Cruzeiro 0x1 Avaí: Chega de saudade

Mundo Azul,

☻ O Cruzeiro segue sua triste sina e ressuscita mais um – Quando ocorreu a troca de treinador, se esperava que o lado anímico do time fosse mudar, mas, isto não aconteceu. O Cruzeiro segue sendo um time psicologicamente fraco e nossa torcida acostumada aos grandes esquadrões, continua achando que a camisa vai vencer jogos...não vai. O elenco do Cruzeiro foi todo remontado e as três vitórias iniciais pagando os seis pontos perdidos em virtude da punição da FIFA, transferiram para a torcida que tudo seria fácil, que a nossa passagem pela série B seria tranquila. Ledo engano.


O pior problema do Cruzeiro é o nosso estado psicológico. Nossa tomada de decisão é muito falha e para complicar as coisas, o Cruzeiro anda cercado de uma maré de falta de sorte, capaz de ressuscitar adversários com longos jejuns de vitória, como foi o caso do Brasil-RS, do CSA e também do Avaí. Todos jogaram por uma bola e conseguiram chegar ao nosso gol praticamente na primeira vez que chegava ao ataque.

Cruzeiro x Avaí, pelo Campeonato Brasileiro B, no estádio Mineirão. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Nosso time mais uma vez fez um jogo exatamente igual aos outros da temporada. Volume de jogo, posse de bola, etc, etc, etc. Não conseguiu criar jogadas trabalhadas, chances cristalinas de gol, só tem chegado ao gol nas jogadas de bola parada. O casamento das peças não acontece, ou seja, os setores me parecem desconectados, o time não tem consistência e anda numa falta de sorte absurda.


O Cruzeiro repetiu o enredo de vários jogos em casa, roda a bola de um lado para outro, mas, faz um jogo vertical pobre de inspiração. Os nossos jogadores de meio e ataque parecem muito determinados a manter a posse de bola. Mas, raramente nossos jogadores partem para cima, buscam o drible para quebrar as linhas de marcação do adversário e ficam virando a bola de um lado para o outro, sem uma agressividade real, até perder a bola ou conseguir um córner, cuja cobrança não resulta em chance de gol para nós. Além disto, quando um passe deixa um de nossos jogadores pelo lado de campo em condição de fazer um cruzamento ou assistência, não temos conseguido acertar ou definir uma jogada, para criar chances reais de gol. É triste demais. Que bola o Marcelo Moreno teve para concluir tipo à que o atacante do Avaí teve? Nenhuma.


Vejam como anda o espírito do torcedor cruzeirense, sofrendo de banzo, ficar relembrando como o time atuava não vai resolver. É tempo de mudar a nossa mentalidade dentro das 4 linhas, encarar de frente a série B, temos que competir mais, ter mais atitude, de igualar a todos os nossos adversários na garra e na vontade. E voltar a pontuar. Fazer alguma coisa diferente em campo, perder o medo de arriscar. E quem pode fazer isto são os nossos jogadores em campo. Não temos outra saída. Vamos ter que jogar mais bola se quisermos mudar a história de nossa participação nesta competição. Ainda há tempo, mas, cada resultado negativo tornará a nossa missão de subir, ainda mais complicada.


Torcida ameaçar jogador não resolve e nunca resolveu.


Chega de testar jogador e descartar após 3 ou 4 jogos. É preciso um pouco mais de convicção, escalar atletas para fazer a função que eles se sintam mais à vontade e torcer muito para o nosso jogo finalmente encaixar. Já passa da hora de nossos jogadores atuarem também com melhor nível, não é mesmo?



☻ OS LANCES MAIS RELEVANTES DA PARTIDA:


☺ 5’ – Filipe Machado tem a oportunidade de bater o segundo escanteio a favor e o faz à meia altura, Felipe Santos tenta cortar e quase sai o gol do Cruzeiro.

☺ 11’ – Aírton recebe ótimo passe de Felipe Machado e ao invés de cruzar a bola, chuta na rede pelo lado de fora, com 3 jogadores do Cruzeiro podendo receber o cruzamento (Caike, Maurício e Moreno).

☺ 16’ – Felipe Machado aciona Maurício entre os zagueiros do Avaí, mas, ele se demora a finalizar e Ralf faz o bloqueio com competência.

☺ 24’ – Daniel Guedes cobra escanteio na segunda trave, Cacá sobe mais do que todo mundo e finaliza em direção ao gol, mas, a bola sai fraca e Lucas Frigeri espalma.

☺ 26’ – Falta na meia esquerda, a dez passos da linha da área. Filipe Machado cobra falta em curva em direção ao gol, mas ninguém chega para desviar. Lucas Frigeri sai de soco, meio esquisito, mas afasta o perigo.

☺ 44’ – A MELHOR CHANCE DO PRIMEIRO TEMPO - Filipe Machado bate falta no segundo pau, onde estavam Moreno e Manoel. O zagueiro sobe, faz o movimento queixo no ombro, mas, a bola resvala na cabeça dele e vai para fora, rente à trave de Lucas Frigeri.


♣ 45 + 2’ – FIM DO PRIMEIRO TEMPO – Cruzeiro 0x0 Avaí – Embora o adversário não tenha feito nada de realce, o Cruzeiro só teve algum arremedo de gol nas jogadas de bola parada.


♠ 53’ – Substituições no Cruzeiro – Maurício x Régis e Aírton x Marquinhos Gabriel

☻ 56’ – QUE VACILO FÁBIO! – Fábio sai jogando errado e a bola fica com Renatinho do Avaí que para nossa sorte adianta a bola que sobra limpa para Fábio.

☺ 60’ – Matheus Pereira avança e cruza da intermediária, encontrando Marcelo Moreno no meio da defesa, que acossado pelo beque, não consegue cabecear bem. Bola fora.

☺ 61’ – ARTHUR CAIKE PERDE - O lateral Daniel Guedes cruza no lado oposto para Arthur Caike, que empurrado pelo lateral Arnaldo cabeceia mal e perde a chance. Pior, acaba batendo o joelho na trave e tem que sair. Vem aí Thiago. Ney Franco usa Régis na direita e Marquinhos Gabriel na esquerda, com Thiago e Marcelo Moreno pelo centro. Ainda mantem Ariel Cabral mais recuado e Felipe Machado mais à frente. O Cruzeiro segue sendo u m time carente de imaginação.

☺ 63’ – Matheus Pereira lança Régis, a bola sai mais forte que devia, mas, Régis se joga e de carrinho cruza rasteiro. A bola passa pelo goleiro, mas Airton consegue afastar.

☺ 72’ – Marcelo Moreno recebe de Mateus Pereira na situação de meia esquerda, fora da área, limpa o marcador e finaliza com a perna direita. Lucas Frigeri joga pela linha de fundo.

♠ 74’ – Substituições no Cruzeiro – Ariel Cabral x Ramon + Daniel Guedes x Rafael Luiz

☻ 78’ – GOL DO AVAÍ - Getúlio recebe na esquerda, limpa Cacá e cruza na segunda trave. Pedro Castro se movimenta bem nas costas de Matheus Pereira e coloca o Avaí em vantagem. O que já era ruim fica tenebroso.

☺ 81’ – Ramón faz cruzamento na segunda trave, Marcelo Moreno se movimenta nas costas do marcador, mas cabeceia para fora.

☺ 89’ – Régis aproveita bate-rebate na área e finaliza de perna direita para boa defesa do goleiro do Avaí, que aproveita e cai no chão para fazer a cera costumeira.


♣ 90 + 6’ – FIM DO JOGO: CRUZEIRO 0x1 AVAÍ


♣ OPINIÃO DO COLUNISTA: O Cruzeiro teve 72% de posse de bola e 26 finalizações na partida, com apenas 4 certas. É o retrato da nossa falta de equilíbrio, dos erros de posicionamento em campo, da falta de entrosamento (estamos mexendo demais no time) e da falta de inspiração/erros de tomada de decisão. Se vocês olharem as colunas anteriores verão basicamente as mesmas coisas. O torcedor a cada rodada elege seus alvos para a crítica, porém, o problema no Cruzeiro é sistêmico. Fábio veio falar em problemas financeiros? O que o Cruzeiro combinou em 2020 está em atraso? Creio que não. O presidente tem trabalho com muito afinco para botar a folha em dia e o retorno que está tendo é muito aquém do esperado. Este grupo de jogadores pode render muito mais. Ainda há esperança, mas, a reação não pode esperar mais.


SÚMULA DA PARTIDA: Cruzeiro 0x1 Avaí


♦ Motivo: 11ª Rodada do Campeonato Brasileiro da Série B em 2020.

♦ Local, Data e Hora: Mineirão, BH, 25/09/2020, SEX, 21:30 h

♦ Arbitragem: Alexandre Vargas Tavares de Jesus + Thiago Rosa de Oliveira e Daniel do Espírito Santo Parro, todos da Federação Carioca, com nítida má vontade com o Cruzeiro.

♦ Cartões Amarelos: Renatinho, Kunde (Avaí) + Ariel Cabral, Daniel Guedes, Mateus Pereira e Cacá (Cruzeiro).

♦ Gols: Pedro Castro a 78’

♦ Público e Renda: não houve. Jogo sem público em função da pandemia.


☺ CRUZEIRO: Fábio, Daniel Guedes (Rafael Luiz), Manoel, Cacá e Mateus Pereira; Ariel Cabral (Ramon) e Felipe Machado; Aírton (Régis), Maurício (Marquinhos Gabriel) e Arthur Caike (Thiago); Marcelo Moreno. DT: Ney Franco

☻ AVAI: Lucas Frigeri, Felipe Santos (Arnaldo), Rafael Pereira (Kunde), Aírton e Capa; Ralf, Jean, Renatinho (Valdívia) e Pedro Castro; Rildo (Vinícius Jaú) e Gaston Rodrigues (Getúlio). DT: Geninho


☻ Troféu Bola Murcha: Hoje a escolha ficaria dividida entre vários nomes: Maurício e Aírton merecem ser citados, mereceram a substituição.


Homenagens desta Coluna: Eliezer de Oliveira Mattos Jr. (o famoso Zezé Pequeno) e sua amada Mariana pela notícia da vinda do(a) herdeiro(a).


E de Conceição do Mato Dentro-MG e Região: Família do Sílvio Madureira, em especial aos meus amigos cruzeirenses Romeu, Silvinho e Ruy.


“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido”

Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco