• DebateZeiros Cruzeiro

Pós-Jogo: Vitoria x Cruzeiro - Contra tudo e todos, mas trouxemos os 3 pontos!


O Cruzeiro foi a Salvador enfrentar o Vitória, primeiro entre os times que estavam no Z4. Um jogo de seis pontos. Além do tradicional calor em Salvador, as adversidades passariam também por um Barradão lotado, arbitragem e até a contestada escalação de Mano Menezes. O time foi à campo com vários “reservas”. Edimar, B. Rodrigo, Robinho, Sóbis e Ábila foram poupados. Sidnei Lobo comandou a beira de campo o seguinte time: Rafael, Ezequiel, Manoel, Léo e Bryan; Denílson, Bruno Edgard e Ariel Cabral; Arrascaeta; Alisson e Willian.


No primeiro tempo as duas equipes buscaram o ataque, mas esbarraram nas próprias limitações. O time celeste mostrava nítida Falta de entrosamento, dificultando muito a transição defesa-ataque. As poucas chances criadas vinham em lances de bola parada e alguns chutes de fora da área, mas sem perigo. Cabral e Bruno Edgard protagonizavam lances bisonhos, Alisson e Arrascaeta eram os pontos lúcidos do time. Em meio a muita pressão do Vitória, o Cruzeiro conseguiu seu gol em um escanteio. Aos 38, Arrascaeta cobrou no primeiro pau e Ariel Cabral, tendo que se abaixar, cabeceou para as redes.


No segundo tempo, aos 10 minutos, após um erro de passe de Denílson, Leo derrubou Kieza, que partia em direção ao gol e recebeu seu segundo cartão amarelo. Imediatamente Sidnei Lobo sacou Arrascaeta para a entrada de Bruno Rodrigo. Talvez a melhor opção fosse sacar o nulo Willian, mantendo Arrascaeta e Alisson para municiar o contra-ataque. Argel, por sua vez, sacou um lateral para a entrada de um atacante.


Com superioridade numérica, o Vitória, em situação desesperadora, se lançou ao ataque. Rafael se sobressaia no gol a medida que o Vitória facilmente entrava em nossa defesa. Aos 25 entrou Robinho em lugar de Bruno Edgard, organizando melhor nosso meio de campo. José Welison, que abusou de faltas durante toda a partida, acertou Bryan nas costas, mas não recebeu cartão. O lateral foi substituído por Edimar aos 32.


O Vitória, após pedir dois pênaltis (que de fato não ocorreram), teve uma penalidade assinalada aos 36. Parecia um desastre a caminho, mas Rafael, destaque do Cruzeiro, com muita propriedade defendeu a cobrança de Cárdenas. Mesmo não conseguindo aproveitar os contra-ataques, e até sendo sufocado em alguns momentos, o Cruzeiro se portava muito bem na defesa. Alisson ainda perderia a chance de fazer o segundo gol em um lance bizarro.


E ficou nisso. Final de partida. Vitória 0x1 Cruzeiro. Nomes contestados, mas o importante foi a conquista dos três pontos. Com a vitória o Cruzeiro abre seis pontos do 17º colocado, o próprio Vitória. E equipe celeste ainda teve a seu favor as derrotas do Sport e Figueirense e os empates de Internacional e Coritiba em seus jogos.


A equipe #DebateZeiros sabe da importância dos três pontos, mas nota que alguns jogadores não têm mais condições de vestir nossa camisa. Quarta-feira é Copa do Brasil! Respeito ao Grêmio, mesmo sendo nosso freguês, foco na defesa e que o ataque esteja iluminado para conseguirmos uma boa Vitória.

#AvanteCruzeiro #ContraTudo#ContraTodos e #RumoAoPenta

Sua opinião é muito importante para nós!

Deixe sua crítica, elogio ou sugestão para que possamos melhorar sempre!

Fale Conosco