• João Chiabi Duarte

Cruzeiro 1x2 América-MG - Desalento no ar: O Time Celeste conseguiu piorar

Mundo Azul,


☻ Hoje foi triste: Cruzeiro 1x2 América-MG – O Cruzeiro vinha de vários jogos e resultados ruins em sequência: empate com o Confiança, derrota para a Chapecoense e empate com gosto de eliminação frente ao CRB. Não tinha desculpa de campo ruim, não tinha desculpa dos atos do adversário fora de campo, mas, fez contra o América-MG uma partida de dar calo nas vistas e deixar a nós seus torcedores muito preocupados. A razão é muito simples, o time INVOLUIU, conseguiu piorar o que já era ruim. Pode parecer implicância, mas, desde a volta de Henrique o Cruzeiro não conseguiu fazer um resultado de vitória sequer. Mas, a meu ver a culpa não é só dele, mas, passa pelas escolhas de Ederson Moreira.

Cruzeiro x América-MG, pelo Campeonato Brasileiro, no Mineirão. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro


Pela escalação inicial, Enderson Moreira armou o time num 4-3-3 típico, com linha de quatro zagueiros, dois volantes e um meia centralizado, dois pontas à moda antiga e um centroavante. Mas, encontrou imensas dificuldades de superar o time do América, armado num 4-4-2 muito inteligente na hora de ocupar os espaços, que explorou com competência os pontos fracos do Cruzeiro e fez um primeiro tempo primoroso, fazendo 2x0 sem sofrimento e impondo ao time celeste uma das mais melancólicas jornadas.



O Cruzeiro colocava os três da frente para tentar marcar a saída de bola, porém, a marcação era mal feita de forma que raramente o América tinha que recorrer aos famosos chutões. Saia jogando sem dificuldades com Messias, Eduardo Bauermann ou João Paulo. E quando a bola caia nos pés de Juninho, Alê ou até mesmo de Zé Ricardo (o verdadeiro center-alf moderno, que se aproxima, triangula, passa bem e também combate o adversário fazendo os desarmes sem se recorrer às faltas), os passes procuravam Toscano, Matheusinho ou Rodolfo que faziam as jogadas de infiltração inteligentes e abusavam da rapidez, explorando as costas dos volantes e especialmente de Giovanni.


Enderson Moreira para tentar compactar o time, trazia os volantes e zagueiros para bem perto da área. Como consequência disso, Régis e também os homens de frente acabavam recuando ficando numa região híbrida do campo sendo todas as iniciativas de ataque desarmadas pela defesa do América, com inteligência. Vez por outra Aírton saia, driblava, um, dois ou três, mas, o quarto vinha e fazia o desarme, porque os outros não se aproximavam dele para serem opções. Cáceres prudente e corretamente guardou mais posição, porque do lado dele se deslocava Matheusinho que é o mais virtuoso atacante americano. O América literalmente destroçou o meio-campo do Cruzeiro, onde Ariel Cabral se desdobrava tirando as bolas de qualquer jeito.


Num destes lances de córner, a bola foi devolvida para a área e Léo e Giovanni subiram com Eduardo Bauermann, a bola sobrou para Rodolfo que pôs na área e Eduardo Bauermann chapou a bola para vencer a Fábio e abrir o placar.


Se a coisa estava ruim antes deste primeiro gol, senti que o controle emocional do time foi para o espaço com a vantagem a favor do América, o Cruzeiro passou a errar passes demais, numa destas ocasiões, o erro foi de Ariel Cabral na saída de bola. Juninho retomou e de cara deixou Rodolfo livre nas costas de Giovanni. Ele cruzou para Matheusinho no segundo pau, ele chutou a primeira vez e Cáceres evitou o gol, mas, o próprio Matheusinho pegou o rebote e não chegou ninguém no socorro, o garoto americano não vacilou e fez o segundo gol.


O Cruzeiro estava literalmente dominado. E, para nossa sorte, fomos para os vestiários com uma diferença de dois gols, porque a vitória poderia ter sido mais dilatada se o América não errasse alguns passes de preparação. Se fosse jogo com torcida a vaia teria sido violenta, porque a rigor o Cruzeiro não fez nada. Nem com a bola rolando e menos ainda com as jogadas de bola parada.


Temos algumas pessoas que adoram dizer que o time não tem PADRÃO DE JOGO. Mas, na minha opinião tem, só que é muito ruim e as peças escolhidas para a execução são equivocadas. O Cruzeiro realmente está intragável. Difícil de assistir.


Com o jogo à feição do América, com a vantagem no placar Lisca Doido, que de maluco não tem nada, trouxe o time um pouco para trás e deu a bola para o Cruzeiro na etapa final. De cara as entradas dos garotos Mateus Pereira (Giovanni), Jadsom (Ariel Cabral) e Maurício (Régis) deram uma melhorada na dinâmica do jogo cruzeirense. Mas, Henrique que não tinha feito nada de positivo na etapa inicial ficara em campo, saindo Ariel Cabral que pelo menos se esforçava. Henrique gosta da bola nos pés, mas, está visivelmente fora de ritmo, fora de sintonia e continuou errando muitos passes. Não lhe faltou esforço, mas, ele começou a partida e até sua saída correu errado em campo. Enderson sacou Henrique (Felipe Machado) e depois Marcelo Moreno (Thiago). O Cruzeiro diminuiu numa fantástica cobrança de falta de Arthur Kaike, mas, não foi o suficiente para conseguir o empate. Afinal de contas, o América soube controlar a partida nos minutos finais e o Cruzeiro não teve chances concretas de gol. E o jogo acabou com vitória merecida do América.


♣ OPINIÃO DO COLUNISTA: Enderson Moreira treinou o Cruzeiro em três partidas pelo Campeonato Mineiro, uma pela Copa do Brasil e seis pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Penso que se ele continuar será preciso mudar a forma de encarar o elenco e a competição. A Série B é uma competição que exige muita entrega, velocidade, marcação apertada e que muitas vezes exporá o time a situações adversas, coisas extra-campo que não deveriam mais existir, mas, estão aí. Chega de vestibular no Cruzeiro. É hora de colocar em campo os jogadores que estiverem tendo melhor rendimento. Isto tem que ser parte do nosso cotidiano. Hoje Régis pelo menos tentou alguma coisa, mas, o Cruzeiro se posicionou mal e correu errado. Cito alguns fatos:

  • Marcelo Moreno está voltando demais para participar do jogo, acaba não estando na área na hora que os colegas o procuram para a finalização.

  • O Cruzeiro está compactando atrás da linha de meio-campo, talvez em função dos nossos volantes lentos. Vejam como a situação mudou com Felipe Machado e Jadsom, o América praticamente não chegou no fim do jogo.

  • Maior reconhecimento às figuras de Ariel Cabral e Henrique, mas, o Cruzeiro não pode entrar em campo com ambos nos sistemas 4-2-3-1 ou 4-3-3, não tem como manter dois volantes com o perfil lento em campo. O time fica fraco defensivamente e tem uma transição muito lenta, sendo presa fácil para qualquer sistema de marcação decente.

  • Depois de ver João Lucas, Patrick Brey, Giovanni e Rafael Santos afirmo sem medo de errar que o Mateus Pereira é o melhor que temos pra escalar neste momento.

  • Se o Cruzeiro precisa fazer caixa não vai ser com os medalhões em campo que vamos valorizar os nossos atletas. Desta forma os quatro garotos que já despontaram precisam estar no time... Cacá, Jadsom, Maurício e Thiago, junto com o Mateus Pereira serão 5 da base.

  • O Cruzeiro escalando volantes mais ágeis poderá fazer a marcação mais adiantada sufocando ao adversário, recuperando as bolas no campo deles, sobrando oxigênio para a tomada de decisão... Este negócio de compactar atrás da linha de meio-campo e fazer gol como o do Wellington no campeonato mineiro não acontece todo dia e é raro na série B, exceto nos finais dos jogos.

  • Arthur Caike será um jogador de muita valia para o Cruzeiro nas bolas paradas. O Cruzeiro deveria concentrar seus treinamentos nos lances de bola parada ofensiva, porque tem sido raro o time fazer gols em lances de corners ou faltas com bolas alçadas na área (este ano lembro do gol da virada de Léo).

Creio que o momento de trocar o treinador acontece quando os jogadores deixam de acreditar nas ideias do técnico, quando ele perde o vestiário, combinando isto tudo com futebol fraco e sem resultados. A opinião do Pedro Lourenço (Supermercados BH) após o jogo foi muito enfática. Expressou a tristeza de todos os cruzeirenses após a partida de hoje.


OS LANCES MAIS RELEVANTES DA PARTIDA:


☺ 4’ – Cruzeiro chega ao ataque pela primeira vez, pela direita, com Cáceres. Ele vai à linha de fundo e cruza na segunda trave. Arthur Caíke tenta o cabeceio, mas Matheus Cavichiolli faz a defesa sem dificuldade.

☻ 5’ – LÈO TIRA O PÃO DA BOCA DO TOSCANO - A bola é lançada nas costas de Giovanni para Rodolfo que faz boa jogada pela direita do ataque do América e tenta um cruzamento na área, buscando Toscano. O camisa 7 teria ótima condição de finalizar, mas Léo, antes disso, aparece para cortar de cabeça.

☻ 10’ – QUASE - América encaixa um rápido ataque pela direita, com Rodolfo, outra vez nas costas de Giovanni. Ele carrega a bola e, na entrada da área, tenta a finalização. A bola desvia na defesa, mas Fábio, ainda assim, consegue a defesa com tranquilidade.

☻ 25’ – GOL DO AMÉRICA – Após cobrança de córner, Daniel Borges cruza na área, e a defesa do Cruzeiro bate cabeça literalmente (Léo/Giovanni) e o corte parcial fica com Rodolfo, que, na 2ª trave, cruza rasteiro, para Eduardo Bauermann, que aparece como um centroavante para finalizar bem, sem chances para Fábio. O zagueiro abre o placar para o Coelho e comemora com o gesto do Pantera Negra. Cruzeiro 0 x 1 América.

☻ 31’ – GOL DO AMÉRICA - América rouba a bola no campo de ataque e, após uma dividida na entrada da área, a bola fica com Rodolfo, pela direita, mais uma vez nas costas de Giovanni. Ele avança com ela e cruza para Matheusinho, na segunda trave. O garoto finaliza, mas Cáceres evita o gol. No rebote, Matheusinho, com calma, ajeita o corpo e chuta, estufando as redes. O Coelho amplia o placar: 2 a 0...

☻ 44’ – QUASE - América chega bem ao ataque mais uma vez, pela esquerda. Matheusinho toca para João Paulo, que carrega para o meio e ameaça cruzar, mas resolve arriscar um chute direto pro gol, de direita. A bola é muito forte e obriga Fábio a fazer boa defesa.


♣ 45 + 2’ – FIM DO PRIMEIRO TEMPO: CRUZEIRO 0x2 AMÉRICA-MG.


♠ Substituições no intervalo – saem Giovanni, Ariel Cabral e Régis para as entradas de Mateus Pereira, Jadsom e Maurício.

☻ 48’ – Airton recebe a bola pela direita do ataque do Cruzeiro e tenta uma jogada individual. Ele é marcado de perto por Eduardo Bauermann e Zé Ricardo. A dupla americana comete falta no lance. Arthur Caike cobra e por pouco Léo não consegue o desvio para fazer o gol.

☺ 75’ – GOL DO CRUZEIRO – O camisa 7 cobra uma falta de média distância com extrema categoria e precisão. Ele pega bem demais na bola, que vai no cantinho e bate na trave antes de entrar. Um belo gol do Cruzeiro, que diminui no Mineirão: América 2 x 1 Cruzeiro

☺ 77’ – CRUZEIRO CRESCE COM O GOL - Arthur Caíke recebe no lado esquerdo domina a bola e tenta um chute de fora da área, mas a defesa do América bloqueia. No rebote, Jadsom tenta o chute, mas pega fraco e Matheus Cavichiolli faz a defesa sem dificuldade.

♠ 78’ – Substituição no Cruzeiro – Henrique x Felipe Machado.

♠ 80’ – Substituição no Cruzeiro – Marcelo Moreno x Thiago.

☺ 90 + 5’ – No último lance, Machado arrisca de longe para o Cruzeiro. Matheus Cavichiolli faz boa defesa.


♣ 90 + 6’ – FIM DO JOGO: CRUZEIRO 1x2 AMÉRICA-MG


☻ SÚMULA DA PARTIDA: Cruzeiro 1x2 América-MG


♦ Motivo: 6ª Rodada do Campeonato Brasileiro da Série B em 2020.

♦ Local, Data e Hora: Mineirão, Beagá, 29/08/2020, SAB, 19:00 h

♦ Arbitragem: Paulo César Zanovelli + Frederico Soares Vilarinho e Leonardo Henrique Pereira (trio de MG), com boa atuação, especialmente na parte disciplinar.

♦ Cartões Amarelos: Matheusinho, Daniel Borges (América) e Jadsom e Lucas França (Cruzeiro).

♦ Gols: Eduardo Bauermann 25’, Matheusinho 30’(América), Arthur Caike(Cruzeiro) 75’

♦ Público e Renda: não houve. Jogo sem público em função da pandemia.


☺ CRUZEIRO: Fábio, Cáceres, Léo, Cacá e Giovanni (Mateus Pereira); Henrique (Felipe Machado) e Ariel Cabral (Jadsom); Arthur, Régis (Maurício) e Arthur Caike; Marcelo Moreno (Thiago). DT: Enderson Moreira

☻ AMÉRICA-MG: Mateus Cavichiolli, Daniel Borges (Diego Ferreira), Messias, Eduardo Bauermann e João Paulo; Zé Ricardo Juninho, Marcelo Toscano (Vitão) e Alê (Flávio); Rodolfo (Léo Passos) e Matheusinho (Calyson). DT: Lisca Doido


As homenagens especiais desta coluna hoje vão para: Jaider André dos Reis, Jackson Chiabi Duarte, Elder Gomes dos Reis, Francisco de Assis Chiabi de Queiroz, José Geraldo Alves, José Geraldo Mendonça, Fernando Queiróz Barbosa e Júlio Wenceslau Piontkovsky, que fazem parte da Kombi verde que sempre complica os jogos contra o Cruzeiro, mas, vivem entregando o ouro para o time de Vespasiano.


Troféu Bola Murcha: Hoje os candidatos são vários, mas, Giovanni e Henrique vão para a galeria de honra, fizeram um jogo esdrúxulo hoje. Ruim demais.


E de Conceição do Mato Dentro-MG e Região: Flávio Martini Ribeiro (Lolê), Olímpio José Ferreira (Tiú), Helder Carvalho Ferreira (Varal), Renato Soares de Carvalho (Fubá – Carmésia), Sebastião Ronaldo Mascarenhas (Sessé), Antônio Geraldo da Silva Neto (Gato), Cristiano Simões (Cavalão), Renato Lúcio de Lima Guimarães (Bimba), José Antônio Carvalho Souza (Tripa), Geraldo Mattos (Culeta) e Geraldo Carvalho (Bigode).

Hoje o capitão deste time tem que ser Carlos Tomazzi, o famoso Cacá, americano, que vive na ponte aérea que liga Ouro Fino (distrito de Conceição) a Miami, onde desfila com orgulho a camisa do time que escolheu para torcer.


“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido”



Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista


Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco