Bahia 0x0 Cruzeiro: Garotada traz bom resultado de Salvador

O que ficou de Bahia 0 x 0 Cruzeiro? – Se antes da bola rolar, com o Cruzeiro entrando em campo com o time totalmente reserva contra o bom time do Bahia comandado por Roger Machado, alguém nos oferecesse o empate, qualquer um aceitaria. Então, com base nisto, afirmo que o Cruzeiro trouxe um bom resultado de Salvador.

 

Bahia x Cruzeiro, 11ª rodada do campeonato Brasileiro 2019, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

 

 

Mas, quando a gente observa o que aconteceu na arena da Fonte Nova, com o time tendo feito um bom primeiro tempo e podendo atuar toda a etapa final com um jogador a mais, o empate acabou sendo um resultado abaixo das possibilidades do time.

 

Obviamente, que a falta de entrosamento existiu, porém, alguns jogadores mostraram futebol muito aquém das suas possibilidades. Conhecendo a cabeça do Mano Menezes após três anos à frente do clube, digo tranquilamente que hoje a missão era não perder para o Bahia e neste sentido, o objetivo foi alcançado até com poucos riscos.

 

Mas, as melhores chances do jogo sempre foram do Cruzeiro. A postura do time desde o início não foi ficar apenas se defendendo, tanto isto é verdade que antes dos 15’ de jogo o Cruzeiro já tinha produzido duas chances reais de gol. Uma com Sassá que cabeceou de cima para baixo e propiciou uma boa defesa ao goleiro do Bahia, embora eu julgue que Sassá tomou a decisão errada e se cabeceasse no contrapé do goleiro Douglas Friedrich, no seu lado direito, teria muito mais chances de marcar o gol.

 

A outra chance veio na cobrança de córner, que depois do toque em Ezequiel a bola sobrou limpa, na risca da pequena área para Ederson, que de canhota, chutou de joanete e acabou por acertar a trave, perdendo chance de gol incrível.

 

O Bahia tentava se impor em campo, mas, por mais que tivesse opções de velocidade pelos lados do campo com Arthur Kayke e Artur, além do goleador Gilberto na referência de ataque, o time não conseguia conexão nem através de Ramires e muito menos dos volantes Gregore e Flávio. Os laterais do Bahia (Ezequiel e Giovanni) bastante tímidos e sem conseguir levar vantagem pelos flancos, porque o Cruzeiro entrou em campo sabendo o que deveria fazer para evitar que o futebol do tricolor da Boa Terra pudesse crescer e trazer a torcida para o lado do time.

 

Mano Menezes posicionou o time com 2 linhas de 4 jogadores, dando pouco espaço ao adversário, dobrando a marcação sempre que possível e fazendo a ocupação dos espaços com correção. Na primeira linha, Weverton, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô... Na segunda linha, Maurício, Jádson, Ariel Cabral e Éderson, deixando na frente, Sassá e David posicionados pelos lados, não tão abertos e algumas vezes, voltando para combater atrás da linha de meio.

 

O time do Bahia e sua torcida sentiram o drama, não conseguiam criar chances de gol. E quando aos 44’ da etapa inicial Arthur Kayke, cometeu falta sobre Jádson, levou o segundo amarelo e foi expulso, a torcida do “Baêa” deitou vaias no seu time na saída do intervalo.

 

Quando os times voltaram para a etapa final, o Cruzeiro procurou se lançar mais ao ataque e teve uma boa chegada com David, depois Maurício pegou um rebote da defesa do Bahia, matou no peito e largou a perna, mas, a bola subiu mais do que devia e foi para fora.


No Bahia a entrada de Lucca deu uma arma de velocidade e também de chute de média distância, mas, as jogadas tentadas foram bem neutralizadas, por Rafael e também pela nossa defesa. Do lado baiano, o destaque foi o zagueiro Lucas Fonseca que fez várias interceptações evitando que as jogadas cruzeirenses tiveram mais contundência.

 

Depois dos 30’ da etapa final, o Bahia já não ia com tanta sede ao pote, passando a esperar o Cruzeiro. As trocas feitas em ambos os lados não surtiram efeito e o jogo terminou sem abertura do placar, fazendo justiça ao futebol de ambos os times.

 

Com o resultado o Cruzeiro, com 10 pontos ganhos, deixa a zona de rebaixamento e assume a portaria da zona, para a qual voltará caso a Chapecoense surpreenda ao São Paulo fora de casa, na partida isolada da próxima segunda feira às 20h.

 

Ao final da partida, assim Mano Menezes viu o jogo: “A gente sai muito satisfeito com a postura deles, com a capacidade de responder bem. Viemos jogar com 11 jogadores diferentes contra o Bahia, uma equipe que vem fazendo uma campanha muito boa no Campeonato Brasileiro, que foi eliminada da Copa do Brasil pelo Grêmio, estava junto com a gente nas quartas de final. Isso dá uma noção boa do que esses meninos fizeram e que deixa a gente muito feliz.

 

Talvez tenha faltado um pouco na última parte, no último terço no jogo. Mas, aí falta aquele entrosamento de uma equipe que não joga, para trabalhar um pouco a bola. Mas é quase uma vitória que levamos daqui pela circunstância.

 

O adversário, mesmo com um a menos, precisava vencer. Aí entra o pacote de tudo o que a gente vem fazendo e aí aumenta a pressão. Jogos sem vencer, uma oportunidade em casa contra o time reserva do Cruzeiro. Aí aumenta ainda mais a responsabilidade do Bahia. Mesmo com um homem a menos, a entrada do Lucca deu mais velocidade, principalmente quando a gente errou as jogadas.

 

É por isso que tem que cuidar do jogo. Você quer ganhar, como queríamos ganhar, tínhamos um a mais, mas você não pode descuidar, porque já são jogadores mais rodados que os nossos, que eram meninos. Alguns fizeram o primeiro jogo com a camisa do Cruzeiro. Suportamos bem quando fomos atacados e tentamos definir quando a posse de bola era nossa”

 

☻ Os lances mais relevantes da partida:

 

☻ 05’ – Flávio lança a bola na área, Kayke cabeceia, mas, Rafael defende com firmeza.

 

☺ 12’ – DEFEZAÇA DE Douglas Friedrich - Sassá pedala na esquerda e é derrubado por Ezequiel. Dodô cobra falta na esquerda, Sassá se antecipa a Giovanni e cabeceia de cima para baixo. Douglas Friedrich com muito reflexo vai buscar a bola na forquilha esquerda, espalma e põe a córner.

 

☺ 13’ – A MELHOR CHANCE DO JOGO - David cobra corner na direita, Jádson coloca na área, Ezequiel vacila no corte e a bola fica com Ederson, livre, na altura da pequena área, o volante chuta de joanete e a bola acerta o poste esquerdo. Uma pena...

Éderson aproveitou sobra em cabeceio de Fabrício Bruno e desperdiçou uma oportunidade incrível de deixar a sua marca no jogo. Foto Reprodução

 

☺ 18’ – Boa troca de passes do ataque celeste, com a participação de David, Dodô, Ariel Cabral e Ederson que recebe a bola na entrada da área, e chuta mal, a bola sai à direita de Douglas.

 

☻ 26’ – A MELHOR CHANCE DO BAHIA - Córner pelo lado direito para o ataque do Bahia. Artur cobra, Juninho ganha de Dodô pelo alto, mas, felizmente cabeceia para fora.

 

45 + 3’ – Fim do 1º tempo. A torcida baiana vaia o seu time. O Cruzeiro teve as melhores chances e vai atuar o 2º tempo com um jogador a mais.

 

☻ 52’ - Artur cruza da esquerda, Cacá afasta parcialmente, bola é recuperada por Lucca, que passa por Ariel Cabral e chuta, com a bola saindo à direita de Rafael, sem perigo.

 

☺ 53’ – Boa jogada de David pelo lado esquerdo, ele recebe gira facilmente em cima de Ezequiel, traz para dentro, passa por Flávio e chuta, a bola quica antes de chegar ao gol e Douglas Friedrich, defende com dificuldade e põe a córner.

 

☺ 54’ – David faz a cobrança de córner pelo lado esquerdo, Lucas Fonseca rebate, Maurício recupera na entrada da área, mata no peito e chuta forte, a bola cobre a trave e vai fora.

 

 ☻ 61’ – DEFEZAÇA de RAFAEL - O beque Juninho avança pelo lado esquerdo e chuta da intermediária, a bola resvala em Fabrício Bruno e obriga Rafael a fazer grande defesa.

 

☻ 63’ – Lucca cruza da direita, Juninho sobre e cabeceia para fora.

 

☺ 67’ – David chuta forte, de longe, Douglas defende, com dificuldade.

 

90 + 5’ – Fim do Jogo – Bahia 0 x 0 Cruzeiro – Apesar de ter um jogador a mais, o Cruzeiro foi melhor na etapa inicial, quando criou as melhores chances de gol, mas, não soube fazer. As trocas feitas por Mano Menezes não melhoraram o time. No final o placar fez justiça.

 

SÚMULA DA PARTIDA: BAHIA 0 X 0 CRUZEIRO

 

☻ Motivo: 11ª Rodada do Campeonato Brasileiro de 2019

☻ Data, Local, Hora: Arena Fonte Nova, Salvador, 20/07/2019, 17:00 h

☻ Arbitragem: Luiz Flávio de Oliveira (SP) + Emerson Augusto de Carvalho e Bruno Salgado Rizo (SP) com boa atuação.

☻ Árbitro de vídeo: Márcio Henrique de Góis (SP), sem interferência de impacto.

☻ Cartões amarelos: Ezequiel e Artur Kayke (Bahia) e Cacá (Cruzeiro)

☻ Cartão vermelho: Artur Kayke (Bahia)

☻ Público Presente:  19.040 torcedores

☻ Renda: R$ 248.619,00 (ticket médio = R$ 13,06 = US$ 3.48)

 

☺CRUZEIRO: Rafael; Weverton, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô; Éderson e Ariel Cabral; Jádson, Maurício (Rafael Santos) e David; Sassá (Vinícius Popó).

DT: Mano Menezes

☻ BAHIA: Douglas Friedrich; Ezequiel (Ronaldo), Lucas Fonseca, Juninho e Giovanni; Gregore, Flávio e Ramires (Lucca); Arthur Kayke, Gilberto (Fernandão) e Artur.

DT: Roger Machado

 

♦ Histórico do Confronto Atualizado: 63 jogos. Cruzeiro venceu 33, empatou 15, perdeu 15, marcou 97 gols e sofreu 55. Pelo Brasileiro, foram 47 jogos. Cruzeiro venceu 27, empatou 10, perdeu 10, marcou 79, sofreu 38. O Bahia é nosso freguês histórico.

 

☻ Homenagens desta coluna vão para a turma do PHD: Bruno Barros, Drª Maria Celeste Gonçalves, Evandro Oliveira, MRR, Fábio Velame, Miguel Tolentino, primo Zuloobas, Mauro França, Romarol, Claudinei Vilela e Bruno Sete Lagoas. E para botar ordem na casa convoco o grande Jorge Santana, que só não azulou o Henrique hoje, porque ele não jogou, mas, que assim como eu faço, aprova a continuidade do trabalho do Mano Menezes.

 

De Conceição do Mato Dentro - MG: Uma homenagem à turma da Santana com Cláudio Cyrino, Quinzé da Aninha D’Usina, Francisco Wilson de Oliveira, Marta Sônia de Souza, Dário Lúcio Pires, Ivana Márcia Lima Souza, Jackie Herman Ludwig Zeh, João Marcos Ottoni Seabra, Maria do Carmo de Lima Souza, Remílson Pires e Maria do Carmo Lages. E para comandar este timaço chamo o grande técnico de vôlei Antônio Cláudio de Rezende, que fez sucesso no Minas e também na terra de Pelé e que nas horas vagas também era ótimo goleiro.

 

“Cruzeiro, Cruzeiro Querido...Tão Combatido, Jamais Vencido”

 

Por: João Chiabi Duarte - @JoaoChiabDuarte

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco