• João Chiabi Duarte

Flamengo 3 x 1 Cruzeiro: estreia com derrota no Rio

Mundo Azul,

Uma derrota merecida, mas, que poderia ter sido evitada – O jogo era marcado por grande expectativa, afinal reuniria no Maracanã 2 times considerados por todos os analistas de esporte do país entre os maiores favoritos à conquista do Brasileiro de 2019, ao lado de Palmeiras, Grêmio, Corinthians e São Paulo, em função dos investimentos feitos e a montagem dos elencos capazes de suportar as 38 rodadas da competição.


O jogo começou com muita movimentação de intermediária a intermediária, porém, com os erros de penúltimo ou último passes.

Rodriguinho em disputa de bola com o adversário. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O Cruzeiro havia tido que fazer uma mudança de última hora, porque o nosso zagueiro Léo com indisposição acabou vetado para este jogo, entrando Murilo em seu lugar. E na primeira oportunidade, antes dos 10’ de partida, ele já ficou pendurado com um cartão amarelo, injusto a meu ver, dado pelo péssimo árbitro, o arrogante bombadão Anderson Daronco (nunca fez uma arbitragem decente em jogos do Cruzeiro, com ele no apito é um parto conseguir vitória, podem observar). Digo injusto porque foi Bruno Henrique que veio para cima dele e caiu, não vi o tal toque desclassificante do nosso defensor. Se a falta existiu não era para amarelo.


Na sequência, uma falha da zaga quase deixa Bruno Henrique em condições de abrir o placar, mas, Fábio realizou a defesa e salvou o Cruzeiro.


O panorama do jogo mostrava um predomínio do Flamengo com Pará, Gabigol e Everton Ribeiro fazendo vantagem em cima de Romero, Dodô e Pedro Rocha. Mas, os cruzamentos na área eram todos neutralizados por Dedé.


Quando todos esperavam que o primeiro tempo fosse terminar sem a abertura de contagem, numa bola recuperada, Dedé lançou Fred que girou o corpo e de canhota deixou Pedro Rocha à frente da defesa do Flamengo, ele caminhou e na saída de César de perna esquerda, deslocou o goleiro e mexeu no placar: Flamengo 0 x 1 Cruzeiro no nosso primeiro chute a gol aos 39’.

Gol de Pedro Rocha, o primeiro dele com a camisa estrelada.

Mas, a partir daí começamos a errar muitos passes e nem deu tempo de se ter a vantagem psicológica da vantagem. Eram 40’ da etapa inicial quando Arrascaeta ficou com a bola pela esquerda e levantou na área. Dodô e Murilo esperaram a bola, mas, Bruno Henrique a atacou e ganhou no alto dos 3 cruzeirenses. Fábio saiu mal do gol e errou o tempo de bola. A bola viajou e Bruno Henrique voou na mesma e definiu para dentro do gol. Se Gabigol tivesse tocado na bola (e isto por pouco não aconteceu), certamente o lance seria invalidado pelo VAR.


E fomos para os vestiários com o 1 x 1 no placar.


Os times voltaram do intervalo sem mudanças de atletas, porém, o Cruzeiro voltou mal, desligado. Rodriguinho e Henrique muito mal em campo. Dodô perdido na marcação. Marquinhos Gabriel conduzindo muito a bola até perder. Lucas Romero perdendo muitos passes e o árbitro tendenciosamente puxando tudo a favor do Flamengo. Pará amarelado fez falta desclassificante em Pedro Rocha e ele pediu calma ao rubro-negro.


Eram 14’ da etapa final quando Marquinhos Gabriel fez arrancada sensacional de trás do meio-campo, foi passando por todos que apareciam na sua frente, mas, na última passada ao invés de dar a bola para Fred que acompanhava livre pela esquerda, insistiu em carregar a bola e a perdeu. Pouco tempo depois aconteceu o 2º gol flamenguista. Eram 21’ quando William Arão apareceu livre na intermediária cruzeirense pelo lado direito. Tocou a bola em Gabigol que fez a parede, Arão infiltrou e deixou na saudade Pedro Rocha, Romero e Dodô (preso nas costas de Gabigol), cruzou para Bruno Henrique que bateu firme na bola, que desviou em Dedé e matou a Fábio, fazendo o gol da virada no marcador.


As mudanças de Mano Menezes foram : Rodriguinho (que infelizmente estava muito mal no jogo e não conseguia ganhar nenhuma jogada sobre Cuellar ou Arão) x Thiago Neves aos 17’ da etapa final (logo depois saiu o gol do Flamengo), depois Romero (tomou um cartão imerecido num lance com Éverton Ribeiro) x Lucas Silva aos 22’ da etapa final e finalmente Pedro Rocha (cansaço em função da longa inatividade) x Rafinha aos 24’ da etapa final.


Se formos considerar as saídas para todas as justificativas eram plausíveis, porém, os jogadores que entraram não renderam nada e o time não conseguia levar perigo ao Flamengo.


O Cruzeiro ainda perdeu Murilo expulso aos 39’ após falta duvidosa em Bruno Henrique, que cavou a expulsão do zagueiro cruzeirense, rolando no gramado como se tivesse tomado uma pancada violenta fato que não aconteceu.


Eram 44’ e o jogo caminhava para o final, quando um longo lançamento de Gabigol de trás do meio-campo colocou Bruno Henrique na corrida em disputa com Dedé. O atacante ganhou de cabeça, botou a bola na frente e ficou cara a cara com Fábio que fez uma defesa muito difícil, mas, a sobra ficou com Gabigol que definiu o placar final da partida: Flamengo 3 x 1 Cruzeiro. E lá se foi a nossa invencibilidade.


Eu comecei dizendo que a derrota poderia ter sido evitada porque nos 3 gols do Flamengo houve contribuição decisiva do nosso sistema defensivo. E se o Cruzeiro virasse o 1º tempo com a vantagem no marcador, certamente teria muito mais condições de trazer pontos do Rio. Mas, a vitória premiou o time mais regular em campo, mais incisivo, que buscou mais a vitória e mostrou um futebol de mais qualidade.


Foi em minha opinião uma das mais apáticas atuações do Cruzeiro no ano. E há males que vêm para bem, Mano poderá corrigir os defeitos porque tem o elenco em suas mãos. A reação virá no meio de semana contra o Ceará.


A SÚMULA DA PARTIDA: FLAMENGO 3 X 1 CRUZEIRO


♦ Data, Local e Hora: 27/04/2019, Maracanã, 21:00 h

♦ Motivo: 1ª Rodada do Campeonato Brasileiro de 2019

♦ Arbitragem: Anderson Daronco (FIFA/RS) + Rafael da Silva Alves (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP) + Árbitro de vídeo: Leandro Pedro Vuaden (RS) + Assistentes do árbitro de vídeo: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE)

♦ Cartões Amarelos: Mano Menezes, Edílson, Murilo (2), Lucas Romero, Thiago Neves e Fred (Cruzeiro) + Pará, Léo Duarte, Gabigol e Diego (Flamengo).

♦ Cartão Vermelho: Murilo aos 39’ da etapa final (2º amarelo).

♦ Público Pagante: 29.459 + Público Presente: 35.016

♦ Renda: R$ 1.311.592,00 (ticket médio = R$ 44,52 ou US$ 11.41)


Flamengo: César, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuellar e William Arão; Everton Ribeiro (Juan), Arrascaeta (Diego) e Gabigol; Bruno Henrique.

DT: Abel Braga



Imagem: Twitter Oficial do Flamengo




Cruzeiro: Fábio, Edilson, Dedé, Murilo e Dodô; Henrique e Lucas Romero (Lucas Silva); Marquinhos Gabriel, Rodriguinho (Thiago Neves) e Pedro Rocha (Rafinha); Fred.

DT: Mano Menezes



Imagem: Twitter Oficial do Cruzeiro






♣ Dados Estatísticos da Partida

◘ Chutes: Flamengo 19 x 2 Cruzeiro

◘ Chutes a gol: Flamengo 5 x 1 Cruzeiro

◘ Posse de Bola : Flamengo 58% x 42% Cruzeiro

◘ Passes Trocados : Flamengo 511 x 395 Cruzeiro

◘ Precisão nos passes: Flamengo 85% x 80% Cruzeiro

◘ Faltas Cometidas : Flamengo 13 x 16 Cruzeiro

◘ Impedimentos: Flamengo 0 x 1 Cruzeiro

◘ Escanteios: Flamengo 5 x 2 Cruzeiro

☺ OPINIÃO: A análise fria dos números ilustra o que aconteceu no Maracanã, justificando a expressão de derrota merecida. Afinal, o Cruzeiro errou demais o jogo inteiro. A tomada de decisão, o passe forçado de forma desnecessária, a bola rifada na defesa, com um apavoramento desnecessário, e sem sentido, fizeram com que o Flamengo não sofresse na partida. Mas, o pecado maior foi ter levado o gol de empate na sequência, no 1º lance. Mas, são erros passíveis de acontecer e com os quais não estamos acostumados.


Ao contrário do time cruzeirense o Flamengo tinha que mostrar para a sua torcida que a derrota no Equador era um acaso e entrou muito ligado. Bruno Henrique deu um trabalho imenso à nossa defesa, mas, há que se destacar as atuações muito boas de Cuellar e William Arão, que foram os donos do meio-campo. Gabigol também continua a regular contra o Cruzeiro, fez uma partida muito boa, de luta, garra e disposição. Por incrível que possa parecer a única figura apagada e destoante do Flamengo foi Arrascaeta.


♦ As notas dos nossos jogadores: Fábio (6,5), Edílson (5), Dedé (6), Murilo (6) e Dodô (4); Henrique (4) e Lucas Romero (5), Lucas Silva (5); Marquinhos Gabriel (5), Rodriguinho (5), Thiago Neves (5), Pedro Rocha (7,5), Rafinha (5); Fred (6,5). DT: Mano Menezes (5)


♦ A pontuação no CARTOLA FC: Fábio (-3,00), Edílson (-0.90), Dedé (0,40), Murilo (-1,80) e Dodô (-2,20); Henrique (1,50) e Lucas Romero (-2,40), Lucas Silva (-0,50); Marquinhos Gabriel (1,20), Rodriguinho (2,00), Thiago Neves (-2,00), Pedro Rocha (9,10), Rafinha (2,70); Fred (2,60). DT: Mano Menezes (0,61).


☺ As homenagens desta coluna hoje vão para: Sérgio Rangel Gomes, Marcos Antônio Medeiros, Arlindo Augusto Benevenute, Erick Bispo dos Santos, Ulisses dos Santos, Joaquim Duarte Lage Neto, José Augusto dos Santos Servino, Patrícia Serafim, Guilherme Aquino Ney, Wilson Guilherme Aquino Ney e Heraldo Leite de Andrade. E para comandar este timaço de craques convoco o meu grande amigo Élson Modesto.


E de Conceição do Mato Dentro-MG e Região: João Bosco Costa Lima, Dênio Pires Silva, Chico Maia, Sebastião Ronaldo Mascarenhas, Cristiano Sá, Milton Pires Carneiro, Dalmar Santana Duarte, Kinkas Duarte, Waldenia Duarte Sapore, Leila Gilmara Santana Duarte e João Pedro Duarte Lage. E para comandar este seleto time convoco o meu primo Jesus Gomes.


Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido


Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte





Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco