• Ezequiel Silva

101 anos de Cruzeiro

De acordo com a numerologia, o dígito 1 significa recomeço, e o zero remete ao infinito. Se você acredita ou não em números e simbolismos, tudo bem. Mas, há de concordar que o ano 101 do Cruzeiro é, literalmente, um restart na vida infinita do Maior de Minas.

Arte: William Silva.


O começo de tudo se deu em 2 de janeiro de 1921, quando um novo clube nasceu para unir os colonos italianos de Belo Horizonte em torno de sua identidade. Logo que surgiu, esse clube ultrapassou barreiras e passou a ser também o rosto da periferia da jovem capital. Ali, foi o início da trajetória do time do povo, fundado por operários e comerciantes da colônia, e erguido com a ajuda de brasileiros trabalhadores.


Na história, o Palestra/Cruzeiro viveu de recomeços. Em momentos como a rebelião contra a tirania da Liga Mineira em 1926, a resistência para continuar vivo em 1942, a ampliação do estadinho do Barro Preto em 1945, a reformulação do clube na virada dos anos 50 para os 60, a chegada da Sociedade Anônima do Futebol... o Palestra/Cruzeiro mostra-se uma metamorfose infinita.


E assim, como em todos esses momentos, e em vários outros igualmente adversos, o Palestra/Cruzeiro tropeçou, viveu suas dúvidas, discordou. Mas, sempre seguiu em frente, e sempre cresceu, mesmo após todos os percalços. Pois, sua missão também é infinita. Seu legado é infinito.


Não é apenas um novo século, um novo ano, uma nova década. É um novo ciclo, é um novo Cruzeiro. E eu desejo que seja melhor do que esse velho Cruzeiro que vêm nos entregando nos últimos três anos.


Que o ano 101 do Cruzeiro seja de vitórias e união. Um Feliz Ano Novo também aos amigos leitores do DebateZeiros.


Abraços.



Por: Ezequiel Silva - @ezequielssilva89

Edição: Renata Batista - @Re_Battista