• DebateZeiros Cruzeiro

Cruzeiro 1x1 Corinthians: Podíamos mais

Após a conquista da quarta-feira, o PentaCampeão da Copa do Brasil voltou a campo neste domingo e empatou em 1x1 com o líder do Campeonato Brasileiro. Sem poupar ninguém, Mano Menezes mandou à campo Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique e Lucas Romero; Rafinha, Thiago Neves e Alisson, com Rafael Sóbis à frente. O Corinthians foi escalado com: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho e Romero; Kazim.

Rafinha: Jogador de entrega. Mais uma vez, o melhor em campo

Créditos de Imagem: Washington Alves- Agência Light Press

Jogando diante de seu torcedor, que fazia muita festa após o Pentacampeonato da Copa do Brasil, o Cruzeiro iniciou a partida buscando o gol. O adversário, postava suas linhas de marcação atrás do meio de campo. Deixando o Turco Kazim e mais um jogador cercando a saída de bola celeste. O Cruzeiro trocava passes, mas como não conseguia romper as linhas ao adversário, tentou em duas oportunidades de fora d’área. Uma com Henrique, para fora, e outra com Romero, que Cássio defendeu. Indo à frente, o time de Mano cedia espaços, proporcionando que os jogadores do Corinthians fizessem algumas triangulações, mas sem criar oportunidades de gol. Aos 19, Thiago Neves, em um dos poucos lances em que veio receber a bola no meio, deu um grande passe para Alisson. Pela esquerda, o Camisa 11 segurou a bola, abrindo o corredor para Diogo Barbosa. Na passagem o lateral fez um cruzamento perfeito, para mais ou menos na marca do pênalti. Rafinha entrou pelas costas de Arana e testou forte sem chances para Cássio. Gol e festa em toda arquibancada!

Pressionado por ver a diferença para o Santos cair para 8 pontos, o Corinthians passou a tentar atacar mais. Carille alterou o posicionamento de Romero e Jadson. Desta forma, o Corinthians tentava explorar o lado direito com o paraguaio nas costas de Diogo Barbosa. Angel Romero também o acompanhava na marcação, o que chegou a gerar uma certa briga entre os dois. Kazin, mostrando pouca técnica e na base da trombada, incomodava na área, mas sem perigo. O Cruzeiro pecava na criação. Apesar do belo passe no primeiro gol, Thiago Neves era nulo, se escondendo entre a defesa corinthiana. Rafinha era a principal válvula de escape. O camisa 70 criou uma grande oportunidade de gol aos 39, desperdiçada por Sóbis. E assim o primeiro tempo acabou em 0x0, depois de um bizarro erro de domínio do superestimado Angél Romero.

Para o segundo tempo, Carille sacou Jadson, apaga-do, para entrada de Marquinhos Gabriel. A alteração deu mais mobilidade ao time paulista. Já Mano, como de praxe, manteve o mesmo time. Logo aos 3 minutos o adversário já assustou, marcando um gol na bola aérea, anulado pela arbitragem. Apesar de duas chegadas celestes, o Corinthians dominava as ações e amadurecia o seu gol. Fabio fez uma grande defesa em chute de Rodriguinho, da entrada da área e com a visão encoberta. Só então Mano Mezeszes chamou Arrascaeta para o jogo. O Uruguaio entrou em lugar de Sóbis aos 20 e participou de bons lances, quando veio buscar a bola no meio de campo. Sacrificado como “falso 9”, infelizmente não teve o rendimento de outros jogos. Aos 28, Thiago Neves, apagado mas ovacionado pela torcida, saiu para a entrada de Lucas Silva. Nulo na marcação e criação, o camisa 16 não acrescentou à partida.

Aos 38, quando Mano se preparava para colocar Elber em lugar de Alisson, veio o castigo: Após cruzamento de Clayson no segundo pau, Kazim cabeceou para o meio da pequena área mas Murilo, de forma até inocente, foi no lance com os braços abertos e tocou a bola com a mão. Pênalti para o Corinthians. Na cobrança, o próprio Clayson converteu. Mano manteve a alteração e o resultado não se alterou. Apesar os espaços cedidos por ambos os times, que buscavam o desempate, o Cruzeiro não teve competência para criar e concluir em gol. Placar final 1x1.

Opinião #DebateZeiros: O começo de jogo do Cruzeiro iludiu um pouco o torcedor. Empolgado pela conquista de Quarta, o time foi acuando o Corinthians, mas logo sentiu o cansaço. Rafinha, sério e incansável, foi o melhor da partida. Não somente pelo Gol, mas por “correr todo o campo” ajudando tanto na criação, quanto na marcação. Mano tinha escassas opções no banco, mas os erros nas substituições comprometeram. Rafael Marques, mesmo não sendo um primor de atacante, poderia ter entrado para jogar na área. Colocar Arrascaeta como centroavante para disputar no corpo contra Balbuena e Pablo foi um desperdício. Os melhores lances o do uruguaio, como já mostrado anteriormente, acontecem vindo para a área, partindo pra cima dos marcadores.

Colocar três volantes poderia ser uma excelente opção, mas Lucas Silva vive do bicampeonato até os dias de hoje. Fraco na marcação e sem função ofensiva, acabou se trocando um a menos. Fez inclusive com que Arrascaeta levasse um amarelo por matar uma jogada que o volante não o fez. Mano poderia ter colocado Nonoca, anulando os meias corinthianos e liberando Romero para avançar pela Direita, que estava nula.

A arbitragem foi um capitulo à parte. Com erros primários, prejudicou o Cruzeiro ao ignorar faltas e cartões amarelos para o adversário. Vide Sando Meira Ricci em 2010. Mas também prejudicou o Corinthians, anulando um gol legal.

O Empate deixou o Cruzeiro na quinta posição, com 41 pontos. O time pode cair uma posição em caso de vitória do Flamengo sobre a Ponte Preta. Ponte esta, que será o próximo adversário do Cruzeiro, em jogo antecipado da 28ª rodada, no próximo Sábado às 16h00. #AvanteCruzeiro

Por: Helton Santos - @HeltonSantos85

FICHA TÉCNICA – CRUZEIRO 1x1 Corinthians

🏆 Campeonato Brasileiro - 26 ª Rodada 🏆

📌 Local: Mineirão

📅 Data: 01 de Outubro de 2017

🕛 Horário: 16h00

🏟 PÚBLICO E RENDA 💵

Pagantes: 26.838 Presentes: 29.556 Renda: R$ 753.704,00

CRUZEIRO

Fábio; Ezequiel, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Rafinha e Thiago Neves (Lucas Silva, aos 28’ do 2ºT); Alisson (Elber, aos 38’ do 2ºT) e Rafael Sobis (Arrascaeta, aos 20’ do 2ºT)

Técnico: Mano Menezes

CORINTHIANS

Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel (Clayson, aos 17’ do 2ºT) e Maycon (Camacho, aos 30’ do 2ºT); Jadson (Marquinhos Gabriel, no intervalo), Rodriguinho e Ángel Romero; Kazim

Técnico: Fábio Carille

GOLS:

Rafinha, aos 19' do 1ºT

Clayson, aos 39' do 2ºT

🚩 Arbitragem: Wagner Reway - MT (FIFA)

🚩 Assistente 1: Eduardo Goncalves da Cruz - MS (CBF)

🚩 Assistente 2: Fabio Rodrigo Rubinho - MT (CBF)

Cartões Amarelos:

Léo, Rafael Sóbis e Arrascaeta

Balbuena, Fagner, Romero e Guilherme Arana

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco