jogo de Varginha para o segundo tempo do clássico de hoje. E o crédito disto deve-se ao trabalho do treinador, que deu confiança aos garotos, orientou o posicionamento correto e também à entrega dos nossos jogadores.


Hoje tivemos sete meninos da base entre os quatorze que estiveram em campo (Cacá, Edú, Arthur, Pedro Bicalho, Jadsom, Maurício e Thiago) que se juntaram a Fábio, Edilson, João Lucas, Everton Felipe, Jhonata Robert. Jean e Marcelo Moreno. Sofrer o gol no penúltimo minuto foi muito injusto para o time e para o torcedor cruzeirense.


A SÚMULA DA PARTIDA: ATLÉTICO-MG 2x1 CRUZEIRO


♦ Motivo: 8ª rodada da Fase de Classificação do Campeonato Mineiro de 2020

♦ Local, Hora, Data: Estádio Mineirão, BH, 07/03/2020, 19:00 h

♦ Arbitragem: Felipe Fernandes de Lima + Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida Costa, que se não foram brilhantes, pelo menos não interferiram diretamente no resultado.

♦ Cartões Amarelos: Edílson, Edú, Arthur, Thiago, Marcelo Moreno e Robinho no banco (Cruzeiro) e Guga, Allan, Jair e Otero (2 vezes) pelo Atlético-MG. ♦ Cartão Vermelho: Otero aos 48’ do 2º tempo.

♦ Gols: Ygor Rabello aos 36’ e Otero aos 90 + 3’ (Atlético-MG) e Thiago a 68’ (Cruzeiro).

♦ Público Pagante: 53.576 torcedores

♦ Renda: R$ 753.615,00 (ticket médio = R$ 14,07 = US$ 3.20).


☺ Cruzeiro (4-3-2-1): Fábio, Edílson, Cacá, Arthur e João Victor; Edú (Jean), Jadsom e Pedro Bicalho (Jhonata Robert); Maurício (Thiago) e Everton Felipe; Marcelo Moreno.

DT: Adílson Batista

☻ Atlético-MG (4-2-3-1): Victor, Guga, Ygor Rabello, Gabriel e Guilherme Arana; Jair e Allan (Marquinhos); Savarino (Cazares), Nathan e Otero; Ricardo Oliveira (Tardelli).

DT: James Freitas (interino)


Time de Homenageados desta coluna: Wallace Ferreira e Silva, Júlio César Lima, Marco Antônio Rodrigues, Rafael Henrique, Gil Campos, José Eustáquio Dourado, Rodrigo B. Nunes, Roberto Bertozzi, Walmiro Muzzi, Luiz Viana, Eduardo Massa de Mendonça, Eduardo Arreguy Campos, Jaeder Natal Ribeiro e Aloysio César.

|

“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...tão Combatido, Jamais Vencido”


Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco