• João Chiabi Duarte

Cruzeiro 1x4 Grêmio – Mudanças são impreteríveis e inadiáveis

Mundo Azul,


☻ O que restou de Cruzeiro 1 x 4 Grêmio – Antes da bola rolar a única esperança que eu tinha é que o nosso jogo historicamente se encaixava bem no jogo do Grêmio, mas, o jogo deste domingo foi um dia que vai ficar marcado na história do Cruzeiro.

Cruzeiro x Grêmio, 18ª rodada do campeonato Brasileiro 2019, no estádio Independência, em Belo Horizonte. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro


Espero que após este jogo, Rogério Ceni faça as mudanças que sua análise do pós-jogo indicou. É radicalmente necessário mudar o sistema de jogo e também algumas peças de forma a dar ao time, mais vitalidade, mais energia, mais “pegada”, mais força e também mais inteligência.


É um absurdo o que tem acontecido no Cruzeiro nos últimos jogos.


Parecemos time de juvenis, levando gol nos descontos contra o CSA, entregando a bola e dando mole para ambos os times gaúchos, foi triste ver o Cruzeiro se deixar dominar e só não tomamos uma goleada mais acachapante porque Fábio fez umas duas boas defesas no final do jogo e também porque o Grêmio se fartou em errar jogadas com superioridade numérica, dentro do nosso campo em alguns contra-ataques.


O Cruzeiro iniciou o jogo num sistema 4-1-3-2 com Fábio + Edílson, Cacá, Léo e Dodô + Henrique + Marquinhos Gabriel, Thiago Neves e Robinho + David e Fred.


Após um abafa inicial com duas boas conclusões de Fred, que inclusive resultaram numa boa defesa de Paulo Victor após cabeçada firme do nosso centroavante, o sistema de marcação “frouxo” do Cruzeiro começou a mostrar os seus sinais.


David não acompanhava o lateral Rafael Galhardo e era nas costas de Dodô que o Grêmio ia se fazendo. Numa escapada Alisson deixa o seu lateral em condições de avançar e cruzar livre sem ser importunado pela marcação. E da entrada da área, acha Diego Tardelli livre para desviar de letra e abrir o placar.


Nossa torcida nem havia se assentado direito e logo saiu o segundo gol, quando Alisson deriva da direita para a esquerda, Robinho tenta dar um carrinho, mas, é vencido e a bola sobra para Everton, que pisa na bola e espera o corta-luz de Alisson, que recebe no fundo e traz para o meio e vence Fábio, com bola rolada no contrapé do nosso goleiro.


Com o 2 x 0 contra, a torcida começou a vaiar nossos jogadores, exatamente no momento em que eles mais precisavam de apoio. David já havia recebido um cartão amarelo por uma entrada imprudente em Alisson, fez uma nova falta e Rogério Ceni vendo que ele poderia ser expulso, fez corretamente a troca dele por Pedro Rocha.


E quase em seguida, Pedro Rocha fez uma boa conclusão a gol e depois participou da jogada que terminou em pênalti claro de Michel em Henrique que o juiz marcou no ato. Fred bateu e venceu Paulo Victor que chegou a raspar na bola.


Agora claramente num 4-1-4-1 o Cruzeiro viveu os melhores momentos na partida no final do primeiro tempo, mas, sempre passava susto com as ações ofensivas do Grêmio. Sincera e honestamente, a desvantagem de apenas um gol no placar foi lucro para o futebol do Cruzeiro na etapa inicial. Frouxo na marcação, sem inteligência para impedir os contra-ataques e as jogadas de velocidade do Grêmio, errando passes em demasia e para terminar de irritar a torcida os nossos laterais nunca buscavam o fundo, nunca tentavam a jogada, sempre voltavam a bola para trás, numa atuação ridícula tanto ofensivamente quanto defensivamente, pois, os espaços nas laterais apareciam sempre e quem tinha que se desdobrar na cobertura eram os nossos zagueiros (Cacá pela direita e Léo pela esquerda).

O trabalho defensivo de Marquinhos Gabriel (direita) e David (Pedro Rocha) pela esquerda eram muito ruim. Robinho e Henrique não marcavam ninguém, só buscavam se posicionar para a saída de bola, com isto, todo ataque do Grêmio era perigo real e imediato.


Rogério Ceni ainda tirou Robinho e Thiago Neves para as entradas de Sassá e Ezequiel, mas, o panorama da partida não se alterou a nosso favor.


O Grêmio colocou David Braz no lugar de Geromel (contundido) e mais tarde Pepê x Tardelli e Luan x Michel, mantendo o ímpeto ofensivo e tentando marcar mais gols.


E foram dois contra-ataques de Everton Cebolinha que definiram o placar final, com uma retumbante goleada de 4 x 1 em favor do Grêmio que balançaram as estruturas do Cruzeiro.


Os lances mais relevantes da partida:


☺ 2’ - David faz bom giro na meia esquerda e tenta a finalização. A bola bate em Geromel e sobra para Fred, que finaliza de fora da área. A bola desvia e fica com Paulo Victor.


☺ 7’ – QUE CHANCE - Robinho faz bom passe para David pela esquerda. O atacante vai na linha de fundo e cruza na medida para Fred, às costas de Kannemann. O centroavante cabeceia, mas Paulo Victor faz grande defesa e coloca a corner.


☺ 12’ - Fred recebe na meia esquerda de ataque, no pivô, e é derrubado por Geromel. Boa falta para o Cruzeiro, que Thiago Neves cobra por cima da trave, raspou.


☻ 18’ - Cortez recebe pela esquerda, passa pela marcação e cruza na área. Tardelli não consegue a finalização, mas Everton aproveita o vacilo da marcação e chuta. A bola que tinha direção do gol bate em Cacá e a defesa alivia.


☻ 19’ – GOL DO GRÊMIO: Cruzeiro 0 x 1 Grêmio – Jogada pela direita, com Alisson rolando a bola para o apoio de Rafael Galhardo que tem tempo e tranquilidade para caminhar com a bola, levantar a cabeça e achar Tardelli livre na pequena área, para desviar com um toque de letra e sair comemorando. Observem o lance e verão que Dodô ficou totalmente perdido na jogada, não fechou o seu setor e foi em Alisson. Quem deveria acompanhar a subida do lateral gremista (Teoricamente David) falhou feio.


☻ 27’ – GOL DO GRÊMIO: Cruzeiro 0 x 2 Grêmio - Marquinhos Gabriel erra na origem do lance e entrega a bola para Alisson. O meia-atacante arranca, Robinho tenta o bote e não acha Alisson que rola para Everton Cebolinha na entrada da área. Este faz o 1-2 e deixa Alisson cara a cara com Fábio. Recebe o passe e bate cruzado, rasteiro, de perna esquerda, para fazer o segundo gremista na partida. Alisson não comemora por ser ex-jogador cruzeirense.


☻ 30’ - Mais um erro de passe na saída de bola do Cruzeiro com Léo tentando dar um passe e dando a bola de graça para Alisson. O meia arranca e ajeita para o volante Michel na meia-lua. Livre de marcação, o camisa 5 finaliza forte, mas muito alto, sobre o gol de Fábio.


☺ 32’ – Pedro Rocha dá bola para Fred, que abre para Dodô. O lateral levanta na área, Thiago Neves ajeita de peito e Pedro Rocha solta a bomba. Paulo Victor cai e faz a defesa firme.


☺ 36’ – GOL DO CRUZEIRO – Cruzeiro 1 x 2 Grêmio - Num erro de Rafael Galhardo a bola atrasada chega a Pedro Rocha, que divide com Geromel na hora H. Geromel alivia parcialmente e a bola fica viva na grande área. Na sequência da pressão do Cruzeiro dentro da área, Henrique tenta o domínio e Michel chuta a perna do capitão da Raposa. Árbitro assinala o pênalti. Fred bate no canto esquerdo a bola bate na trave e entra, com Paulo Victor raspando na bola.


☺ 41’ – Pedro Rocha dá lençol na entrada da área em Galhardo, numa jogada de muita categoria. Na sequência do lance, Dodô dá uma gaúcha pela esquerda e cruza na área. Cortez tira de cabeça e a bola se oferece para Thiago Neves que novamente chuta por cima, sem direção.


☻ 42’ - Alisson se mete pela meia-direita e é tocado por Pedro Rocha e cai no chão, cavando a falta quase na área do Cruzeiro. Ele bate igual ao lance do gol de Everton Cebolinha no gol contra o Palmeiras no jogo da Copa do Brasil. Cebolinha se antecipa a Edílson, que ficou parado e cabeceou forte. Prá nossa sorte, para fora. Perdendo chance clara.


☺ 45’ – Numa das raras vezes o Grêmio erra na saída de bola com Mateus Henrique, que Robinho recupera e após troca de passes, Fred recebe na área, é puxado e cai em disputa com Kannemann. Reclama de pênalti que o árbitro não dá.


♣ 45’ + 2’ – FIM DO PRIMEIRO TEMPO


☻ 48’ – Tardelli recebe na esquerda e passa bonito por Edílson e Cacá, mas, ao invés de chutar a gol tenta achar Alisson e Everton na área, mas, erra o passe.


☺ 52’ – O Cruzeiro tabela pelo meio com Pedro Rocha e Henrique. O volante é derrubado por Álisson, que recebe amarelo, falta frontal na entrada da área. Robinho bate e acerta o último homem da barreira.


☻ 60’ – Fred recebe a bola pelo meio e tenta passar a Marquinhos Gabriel. O Grêmio sobe no contra-ataque, com tudo aberto. Alisson domina na entrada da área, ajeita o corpo e solta o chute. A bola toca em Léo dentro da área. O Tricolor reclama de toque de mão do zagueiro, mas, o juiz após ouvir o VAR não marca a penalidade máxima.


☻ 64’ – GOL DO GRÊMIO: Cruzeiro 1 x 3 Grêmio - Depois da roubada de bola de David Braz, o zagueiro aciona Matheus Henrique. O volante avança pela direita e vira o jogo para Everton, livre na esquerda. O Cebolinha corta Cacá e bate forte no canto esquerdo de Fábio, no alto, sem chances de defesa.


☺ 73’ – Ezequiel recupera a bola na entrada da área, após boa jogada corta para a perna esquerda e chuta forte. Paulo Victor espalma para escanteio.


☻ 75’ – QUE SORTE - Pepê avança em velocidade pelo meio, puxa contra-ataque, mas, com 3 opções de passe em situação de conclusão, vacila e dá a bola no pé de Henrique.


☻ 76’ – GOL DO GRÊMIO: Cruzeiro 1 x 4 Grêmio -Jean Pyerre encontra Everton pelo meio, na meia-lua da grande área do Cruzeiro. O Cebolinha dá uma finta simples em Léo com facilidade e desloca o goleiro Fábio para ampliar o placar. A torcida do Cruzeiro vaia de forma impiedosa e alguns chegam a jogar pipocas no gramado. Fácil demais. Nossa marcação não apareceu na jogada.


☻ 80’ – BOA DEFESA - Pepê domina e arrisca de longe. Fábio voa e espalma para escanteio.


☺ 85’ – Novamente o duelo entre Fred e Paulo Victor. Na cobrança de córner, Fred ganha no Alto de David Braz e cabeceia forte. O goleiro pula e faz a defesa, espalmando a corner.


☻ 90’ – Agora é Luan que após troca de passes chuta colocado da entrada da área e quase marca. A bola raspa o travessão e vai para fora.


☻ 90 + 3’ – Jean Pyerre cruza na área na direção do gol. Ninguém toca nela, mas Fábio voa e espalma a corner, numa defesa dificílima, pois, tinha muita gente na frente dele.


♣ 90’ + 4’ – FIM DO JOGO


☻ A SÙMULA DO JOGO: CRUZEIRO 1x4 GRÊMIO


♦ Motivo: 18ª Rodada do Campeonato Brasileiro de 2019

♦ Local, Data, Hora: Independência, Belo Horizonte, 08/09/2019, 11:00 h

♦ Arbitragem: Rafael Traci (SC) + Helton Nunes e Éder Alexandre + VAR: Rodrigo D’Alonso Ferreira + William Machado Steffen e Alex dos Santos

♦Cartões Amarelos: David a 14’, Henrique a 55’(Cruzeiro); Alisson a 52’ (Grêmio)

♦ Gols: Fred, aos 36’(Cruzeiro) vs. Diego Tardelli 19’, Alisson 27’, Everton a 64’ e 76’(Grêmio)

♦ Público e Renda: não fornecidos.


♦ Cruzeiro: Fábio, Edílson, Cacá, Léo e Dodô; Henrique e Robinho (Sassá); Marquinhos Gabriel, Thiago Neves (Ezequiel) e David (Pedro Rocha); Fred.

DT: Rogério Ceni


♦ Grêmio: Paulo Victor, Rafael Galhardo, Geromel (David Braz), Kannemann e Cortez; Michel (Luan), Mateus Henrique e Jean Pyerre; Alisson, Diego Tardelli (Pepê) e Everton Cebolinha. DT: Renato Portaluppi


O melhor do jogo: a entrevista de Rogério Ceni e alguns problemas técnicos


Nas entrevistas de pós-jogo, Marcelo Djian confirmou que parte dos salários de julho e os salários de agosto (vencidos na última sexta-feira) estão em atraso, mas, que a diretoria corre atrás de liberação de recursos para colocar em dia o quanto antes.


Itair Machado foi liberado para voltar a ser o executivo chefe do nosso futebol, mas, não apareceu para dar entrevistas.


Rogério Ceni visivelmente constrangido compareceu e deu uma ótima entrevista de pós-jogo, na qual não dourou a pílula e se mostrou insatisfeito com a performance física e técnica de alguns jogadores, definindo que alguns atletas irão precisar de fazer uma inter-temporada para melhorar o condicionamento físico e técnico, sem declinar os nomes.


Se contra o Inter, Rogério Ceni cometeu o erro de iniciar a partida apenas com Henrique de volante (coisa que repetiu hoje), porque precisava reverter o placar. E depois fez a pior substituição possível que era recuar Henrique e colocar Ariel Cabral ao lado de Robinho de volante, na substituição de Dedé, espero que ele se convença que Henrique não pode ser o volante de referência para atuar à frente da zaga.


Procurem ver o posicionamento dele nos sete gols sofridos nesta semana e verão que ele não participa de nenhum dos lances. Henrique pode até funcionar como um segundo homem de meio, destes que se apresenta para o jogo na frente e contribui na contenção, por se posicionar na linha de passe, mas, sempre o vejo aéreo na marcação na maioria dos jogos. É um atleta de caráter, que sente o drama, mas, sem ajuda, o futebol dele não aparece.

Vejam bem, tomamos hoje três gols, de 1-2 com os meias do adversário trançando bola, sem serem marcados de fato pelos volantes, o que certamente facilitaria o trabalho dos zagueiros e laterais. Este é um problema antigo no clube e que precisa ser corrigido.


Perdemos Romero e Lucas Silva, Éderson também não é primeiro volante, embora por ser jovem tenha mais “pegada” que Henrique ou Ariel Cabral (Rogério o achou ainda verde após as primeiras chances). Hora de Rogério olhar para as opções na base (Jonathan, Rômulo, Adriano) porque contratar fora é muito difícil.


Outra coisa é a postura dos nossos meias de criação (Robinho, Marquinhos Gabriel e Thiago Neves) que não tem conseguido dar sequência às jogadas. E insistem em não lançar as bolas para o Fred dentro da área, com a desculpa de que ele está marcado e ficam rodando a bola com posse infrutífera até perder ou dar um lançamento equivocado para uma penetração no facão. A tomada de decisão está muito deficiente, uma das possíveis causas é falta de condicionamento físico (o que bate com a avaliação do treinador na coletiva de hoje). Uma rápida avaliação dos SCOUTS das partidas nos mostra que nesta região do campo, nos nossos jogos acontecem a maioria dos erros não forçados. A correção do sistema é urgente.


O nosso centroavante recebe poucas bolas e por isto não faz mais gols. A capacidade de conclusão a gol de Fred continua admirável, mas, a forma que nossos homens de criação fazem a aproximação não o ajuda nem um pouco. Fred precisa das jogadas de fundo, mas, como fazer isto se os nossos meias atuam com o pé invertido e trazem a bola sempre para dentro?

É preciso ainda se falar dos laterais que raramente buscam o fundo e quando o fazem erram os cruzamentos. Isto ajuda a explicar a nossa dificuldade em fazer gols e a imensa facilidade em tomar gols dos adversários.


Vamos esperar com ansiedade o que Rogério Ceni vai preparar para os jogos das próximas rodadas do Brasileiro, as mudanças que fará.



E a nossa diretoria, o que precisa fazer? – Está claro para mim e para muitos componentes do Conselho Deliberativo que as denúncias feitas pela OPOSIÇÃO ao Fantástico em nada de bom resultaram para o clube. Este papo de passar o clube a limpo não resultou no “impeachment” da diretoria como queria a oposição e não conseguiu mudar nada no clube.


O fato resultou foi na perda de um financiamento que seria fundamental para sanear as contas do clube e dar um tempo para se reorganizar as nossas finanças.


O empréstimo de R$ 300 milhões, a juros de 0.65% a.m, representaria uma economia média mensal de 1.5% a.m nos serviços da dívida fora do PROFUT (± R$ 300 milhões) ou seja, R$ 54 milhões / ano, valor suficiente para pagar uma das parcelas a vencer, com carência de 18 meses. Ou seja, cobriria 50% do valor a ser pago.


Não apenas isto, o clube ganharia boa capacidade de negociar as suas dívidas com redução nos valores, coisa corriqueira nos dias atuais onde o dinheiro está difícil, considerando a condição econômica do país. Aquela denúncia inviabilizou o empréstimo e ainda tornou o custo do dinheiro mais caro para o Cruzeiro.


A diretoria agiu sobre alguns pontos do relatório das comissões internas de sindicância e definiu regras de “COMPLIANCE”, além de estabelecer definitivamente critério quanto ao uso de conselheiros em cargos no clube. Coisa que sempre existiu e na qual não vejo problema se a pessoa tem condições de exercer a função.


Também fez mudanças interessantes atribuindo mais responsabilidade a Renê Salviano que vem fazendo um trabalho muito bom no clube, atraindo patrocínios e implantando uma visão moderna nas captações (foi realmente uma pena a saída do Marco Antônio Lage).


Quanto aos atrasos de salários, a nossa diretoria terá que fazer uma gestão bem arrojada de cortes em despesas fixas do clube de forma a ajustar os salários à nossa real condição de pagamento. É um erro contar com valores de premiações das Copas, como feito em 2019, no orçamento do clube. É preciso ser mais conservador, trabalhando com as premissas de:

- finalista do mineiro

- quartas de finais da Copa do Brasil

- oitavas de finais da Libertadores

- 6º lugar no Brasileiro


Outra coisa que mudou muito no clube foi a relação com os sócios do futebol, distribuição de cortesias, estipulação de ingressos baratos... já mostrou que o clube não ganhou em adimplência e perdeu em arrecadação. É preciso pensar diferentemente o programa de sócios de futebol do clube, que literalmente empacou desde a saída de Alexandre Mattos do clube.


OPINIÃO: o maior desafio da diretoria do Cruzeiro é mostrar transparência e botar os problemas na mesa, fazendo reuniões mais curtas do conselho para mostrar as ações e reconquistar a confiança na gestão. Só assim será possível se instaurar a paz no clube e salvar desta situação muito complicada que vivemos neste momento.


As homenagens desta coluna hoje vão para um time de grandes cruzeirenses formado por: Rafael Brandi, André Tavares, Fábio Militão, Cruzeiro Metal, Pedro Lemes, Fábio Araújo, Beto Carvalho, Beth Makennel, Christiano Rocco, Karla Mota e Francisco Júnior, com quem trocamos idéia a respeito da nossa complexa situação, com opiniões diferentes, mas, seguramente todos querendo o bem do clube.


E de Conceição do Mato Dentro-MG: Hoje a homenagem especial vai para o casal João Bosco Costa Lima e Maria Betânia de Lima Guimarães que há 30 anos promovem o PROJETO MATRIZ na nossa terra, levando cultura de primeiríssima qualidade para a cidade.



“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido”


Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco