• DebateZeiros

Análise do Jogo : América 0x1 Cruzeiro Menos pragmatismo, Mano. Nosso DNA é ataque!


O Cruzeiro foi ao Independência enfrentar o América na tarde deste domingo. Mano Menezes mandou os titulares à campo. O time celeste iniciou com Rafael; Ezequiel, Léo, Manoel e D.Barbosa; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, T.Neves e Arrascaeta; à frente Rafael Sobis. Já o América, com João Ricardo; Rafael Lima, Messias e Renato Justi; Auro, Juninho, Gustavo Blanco, Gérson Magrão e Pará; Renan Oliveira e Hugo.


Pelas escalações, fica evidente abismo técnico entre os times. Se aproveitando disso, o Cruzeiro iniciou a partida pressionando o América e o encurralando em seu campo de defesa. Houve momentos em que a dupla de zaga celeste estava postada no meio de campo e os 11 do time americano, em sua intermediária. Com esse domínio, o Cruzeiro criou duas grandes oportunidades de gol antes dos 15 minutos. Aos 14, Sóbis foi derrubado na área e ele mesmo abriu o placar na cobrança da penalidade.


O que se desenhava como goleada, se tornou um jogo morno e burocrático. Com o gol sofrido o América se lançou ao ataque. Já o Cruzeiro, ao invés de aproveitar a fragilidade do rival, mudou seu estilo de jogo, sendo menos incisivo no ataque. Rafael ainda fez uma boa defesa em cobrança de falta de Magrão e o primeiro tempo terminou com o placar em 1x0.


Na etapa complementar, a postura do time celeste foi a mesma. Criava com menos intensidade, mas não convertia. O América continuou correndo atrás do marcador, o que obrigou Rafael a fazer a “defesa do jogo” aos 17. Era nítido que os jogadores estavam sentindo o cansaço, principalmente os meias. Mano sacou T.Neves para a entrada de Alisson aos 20. O time celeste trocava muitos passes, mas para o lado, jogadas menos incisivas, chegando a irritar o torcedor. Para completar, Mano Menezes só mexeu novamente no time aos 35, com a entrada de Rafinha em lugar de Arrascaeta e Ábila por Sóbis aos 38. Final de jogo, América 0x1 Cruzeiro.


Mano Menezes mostrou certa incoerência na escalação, pois nas entrevistas anteriores aos últimos quatro jogos, vinha dizendo que iria observar a condição física e o desgaste do time. Esperava-se que vários atletas fossem poupados, mas o que vimos foi o cansaço debater sobre os meias. Mesmo com este “erro”, o time celeste não pode parar de agredir o adversário após fazer um gol, situação que também foi vista nos jogos anteriores.


É inquestionável o aproveitamento celeste na temporada, mesmo jogando contra times como “Marion, Magrão e amigos”, mas o técnico também poderia rever seus conceitos em relação ao tempo para substituir. T.Neves não estava uma tarde inspirada. Poderia ter sido substituído no intervalo. Rafinha vem pedindo passagem e Ramón Ábila vem tendo apenas 5, 10 minutos em campo. Como o nosso elenco é muito bom, talvez quarta-feira seja um jogo para colocar todos os reservas em ação. #AvanteCruzeiro #VamoQueVamo


Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco