• DebateZeiros Cruzeiro

Cruzeiro 1x1 Flamengo: Detalhes que custam a Vitória.

Cercados de muita expectativa, Cruzeiro e Flamengo se enfrentaram no Mineirão na tarde deste domingo e ficaram em um empate por 1x1. O Cruzeiro, buscando manter a sequência de vitórias seguidas, foi à campo com Fábio, L. Romero, Léo, Murilo e Diogo Barbosa, Cabral e Lucas Silva; Thiago Neves, Alisson, Elber e Rafael Sóbis. O Flamengo, querendo se recuperar da derrota em casa, foi escalado com Thiago, Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Renê; Márcio Araújo, Cuéllar, Diego e Everton Ribeiro (ele mesmo); Éverton e Paolo Guerrero.

Créditos de Imagem: Mauricio Farias - Agência Light Press

A expectativa era de que o Cruzeiro fizesse valer o seu mando de campo, mas o que se viu foi um Flamengo, motivado pelo tropeço do Corinthians, se lançar ao ataque e buscar a vitória que faria cair a diferença para o líder do campeonato. Durante os 5 primeiros minutos os cariocas incomodaram o Cruzeiro, que demorou um pouco a controlar as ações. Lance após lance, a resposta foi sendo dada. Logo aos 7, Thiago Neves recebeu um lançamento de Romero, matou no peito, mas chutou em cima de Thiago, que fez grande defesa. O lance iludiu o torcedor presente, porque aos poucos o Cruzeiro foi adotando uma postura mais defensiva, dando campo ao time do Flamengo e esperando um contra-ataque.

O time carioca mostrava boas trocas de passes entre Diego, Ribeiro e Guerrero. Éverton, mais agudo, incomo- dava muito pelo lado direito. O Flamengo tinha posse de bola, girava de um lado a outro, mas pouco finalizava. Fábio não foi "obrigado a trabalhar", aparecendo apenas em bolas de segurança. Exceto em um chutão de Réver para o ataque, em que Leo falhou na cobertura de Guerrero, obrigando o camisa um a sair da área e espanar. Com o Cruzeiro claramente jogando pelo contra-ataque, fechado em duas linhas de quatro jogadores com os dois volantes alternando entre elas, esperava-se que Élber pudesse ser uma válvula de escape pela direita, contudo era pouco acionado. Nas vezes que foi, houve o desarme. O time de Mano se mostrava com dificuldades na criação de jogadas. Nas investidas pela esquerda com Alison, os outros jogadores do ataque demoravam a aparecer como opção para o passe. Quando saiu de sua defesa com a bola, trabalhan do a jogada, não conseguiu aproveitar, nem concluir em gol. Resultado: Um primeiro tempo corrido, “lá e cá”, mas que terminou em 0x0.

Como já de praxe, Mano não promoveu substituições no intervalo. Em nomes, o Cruzeiro foi o mesmo que terminou o primeiro tempo, contudo a postura era totalmente inversa. Com 5 minutos já havia rompido a defesa adversária e criado duas chances de gol, milagrosamente salvas pela defesa rubro-negra. Aos 8, porém, o Flamengo abriu o placar com Éverton. O lance iniciou com Paolo Guerrero saindo da área e vindo à intermediária armar a jogada. O peruano, que era marcado por Murilo, lançou Rodnei, que cruzou no segundo Pau. A defesa cochilou (como sempre), e Everton cabeceou entre Fábio e a trave, com rara precisão. O Gol não freou o ímpeto cruzeirense, que empatou logo aos 14. Thiago Neves, memso cercado por 5 marcadores do Flamengo, acionou Diogo Barbosa. O Camisa 6, rompeu o meio de campo e deu um passe preciso, entre três defensores do Flamengo para Sassá, que havia acabado de entrar em lugar de Élber. O camisa 99, mostrando velocidade e oportunismo, deu um toque sutil para o cantinho. Bela jogada e o Gol que fez explodir a torcida.

Aos 20 Lucas Silva, amarelado, errando e muito longe de mostrar aquele futebol de 2013/2014, saiu para a entrada de Lucas Ventura, o Nonoca. Do outro lado, Ribeiro saiu para a entrada de Geuvânio. Zé Ricardo queria explorar a fragilidade do lado esquerdo de nossa defesa. Aos 28, Rafael Marques entrou em lugar de Rafael Sóbis, que se destacou mais pela recomposição que pelo ataque. Com as substituições os times passaram a jogar mais na vontade que na tática e o placar permaneceu inalterado.

O Flamengo teve mais posse de bola, contudo finalizou menos e não levou perigo a nossa meta. Fábio fez apenas defesas pontuais. Thiago Neves, de boa atuação, mostrou qualidade para atuar na faixa central de campo, articulando as jogadas. Cabral fez uma partida “sem sal”. Elber desperdiçou várias chances, enquanto que Alisson manteve sua regularidade, criando perigo pela esquerda. Sassá mostrou oportunismo no gol, mas poderia ter mudado a história do jogo se tivesse servido Sóbis, em lance após o gol de empate. Pela mobilidade poderá ser mais aproveitado pelo treinador que Ábila. Com o empate, o time de Mano caiu uma posição, sendo ultrapassado pelo Palmeiras. O Cruzeiro agora é o 7º colocado, com 21 pontos. O próximo compromisso é na quinta-feira, contra o Fluminense, no rio.

Opinião #DebateZeiros: Mais um jogo em que Mano Menezes mostrou qual é sua proposta para o futebol. Fechar a casinha, esperar o adversário e contra-atacar. Esta proposta, mesmo que desagrade a muitos, poderia ter garantido a vitória se não fosse um erro na marcação da bola aérea e as claras chances desperdiçadas por Thiago Neves e Elber. Faltou ao Cruzeiro explorar a dupla de volantes do adversário, que não mostrava qualidade nos passes e não passavam nenhuma segurança quanto a desarmes, apelando para várias faltas não marcadas pela arbitragem. O empate foi amargo por ter vindo de detalhes e, mais ainda, pelos QUATORZE pontos desperdiçados neste primeiro turno.

O torcedor, enfim, compareceu em peso. Mesmo com essa campanha irregular, precisa entender que sua presença no Mineirão também é importante para os cofres do clube. Só hoje foram R$ 1.349.516,00 de renda. Que tal repetirmos este público no jogo contra o Vitória?

Por: Helton Santos - @HeltonSantos85

FICHA TÉCNICA - CRUZEIRO 1x1 FLAMENGO

14ª Rodada – Campeonato Brasileiro Data: 16/07/2017 Horário: 16h00 Local: Mineirão, Belo Horizonte

Público: 43.480

Pagantes: 39.976

Renda R$ 1.349.516,00

CRUZEIRO:

Fábio; Lucas Romero, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Ariel Cabral, Lucas Silva (Nonoca, aos 20' do 2º); Thiago Neves, Alisson, Elber (Sassá, aos 13' do 2º); Rafael Sóbis (Rafael Marques, aos 28’ do 2º).

Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO:

Thiago; Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Renê; Márcio Araújo, Cuéllar (Mancuello, aos 31’ do 2º); Diego (Berrío, aos 37’ do 2º), Everton Ribeiro (Geuvânio, aos 21’ do 2º), Everton e Guerrero.

Técnico: Zé Ricardo

GOLS:

Everton, aos 8’ do 2º tempo

Sassá, aos 14’ do 2º tempo

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR).

Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e

Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)

Cartões amarelos:

Lucas Silva, Rafael Sóbis e Lucas Romero;

Geuvânio

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco