• João Chiabi Duarte

Náutico 1x1 Cruzeiro: Empate na raça, em Recife

Mundo Azul,


☻ Mudança de astral no Cruzeiro – Começo a coluna de hoje com um ditado em inglês que me foi ensinado pelo Dr. Daniel Diermeier, meu professor de gestão de crises na “Kellogg School of Business” que diz assim: “once in a hole, stop digging”, no nosso bom português: “Uma vez no buraco, pare de cavar”. Pois, essa vinha sendo a rotina do Cruzeiro que vinha sangrando nas redes e sofrendo com as dissensões internas desde o dia que aconteceu a denúncia do Fantástico ou melhor desde a conturbada eleição de 2017.


Com a eleição de Sérgio Santos Rodrigues, confirmada em 07 de outubro 2020, e as acertadas chegadas de José Carlos Brunoro e de Luiz Felipe Scolari para dar suporte ao trabalho entusiasmado do nosso presidente, finalmente, as coisas começam a melhorar. O Cruzeiro vinha de uma péssima atuação, a última sob o comando de Ney Franco, que como eu suspeitava desde o princípio, pouco acrescentou ao Cruzeiro, quando empatou com o Oeste em São Paulo por 0x0. Com Célio Lúcio no comando o Cruzeiro atuou bem melhor e empatou novamente em 0x0 com o Juventude, com Fábio garantindo o empate. Mas, o Cruzeiro mostrou alguma luz, algum sinal de que poderia melhorar.


E veio Felipão e com ele a primeira vitória na estreia contra o Fantasma (Operário-PR), para marcar a mudança de viés, mas, também fora de campo outras boas notícias começaram a aparecer, como por exemplo:


- Pagamento das dívidas na FIFA que nos impediam de registrar jogadores quitando os débitos relativos a William do Bigode com o Zorya, com um pequeno clube da Argentina (mecanismo de solidariedade de formação de Ramon Ábila) e com a comissão técnica de Paulo Bento

-Acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional para a regularização dos débitos sendo a dívida de R$ 334 milhões reduzida para R$ 178 milhões e o saldo dividido em 145 prestações, em condição que o Cruzeiro possa pagar.

-Liberação da parcela da venda de Arrascaeta de 3 M€ ou R$ 20 milhões que estava retida por decreto da Receita Federal do Brasil

- Finalização do Acordo com a Minas Arena, liberando o que estava em depósito judicial (~R$ 10 milhões), reduzindo a dívida em quase R$ 20 milhões e ficando o saldo devedor a ser pago a partir de 2022.

- Colocação em dia da folha salarial dos funcionários administrativos do clube e regularização de mais uma folha salarial dos atletas. Agora, o clube está com atraso da última folha vencida há 15 dias.


Ou seja, o clube conseguiu reduzir o seu nível de endividamento em R$ 176 milhões fora de campo, além de reduzir as pendências salariais do elenco e dos funcionários do clube, o que é muito importante, justificando assim o título deste bloco.


☻ Náutico 1x1 Cruzeiro – Jogar em Recife contra o Clube Náutico Capibaribe no famoso estádio dos Aflitos nunca foi tarefa fácil para o Cruzeiro Esporte Clube, desde 1967 quando fomos eliminados da semifinal da Taça Brasil por uma derrota de 3x0 em Recife. Até hoje, foram disputadas 33 partidas e todas as 11 vitórias do Náutico no confronto foram atuando como mandantes. Em Belo Horizonte sempre prevaleceu o Cruzeiro que conquistou aqui a maioria de seus 16 triunfos no confronto. O empate de hoje foi desta forma, o sexto do confronto. O Cruzeiro marcou 52 gols e a defesa sofreu 39 tentos.


Hoje, mantendo a tradição, foi mais uma vez um jogo muito complicado, no qual o Cruzeiro novamente saiu atrás no marcador (coisa que já aconteceu várias vezes nesta série B), o adversário teve várias oportunidades para matar a partida, mas, não o fez em chances dos atacantes cara-a-cara com Fábio, que mais uma vez brilhou e também teve a ajuda dos nossos zagueiros que não pararam nos lances e evitaram os gols numa eventual segunda chance.


O Náutico abriu o placar aos 20’ do primeiro tempo com Vinícius derivando da esquerda para o centro e chutando rasteirinho no canto direito de Fábio, que se esticou todo, mas, não conseguiu fazer a defesa.


E só foi empatar aos 40’ da etapa final quando Felipe Machado recebeu de Fábio e fez um lindo lançamento de 60 metros e colocou a bola nos pés de Patrick Brey que dominou avançou e fez um excelente cruzamento que Aírton aparou de cabeça e desencantou fazendo o seu primeiro gol com a camisa do Cruzeiro. Considerando a situação atual do Time Celeste este ponto foi muito importante, porque não permitiu ao Náutico se desgarrar na tábua de classificação. Mas, certamente será um excelente campo de observações para Felipão, armar o time que enfrentará o Paraná no fechamento do turno da classificação.

Aírton marca seu primeiro gol com a camisa celeste. Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro


A análise da partida mostrou que temos alguns jogadores como Marcelo Moreno que não estão conseguindo render com este sistema tático que usa Arthur Caíke e Marquinhos Gabriel ao lado de Régis no setor de aproximação. Invariavelmente o Cruzeiro tem melhorado com os garotos velozes Aírton e Wellinton Torrão pelas pontas, mas, Moreno também precisa ajudar ao time. Ele me parece extremamente ansioso em resolver e tem corrido demais, mas, de forma errada. O time do Cruzeiro ainda não aprendeu a fazer a famosa pressão após a perda da bola no ataque, que permite ao time a recuperação da posse de bola ainda no campo do adversário, porque falta sincronia de movimentos, falta inteligência futebolística para fazer a pressão e num time veloz como o nosso fica com os garotos nos flancos, o contra-ataque é arma de extrema importância. Nesta hora, Moreno tendo voltado muito para ajudar a dar combate no meio, está desgastado e nas poucas chances que aparecem, acaba concluindo mal.


Creio que Aírton com este gol de hoje, possa tirar o peso de atacante que perde gols e finalmente possa mostrar todo o potencial que ele já mostrou ter. Tem sim que insistir nas jogadas individuais, porém, precisa usar menos o drible da vaca ou gaúcha quando o adversário está corretamente postado, pois, perderá todas as bolas. Wellinton Torrão nas mãos do Felipão vai crescer muito, pois, é o tipo do jogador forte e veloz que ele sempre gostou de usar em seus times.


Quero destacar o fantástico futebol do Adriano, que joga simples, não inventa e tem um excelente posicionamento em campo. E dentro em breve vai nos mostrar o futebol vistoso fazendo ultrapassagens pelos flancos e boa chegada na área.


☻ OS LANCES MAIS RELEVANTES DA PARTIDA:


11’ – De fora da área, no ataque do Cruzeiro, Arthur Caíke arrisca um chute muito forte. A bola exige ótima defesa de Jefferson. Principal chance do jogo na famosa fase de estudos.

18’ – Régis cobra a falta sofrida por Marquinhos Gabriel, na segunda trave. Arthur Caíke tenta o cabeceio, mas Jhonnatan consegue cabecear para a linha de fundo, afastando o perigo. Na cobrança do córner, Arthur Caike de novo, cabeceia mal, alto.

☻ 20’ – GOL do Náutico – Vinícius, o camisa 70 carrega a bola pela esquerda, avança, puxa para o meio e chuta de fora da área, com força, rasteiro, no cantinho. Fábio se estica todo, mas não consegue a defesa. O Timbu abre o placar: 1 a 0...

22’ – TIROU TINTA - Régis cobra a falta sofrida por Marcelo Moreno no lado esquerdo do ataque. Cobrança em curva que Ramon no meio da área desvia de cabeça, buscando o canto esquerdo de Jefferson. A bola passa perto da trave, mas vai pra fora...

☻ 32’ – QUE CHANCE !!! - Kieza é lançado no ataque do Náutico, briga com a zaga do Cruzeiro e consegue finalizar, meio sem jeito. A bola resvala em Fábio, que fez saída providencial e segue na direção do gol, mas Ramon aparece na hora certa para afastar.

♠ 35’ – Substituição no Cruzeiro – Sai Arthur Caike contundido e entra Aírton.

☻ 44’ – DEFEZAÇA DE FÁBIO – Jean Carlos (camisa 10) cobra falta com muito veneno. Forte e com efeito, a bola vai na direção do ângulo. Fábio se estica todo e faz linda defesa!

44’ – QUASE - Sassá recebe a bola de presente da defesa da Ponte Preta e do aperto de marcação de Aírton e Régis na saída de bola, adianta e chuta, mas, para na defesa arrojada de Ivani.


♣ 45 + 5’ – FIM DO PRIMEIRO TEMPO – Náutico 1x0 Cruzeiro – É preciso destacar a entrada covarde de Jorge Henrique em Matheus Pereira que o tirou do jogo.


♠ INTERVALO – Substituições no Cruzeiro – Saindo Matheus Pereira (contundido) e Marquinhos Gabriel para as entradas de Patrick Brey e Sassá.

☻ 52’ – Erick recebe a bola no ataque do Náutico, na meia esquerda e arrisca um chute de canhota de fora da área. A finalização é forte, mas vai pra fora.

☻ 56’ – QUASE - No ataque do Náutico, Erick é lançado, Ramon é traído pelo quique da bola, e o atacante sai cara-a-cara com Fábio. Ele finaliza, Fábio desvia, mas a bola segue na direção do gol. Cacá aparece para afastar em cima da linha, evitando o 2º gol do Timbu.

61’ – BOA CHANCE - Cruzeiro vai ao ataque pela direita, com Aírton levando vantagem sobre Kevyn e cruzando para Marcelo Moreno, que mata no peito e gira forte da entrada da área, mas, manda a bola à esquerda do gol do Náutico.

♠ 71’ – Substituição no Cruzeiro – Jadson x Felipe Machado

♠ 78’ – Substituição no Cruzeiro – Régis x Wellinton Torrão

82’ – SENTI FALTA DO VAR – A bola fica pererecando na área alvi-rubra e no chute de Moreno desvia claramente no braço do jogador do Náutico, que infelizmente o juiz não tinha como ver porque estava encoberto no lance, se tivesse VAR era pênalti.

85’ – GOL DO CRUZEIRO - Fábio faz a reposição e coloca nos pés de Felipe Machado que ajeita o corpo e faz um lançamento perfeito de 60 m, que acha Patrick Brey aberto na esquerda. Ele avança e cruza com perfeição na cabeça de Aírton que desvia para as redes para o delírio da torcida celeste. Náutico 1x1 Cruzeiro.

♣ 90 + 5’ – FIM DO JOGO: NÁUTICO 1x1 CRUZEIRO


☻ SÚMULA DA PARTIDA: Náutico 1x1 Cruzeiro


♦ Motivo: 18ª Rodada do Campeonato Brasileiro da Série B em 2020.

♦ Local, Data e Hora: Estádio dos Aflitos, Recife (PE), 25/10/2020, DOM, 16:00 h

♦ Arbitragem: Leandro Bizzio Marinho, Anderson José Moraes Coelho, Evandro Melo Lima (SP) e 4º árbitro: Nairon Pereira Lira (PE). Com boa atuação, sem comprometer a marcha do placar e aplicando corretamente as advertências.

♦ Cartões Amarelos: Camutanga, Rhaldney, Jorge Henrique (Náutico), Cacá, Ramon, Marquinhos Gabriel e Wellinton (Cruzeiro).

♦ Gols: Vinícius a 20’ e Aírton a 85’

♦ Público e Renda: não houve. Jogo sem público em função da pandemia.


Cruzeiro: Fábio, Rafael Luiz, Cacá, Ramon e Matheus Pereira (Patrick Brey); Adriano e Jadsom (Felipe Machado); Marquinhos Gabriel (Sassá), Régis (Wellinton Torrão) e Arthur Caike (Aírton); Marcelo Moreno. DT: Luiz Felipe Scolari

☻ Náutico: Jefferson, Hereda, Carlão, Camutanga e Kevyn; Rhaldney, Jhonnathan (Djavan), Jorge Henrique (Erick) e Jean Carlos (Marcos Vinícius); Vinícius (Álvaro) e Kieza. DT: Juninho Lola (Gilson Kleina está com COVID).


☻ Homenagem Especial desta Coluna: à turma do programa JOGADA DE CLASSE, todos os dias de 13 às 14 h no YOUTUBE sempre sob o comando do grande jornalista Orlando Augusto e com as presenças marcantes de Ronan Oliveira, Luiz Carlos Gomes, Alan Passos, Ruth Martins, Rodrigo Duarte, Nathalia Fiuza entre tantas feras do mundo esportivo de Minas Gerais.

☻ E de Conceição do Mato Dentro-MG e Região: Hoje a homenagem exclusiva vai para o grande Renilson Marcos de Lima Guimarães (Pico), que inaugurou com sucesso total o espaço BAND ARENA (quadra esportiva e bar) na nossa terra, palco garantido das maiores resenhas da história de Conceição.

“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido”


Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco