• Ezequiel Silva

Uma noite histórica, foco no acesso e um amor inegociável

A noite de 4 de abril de 2022 ficará marcada na história do Cruzeiro Esporte Clube como a do seu renascimento enquanto um gigante. Marcará também o ápice do que essa instituição representa na vida de milhões de torcedores, que de alguma maneira se fizeram presentes na porta do Clube do Barro Preto para pressionar aqueles que detinham o poder de decisão.

Foto: Flávio Tavares


Time que tem torcida não morre. E de fato, a torcida do Cruzeiro está salvando o clube do abismo. Se boa parte dos conselheiros um dia tentou tirar o nosso orgulho em “ser Cruzeiro”, eles falharam grotescamente. Se alguém em algum momento aventou a ideia de que a Nação Azul abandonaria o barco, enganou-se de maneira profunda. Se ainda existem pessoas que acreditam no Cruzeiro, como Ronaldo acredita, é porque sabem que essa imensa torcida é o grande motor disso tudo, e que estaremos sempre ao lado daqueles que trazem boas intenções para esse que é o nosso maior amor, a camisa azul estrelada.


Agora, como bem disse o novo mandatário celeste, podemos trabalhar tranquilos. O Cruzeiro ganhou uma paz que há muito não se via por esses lados. O campo e bola retoma o seu destaque nos noticiários sobre o clube. Os bastidores, que tanto vêm nos desgastando nos últimos anos, serão colocados em seu devido lugar. Sai a politicagem, entra o profissionalismo. E assim, o Cruzeiro prepara o terreno para a disputa mais importante do ano, a Série B. Podemos (por enquanto) respirar aliviados.


Na disputa nacional que se aproxima, o Cruzeiro entra como um dos favoritos ao acesso. O técnico Paulo Pezzolano usou muito bem o campeonato estadual para conhecer e preparar o seu elenco para essa difícil missão. Óbvio que o time precisa de reforços e ajustes, mas já supera de longe as preguiçosas equipes que vimos montadas para as disputas em 2020 e 2021.


Dos postulantes às quatro vagas ao final do certame, o Cruzeiro apresenta, nesta semana antes da estreia, o melhor aproveitamento até então na temporada. Em 16 partidas, foram 11 vitórias, 1 empate e 4 derrotas. Segundo o GE, o Cruzeiro tem 70% de aproveitamento em 2022.


Expectativa muito boa para o início da disputa mais importante para nós no corrente ano. Com a política interna se ajeitando, todo o resto tende a fluir de maneira mais “tranquila” e dentro da normalidade. E uma coisa é certa: a torcida estará lá mostrando o seu apoio até o último respiro, levando força quando as pernas cansarem e ar quando o fôlego faltar. Porque de todos os patrimônios que o Cruzeiro tem, esse é inegociável, o amor arrebatador da sua Nação pela camisa mais linda do planeta!


Vamos, Cruzeiro!


Um abraço aos amigos do DebateZeiros.




Por: Ezequiel Silva - @ezequielssilva89 Edição: Renata Batista - @Re_Battista