top of page
  • Ezequiel Silva

2023: parte I

O Cruzeiro inicia hoje a sua pré-temporada visando o ano de 2023. O primeiro compromisso oficial será em 22 de janeiro, contra o Patrocinense, na estreia do Campeonato Mineiro. E apesar da movimentação tímida no mercado, o clube deve apresentar boas soluções para encarar a dura jornada de retorno à elite do futebol brasileiro.


A próxima temporada terá duas fases, sendo a primeira uma espécie de “preparação estendida” para a segunda etapa, mais complicada, quando começarão as competições nacionais. Entre janeiro e abril, o time de Pezzolano terá pela frente, no máximo, 12 partidas oficiais a disputar, sendo oito rodadas da fase de classificação do estadual e mais quatro partidas válidas pela semifinal e pela final do mesmo (em caso de classificação, claro).


Tendo em vista essa “divisão” da temporada em duas etapas fica compreensível o movimento “lento” da SAF no mercado de final de ano. São várias as saídas em relação ao elenco de 2022, e alguns poucos anúncios de chegadas, até o momento. O que vem frustrando os torcedores mais iludidos, que realmente acreditam que SAF seria sinônimo de dinheiro sem fim e gastos sem responsabilidade.


Acredito que a ideia inicial da diretoria seja mesmo trabalhar em duas etapas, formulando uma equipe competitiva para reconquistar o Estadual, observando também o elenco que disputará a Copa SP Júnior; e durante o trajeto ir agregando valores ao time a fim de deixá-lo encorpado para a Série A e as fases agudas da Copa do Brasil.


É uma opção que “frustra” os mais imediatistas, mas que é muito bem entendida por quem compreende o planejamento e o processo reconstrutivo, e que procura enxergar o copo ‘meio cheio’, quase sempre.


Serão quatro meses de ‘folga’ para explorar melhor o mercado, avaliar opções no elenco de base e afiar o time principal rumo aos objetivos maiores. Um verdadeiro luxo tendo em vista o calendário apertado do futebol nacional.


Recolocar um clube como o Cruzeiro no caminho das conquistas, depois de vê-lo quase falir, não é tarefa fácil, exige muito planejamento e consome tempo. O retorno ao topo pode levar anos, mesmo sendo o Cruzeiro. Em relação à torcida, a tarefa (mais difícil!) é ser paciente. Apoiar o time e acreditar no processo de reconstrução também é fundamental. A hora de retornarmos às grandes taças vai chegar.


Seguimos.


Somos campeões, não se esqueçam! Foto: Flickr Cruzeiro


Um abraço aos amigos do DebateZeiros!



Por: Ezequiel Silva - @ezequielssilva89

Edição: Renata Batista - @Re_Battista

bottom of page