Cruzeiro 1x1 Santos: Pífio primeiro tempo, excelente segundo.

28/08/2017

Cruzeiro e Santos se enfrentaram na noite deste domingo Mineirão. Apesar do horário, o público foi razoável, na média das últimas partidas do Brasileirão. No confronto das escolas de futebol ofensivo, Mano Menezes poupou alguns atletas, mas mandou um time forte à campo. Iniciaram a partida: Fábio, Ezequiel, Digão, Murilo e D. Barbosa; Hudson, L. Silva, Rafinha e Thiago Neves; Sóbis e Sassá. Pelo lado Santista, Levir Culpi escalou Vanderlei, V. Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Renato Cittadini e Lucas Lima; Bruno Henrique, Copete e Ricardo Oliveira.

 

 Zagueiro Digão, que deixou muito a desejar.

Créditos de ImagemWashington Alves - Agência Light Press

 

Ainda “de ressaca” pela gigante (e não mágica) classificação na quarta-feira, o Cruzeiro fez um primeiro tempo de forma dispersa. Apesar de já assustar a equipe santista no primeiro minuto, com Digão em um escanteio, no minuto seguinte foi o próprio zagueiro que assustou a torcida. O camisa 28 fez um recuo muito curto, obrigando Fábio a dividir com o atacante santista, cedendo escanteio. A equipe de Levir Culpi, tinha a proposta de apertar a saída de bola celeste. O Cruzeiro, de forma até infantil, cedia à pressão. Aos poucos, TN e Sóbis começavam a se apresentar mais, permitindo que o time trabalhasse mais a bola. O Santos, melhor postado em campo, foi apostando em lançamentos longos visando pegar a defesa celeste desprevenida. E desta forma chegou a seu gol. Lucas Lima lançou Copete na área pela ponta direita. Nas costas de Murilo, o camisa 36 invadiu a área e, quase na linha de fundo, com Fábio saindo para abafar, o atacante tocou para o meio da área.  Lá estava Bruno Henrique, que apenas cabeceou para as redes, afinal Digão estava marcando as traves.

O gol Santista fez jus ao marcador, uma vez que o Cruzeiro não acertava as suas jogadas. Em desvantagem no placar, Mano inverteu o posicionamento dos meias. Rafinha passou a atuar pela esquerda e Thiago Neves e Sóbis, alternavam entre o meio e a direita. Mesmo com as alterações, o Cruzeiro errava muito ali na frente, dando ao Santos o contra-ataque. O desgaste de Thiago Neves era visível. Não poderia o treinador tê-lo poupado hoje? Além disso, Digão em uma noite muito infeliz, cometida muitos erros infantis, proporcionando ao Santos uma claríssima chance de ampliar aos 42. O camisa 30 ainda deu um bom passe para Sóbis, que chutou passando rente a trave de Vanderlei, ficando em 1x0 pro Peixe a primeira etapa.

 

Para a segunda etapa, Mano Menezes não fez alterações, mas vimos um “outro Cruzeiro” em campo. O time era mais agudo e mais incisivo em seus passes. Não demorou muito e gol de empate saiu. Lucas Silva, da intermediária, lançou Rafinha. A bola ia passando, mas, dentro da pequena área, o camisa 70, de carrinho, do jeito que deu, levantou a perna e mandou no canto do Badalado Vanderlei. Empate e muita festa nas arquibancadas! Na sequência, Mano sacou Thiago Neves para a entrada de Arrascaeta.  O uruguaio deu outra dinâmica à partida. Mostrando ser uma excelente opção para segundo tempo, enquanto ainda recupera o ritmo após as lesões. Na frente, Sassá incomodava muito a defesa, se movimentando e abrindo espaços para a entrada dos meias. Rafinha ainda teria duas chances claras de gol, cortadas, com mérito, pela defesa santista.

 

Aos 37, após um choque, Lucas Silva saiu para a entrada de Nonoca e aos 40, Rafinha deu lugar a Elber. Chances ainda foram criadas, mas esbarramos na qualidade do goleiro santista e na falta de qualidade nas finalizações. Com o empate, o Cruzeiro aguarda a partida entre Grêmio e Sport. Em caso de vitória dos Pernambucanos, deixa o G6. Caso contrário, fecha a rodada na zona de classificação à Libertadores.

 

Opinião #DebateZeiros: Já era esperado o Cruzeiro entrasse em campo “de ressaca” após a espetacular classificação de quarta. Não “mágica” como dizia o Guia do Torcedor. Afinal atropelar adversários na copa do Brasil não é nada de outro mundo para o Cruzeiro. Mano acertou em poupar os jogadores, mas é visível o desgaste físico de Thiago Neves. Talvez, hoje, poderia ter usado Robinho e o camisa 30, um em cada tempo. No segundo tempo criou-se a expectativa pela entrada de Raniel. Ao invés de usar Elber, o treinador poderia jogar com dois centroavantes, incomodando ainda mais a defesa Santista. Sassá fez excelente partida, porém não pode ser usado na Copa do Brasil. Como Sóbis vive um momento ruim, é importante dar ritmo ao jovem atacante visando a finalíssima. #AvanteCruzeiro! Quarta tem mais! Só que é a Primeira Liga.

FICHA TÉCNICA - CRUZEIRO 1x1 SANTOS

 

🏆 Brasileirão - 22ª Rodada  🏆

Data: 27/08/2017

Horário: 19h00

Local: Mineirão

 

PÚBLICO E RENDA

 

Público Presente: 12.055

Público Pagante: 11.028

Renda: R$ 171.127,00

 

 

CRUZEIRO

Fábio, Ezequiel, Digão, Murilo e Diogo Barbosa; Hudson, Lucas Silva (Nonoca, aos 37' do 2ºT), Rafinha (Élber, aos 40' do 2ºT) e Thiago Neves (Arrascaeta, aos 12' do 2ºT); Rafael Sóbis e Sassá.

Técnico: Mano Menezes.

 

SANTOS

Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Renato (Léo Cittadini, aos 40' do 2ºT e Lucas Lima; Bruno Henrique, Copete (Nilmar, aos 29' do 2ºT) e Ricardo Oliveira (Kayke, aos 25' do 2ºT).

Técnico: Levir Culpi.

 

GOLS:

Bruno Henrique, aos 21' do 1ºT

Rafinha, aos 10' do 2ºT

 

Arbitragem: Anderson Daronco - RS (FIFA)

Assistente 1: Rafael da Silva Alves - RS (CBF)

Assistente 2: Elio Nepomuceno de Andrade Junior - RS (CBF)

 

Cartões Amarelos:

Lucas Veríssimo e David Braz

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco