Ponte Preta 1x0 Cruzeiro: Mano até quando, Diretoria?

23/06/2017

Em meio à maratona de jogos de Maio e Junho, o Cruzeiro viajou à Campinas, onde foi derrotado pela Ponte Preta. Preocupado com a condição física de seus comandados, o técnico Mano Menezes, representado por Sidnei Lobo, mandou à campo um time 90% reserva. Fábio; Lennon, Caicedo, Murilo e Bryan; Hudson, Lucas Silva; Rafinha, Elber e Rafael Marques; Ábila. Gilson Kleina, em contrapartida, iniciou com o que tinha de melhor: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e João Lucas; Fernando Bob, Elton e Renato Cajá; Claudinho, Lucca e Emerson Sheik.

 

 Rafael Marques: Pífio, como o time de hoje. - Créditos da Imagem: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

 

Mesmo com seu time titular e bons resultados em casa, a Ponte Preta não mostrou a intensidade das outras partidas no Moisés Lucarelli. Postada em um 4-3-3, a equipe de Campinas não agredia o time celeste e, contanto com a ineficiência e desentrosamento do Cruzeiro, não sofria em sua defesa. Mano Menezes, apesar de 9 reservas, armou a equipe no tradicional e engessado 4-2-3-1. Com esta “trinca de meias + Ábila” o Cruzeiro não conseguia trocar três passes certos em direção ao gol. Quando deu campo ao time da casa, não soube aproveitar a velocidade de Elber e Rafinha, além de esbarrar nos erros de Ábila e Rafael Marques. Até por volta dos 30 minutos de jogo não havia acontecido nenhuma finalização dos dois times. Aranha e Fábio foram meros espectadores.  Aos 35, um pênalti foi marcado para a Ponte Preta. Lance polêmico. Lucca, fortalecendo a “lei do Ex”, converteu.

 

O gol sofrido “acordou” o time celeste, que passou a correr um pouco mais e esbarrar nas suas limitações. O primeiro tempo terminou com vantagem para os donos da casa. O Cruzeiro foi um time ineficiente, desentrosado e que sentiu muito a falta de um armador. Pela escalação, era esperado que Rafinha fizesse esta função, mas o que vimos foi uma linha de frente incapaz de fazer uma troca de 3 passes seguidos. Aranha foi um mero espectador.

Na imagem ao lado, o esquema inicial de jogo

 

Para o segundo tempo, Sidnei Lobo trocou Lennon por Lucas Romero. Alteração covarde para um time que precisava de dois gols para levar os três pontos. O volante atuou em sua posição de origem enquanto que Hudson ocupou a lateral. A alteração surgiu um leve efeito. Rafinha pode atuar mais solto e o Cruzeiro conseguia entrar na defesa da Macaca, chegando à sua primeira finalização aos 8 minutos com Elber, de fora da área. Ainda sim, o time de Mano Menezes parava nos erros de finalização e em impedimentos mal marcados.

 

Aos 15, saiu o nulo Rafael Marques para a entrada de Sassá. No minuto seguinte, Ábila deu lugar à Rafael Sóbis.  O Cruzeiro, desorganizado taticamente, partiu para cima e tentava romper a defesa do time de Campinas, porém  sem sucesso. Aranha até realizou algumas intervenções, mas nada de espetacular. Neste cenário, mantido até o apito final, se desenhou mais uma derrota do time Celeste. Já é a quarta em nove jogos.

 

Opinião #DebateZeiros: O jogo de hoje escancarou o bisonho erro de planejamento cometido neste ano. Mais um da “gestão Gilvan sem Alexandre Mattos”. Sem entrar na competência profissional do D.M. e Preparação Física, as principais peças do time têm mais de 31 anos e não suportam a maratona de jogos. O campeonato mineiro foi desperdiçado pelo treinador, que não deu chance aos reservas. Quando estes entram, mostram toda falta de ritmo de jogo e qualidade. Contratações “tortas” começam a pesar, como Rafael Marques e Lennon, ambos de atuação pífia. Será que na Toca I não há jogadores melhores? Impossível afirmar, uma vez que o treinador preferiu não usar os garotos quando pôde.

 

Os pontos desperdiçados contra Bahia, Chapecoense em casa e Sport começam a fazer falta. São apenas 4 pontos conquistados nos últimos 5 jogos. Após o Mineiro perdido. Sul Americana  de desclassificação vergonhosa, no Brasileirão o G-6 está à três pontos, assim como o Z-4. O líder do Campeonato já está 12 pontos à frente.  Título? “Ninguém segurar”? Difícil falar nisso!  #ReageCruzeiro #AcordaTorcedor #AcordaDiretoria #ForaMano

 

 

Por: Helton Santos - @HeltonSantos85

 

Ficha Técnica da Partida

 

PONTE PRETA 1x0 CRUZEIRO

 

9ª rodada - Campeonato Brasileiro

Data: 22/06/2017

Horário: 19h30

Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

 

Ponte Preta:

Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e João Lucas; Fernando Bob, Elton e Renato Cajá (Léo Artur - 34'2ºT); Claudinho (Jadson - 13'2ºT), Lucca (Lins - 41'2ºT) e Emerson Sheik.

Técnico: Gilson Kleina.

 

Cruzeiro:

Fábio; Lennon (Lucas Romero - Intervalo), Kunty Caicedo, Murilo e Bryan; Hudson e Lucas Silva; Rafinha, Elber, Rafael Marques (Sassá - 15'2ºT); Ramón Ábila (Rafael Sóbis - 17'2ºT).

Técnico: Sidnei Lobo (Mano Menezes suspenso).

 

Gol: Lucca, aos 35 minutos do primeiro tempo.

 

 

Público pagante: 4.465

Renda: R$115.475,00

 

 

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ/Fifa)

Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (RJ/Fifa)
Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)

 

Cartões amarelos: Fernando Bob; Lennon e Caicedo.

Cartão vermelho: Não teve.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco