Cruzeiro 1x0 Atlético-PR: Conta do Chá

06/11/2017

Cruzeiro e Atlético-PR se enfrentaram nesta tarde e o Maior de Minas venceu pelo placar de 1x0. Mano Menezes confirmou o time dos treinamentos de sexta e sábado, iniciando a partida com Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva, Robinho e Rafinha; Thiago Neves e Arrascaeta. Do outro lado, o Atlético-PR foi escaldo com Weverton; Jonathan, Wanderson, Paulo André e Fabrício; Esteban Pavez, Lucho González, Guilherme e Sidcley; Lucas Fernandes e Ribamar.

 

Robinho, um dos destaques do jogo, mas desperdiçado quando atua aberto na direita

Créditos de Imagem: Washington Alves - Agência LightPress

 

Jogando diante de seu torcedor, o Cruzeiro iniciou a partida tomando as ações em busca do gol. Um escanteio logo aos oitos minutos, que terminou com Lucho González cortando a bola após Weverton estar batido no lance, deu a sensação que o Cruzeiro iria resolver rapidamente a partida. Mas não foi bem assim. Sem um centro avante, Mano Menezes posicionou Arrascaeta vindo do meio para o ataque e Thiago Neves adiantado, mas sem ficar “enfiado entre os zagueiros”. No meio de campo, Robinho iniciou aberto pela direita, enquanto Rafinha ocupava o lado esquerda. Mesmo sem o centro avante, o Cruzeiro incomodou adversário. A marcação da saída de bola dificultava a transição rubro-negra e as boas trocas de passes celestes envolviam o adversário. O time pecava no arremate para o gol. As finalizações de fora da área não tinham a direção do gol. Quando o ataque acertava o alvo, eram chutes fracos, facilitando a vide de Weverton. Uma tônica deste ano.  

 

Já o Atlético-PR, percebendo a dificuldade em sair para o jogo, apostava nas enfiadas de bola para o centroavante Ribamar que, mesmo sem muita habilidade, incomodava a zaga celeste na raça. Guilherme e Sidcley (improvisado na função) tinham certa liberdade, aproveitando a marcação à distância dos volantes e criaram uma boa oportunidade de gol aos 37, desperdiçada por Ribamar, que chutou pra fora.

 

No minuto seguinte, após a reposição de boal de Fábio, Robinho recebeu no círculo central e dali lançou Arrascaeta, que se projetava pela esquerda. Na entrada da área, o uruguaio recebeu, ameaçou o chute de primeira com a esquerda, mas deu um “corte pra dentro” no zagueiro e bateu de direita no cantinho e sem chances para Weverton. Um belo gol e que fez a alegria do torcedor Celeste. O adversário não se abateu com o gol e já nos acréscimos, quase empatou com Ribamar (novamente ele), que matou no peito após receber de Sidcley e emendou bicicleta na área. Fábio, muito bem colocado, fez uma grande defesa e o primeiro tempo terminou em vantagem celeste.

 

Para o segundo tempo, o Cruzeiro não fez alterações, porém o time voltou buscando mais o gol, outra marca do Cruzeiro em 2017. O time poderia até ter ampliado o placar antes dos 15 minutos, período em que teve três boas chances, duas para fora e uma defendida por Weverton. Aos 20, Fabiano Soares trocou Lucas Fernandes, lesionado, por Pablo, outro centroavante. Jogando com dois homens de área, o Atlético-PR passou a investir, quando conseguia, em lançamentos para a área, especialmente nas costas de Diogo Barbosa. Aos 24, um susto: Guilherme (ele mesmo) cobrou um escanteio muito fechado, a bola bateu no travessão e sobrou para Lucho. Com Fábio batido no lance, o argentino chutou pro gol, mas Manoel se jogou na bola e cortou o que poderia ter sido o empate rubro-negro.

 

Depois de muita demora, enfim, Mano fez uma alteração. Saiu Neves para a entrada de Alisson, aos 29. Robinho passou a jogar mais centralizado, Arrascaeta deslocado para o “falso 9” e Rafinha pela Esquerda. Aos 38, Arrascaeta deu lugar ao garoto Jonata. Aos 43 saiu Rafinha, de muita entrega e um dos destaques da partida, para a entrada de Rafael Marques, que nada acrescentou.  O camisa 11 se movimentou, mas continua pecando na hora de finalizar. Já o garoto Jonata, teve uma estreia discreta pois a bola não chegou.

 

Opinião #DebateZeiros: A partida de ontem mostrou várias características do Cruzeiro de 2017: Um único esquema de jogo, a demora nas substituições e a falta de um volante que faça bem transição. Mano peca em manter Robinho aberto na direita pois, além de desgastar mais o atleta, perdemos a chance de ter sua excelente visão de jogo como meia centralizado, assim como no lance do gol Celeste e em um contra-ataque no segundo tempo. Rafinha se destaca pela entrega, mas, assim como todo o time, precisa melhorar a conclusão de fora da área. Sempre são chutes para cima. Quando acertam o gol, são chutes fracos.

 

A Dupla de volantes deu certo espaço para o único meia do Atlético-PR, Guilherme, que conseguiu servir Ribamar em pelo menos 4 oportunidades. Na transição não se mostraram eficientes. Diogo apoiou bem, já Ezequiel segue sendo “café com leite em campo” em campo. Para o próximo jogo, sem Rafinha, talvez iniciar com três volantes seja uma opção, já que Romero estará em condições de jogo. #AvanteCruzeiro

 

Por: Helton Santos - @HeltonSantos85

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco