• DebateZeiros Cruzeiro

Palmeiras 2x2 Cruzeiro: Podia ser ainda melhor

Cruzeiro e Palmeiras fizeram o confronto mais esperado da 31ª rodada. O Palestra paulista tenta buscar seu maior rival na luta pelo título e contava com uma vitória sobre o time celeste para ficar ainda mais perto antes do confronto direto no Itaquerão. Cruzeiro com um número absurdo de desfalques mais uma vez jogou sem um atacante. Mano Menezes escalou Fábio, Ezequiel, Manoel, Murilo, Diogo Barbosa; Henrique, Romero, Rafinha, Thiago Neves, Arrascaeta; Rafael Marques. Para tentar uma arrancada rumo ao bicampeonato Brasileiro, o técnico Alberto Valentim levou a campo: Prass, Mayke, Juninho, Dracena, Egidio, Jean, Tche Tche, Moises, Dudu, Keno e Borja.

Robinho e Arrascaeta na comemoração do segundo gol Créditos de Imagem: Marcello Zambrana / Agência LightPress

A partida começou com o Palmeiras tentando abafar a saída de bola do Cruzeiro, mas o time de Mano Menezes se mostrou preparado para isso. Através dos zagueiros e do goleiro Fábio conseguia sair tocando lá de trás. E foi assim que logo aos 5min do primeiro tempo o Cruzeiro abriu o placar em um gol contra de Juninho após cruzamento de Diogo Barbosa. Até o momento do gol o Palmeiras não tinha visto a cor da bola.

A partir daí a equipe Palmeirense se lançou ao ataque avançando ainda mais as suas linhas. O Cruzeiro tinha muito espaço para o contra ataque mas escolheu apenas se defender. Nesse aspecto deve-se considerar também a falta de opção do treinador para o comando do ataque. Rafael Marques só conseguiu ser produtivo, e até muito, ajudando nas bolas paradas defensivas. Fora isso não dava opção nenhuma para uma bola lançada.

Contrariando um pouco as projeções antes da partida, quem jogou pelo lado esquerdo do ataque celeste foi Thiago Neves, e não Arrascaeta. A frente no placar Arrascaeta alternava com Rafael Marques na função de fechar ainda mais o meio campo a frente dos volantes.

O alviverde paulista chegou ao empate após uma bela jogada de seu meio campo. Apesar de achar mais mérito do adversário do que deficiencia defensiva do Cruzeiro, podemos tentar enxergar algumas falhas: Rafinha centralizou para ajudar os volantes, mas um toque rápido de Moisés encontrou Egidio sozinho na lateral. Ezequiel, cumprindo sua função tática, estava dentro da área e teve que sair desesperado na marcação. Manoel deixa Dudu se antecipar e desviar a bola. E por fim a bola sobra para o colombiano empurrar para o gol vazio.

O resto do primeiro tempo passou arrastado e um pouco truncado. Na volta para a etapa complementar, o time celeste voltou bem melhor e ameaçando mais o time da casa. Conseguíamos ter a bola no ataque e levar perigo. Aos 17 minutos, Mano tira Rafael Marques e coloca Robinho em campo, alguem mais maldoso poderia falar que nesse momento passamos a jogar com 11 jogadores. Na sua primeira jogada Robinho sai cara a cara com Prass e com um toque de extrema categoria põe o Cruzeiro mais uma vez a frente no placar. 2 a 1.

Mais uma vez a frente, o Cruzeiro chegou a tocar muito bem a bola no ataque e teve chances de ampliar o placar. Até que o treinador resolve sacar Arrascaeta, que não fez boa partida apesar do espaço enorme que teve. O problema foi colocar o fraquíssimo Lucas Silva que literalmente nada acrescentou ao time. Com isso perdemos qualquer força ofensiva e a pressão Palmeirense durou até o apito final. Quase no fim Borja empatou e deu números finais à partida.

Opinião #DebateZeiros: Temos dois laterais fracos, Ezequiel a torcida já pega no pé. Diogo qualquer um que cai em cima dele passa com facilidade. Mas como faz média em rede social.. Em pleno 2017 tem torcedor que ainda cai nessa. Manoel, quando joga sério é bom jogador. Às vezes sua força, velocidade e bom desarme fora da área o fazem parecer “mais zagueiro do que realmente é”. Ele mesmo as vezes tem excesso de confiança. Por pouco não entregou um gol bizarro para o Palmeiras.

Quanto a volância vale mais uma vez um destaque, Henrique vem em uma sequencia bem fraca. Parece em uma rotação bem mais baixa do que os jogos demandam. O 2º gol do rival na partida anterior evidencia essa afirmação. Já Romero me pareceu completamente torto pela esquerda, fez uma partida bem fraca sobretudo com a bola nos pés.

No mais vamos sofrer com a falta de atacantes até o fim do ano! Mano tem que dar chances urgentemente ao garoto Jonatas. Não precisa nem ser grande craque ou ter potencial não. É questão de necessidade! Urgência! Por: Felipe Ávila - @FelipeAvilaP

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco